Canção Nova relembra os 12 anos de falecimento do padre Léo

Neste mês de janeiro, especialmente dia 04, quando foi chamado à vida plena, relembramos  uma pessoa muito querida, e bate em nossos corações uma profunda saudade.
“A saudade tem olhos verdes, cabelos grisalhos e atende pelo nome de Léo”.

O luto passa e fica só a saudade, uma resposta de amor para com aquele que viveu amando a Deus e aos irmãos. E que deixa seus rastros a serem seguidos.


A Canção Nova Notícias nos convida, através da reportagem do Elaine Santos e Messias Junqueira, a dar um mergulho no passado.
Ernani, irmão de padre Léo, que mora no Biguá, município de Delfim Moreira, local onde nasceu o menino Tarcísio (Léo), falou-nos da saudade que ele e toda a família sente com a ausência  do padre. E que toda a saudade, como uma chama de amor, jamais se apagará.
 “ Todos os dias sentimos saudades mas este dia é marcante para nós , o dia em que perdemos nosso irmão querido. Ele foi um grande irmão e muito mais um grande filho.
Não imaginávamos  que ele iria ser padre”.

Neide Maria, a esposa de Ernani recordou o tempo em que o menino Tarcísio (Léo) na pequena casa no Biguá, brincava de celebrar a missa com outras crianças, em cima de uma enorme pedra, a hóstia era folhas de jabuticaba, bolachas.
Com o processo de Beatificação em andamento, muitos pedidos, entre eles, um especial : o de Neide Maria, que pede a sua intercessão junto a Deus pela cura de sua perna.  

Na entrevista com Catarina Jatobá, Padre Vicente de Paula Netto afirmou que padre Léo continua evangelizando:
“Eu costumo dizer que Padre Léo trabalha mais agora do que antes. Ele continua vivo no legado que nos deixou através da Comunidade, e atuante na evangelização, muito por causa da Canção Nova. Todas as segundas-feiras está presente no ‘Buscai as coisas do Alto’.
Até hoje, são inúmeros os testemunhos que continuam chegando, de gente que faz verdadeiramente uma experiência de Deus, através das pregações do Padre Léo ainda hoje. Muitos chegam em Bethânia procurando por ele, e aí descobrem que ele já faleceu, e percebem o Dom em que ele se transformou.
Padre Léo é um link direto para o céu para milhares de pessoas. Famílias com dependentes químicos”.

Sobre o processo de Beatificação:
O processo de Beatificação do sacerdote já está encaminhado. Teve início em outubro de 2017, quando Padre Vicente e outros membros visitaram a Arquidiocese de Florianópolis, na pessoa de Dom Wilson Tadeu Jönck. Durante a conversa, foi explícita a vontade de tornar Léo um beato, pedido que foi aprovado pelo arcebispo”.

Sobre a Associação Padre Léo:
“Estamos muito felizes porque já foi agora instaurada a Associação Padre Léo que é quem vai tocar o processo. Tudo já está agora na Arquidiocese de Florianópolis, e a partir deste ano vai ser aberto oficialmente o processo de beatificação.”
A Associação Padre Léo é comandada pelo Padre Lúcio Tardivo, vice-presidente da Comunidade Bethânia, e cuidará, entre outras coisas, da coleta dos testemunhos dos milagres para depois encaminhá-los ao processo”.

A saudade daqueles que já estão no coração de Deus, nos dá a certeza de uma continuação da vida, a vida nova em Cristo Jesus, porque cremos na Ressurreição. 
"Só se tem saudade do que é bom!".






Compartilhe:

Relembre 5 frases marcantes do Padre Léo


Neste 4 de janeiro, dia que marca os 12 anos de eternidade do Padre Léo, relembramos cinco frases marcantes dele. Confira abaixo:

Faça parte do Grupo "Padre Léo", no Facebook, clicando aqui.


1. “Você não nasceu para ir para o lixo”
2. “Buscai sempre as coisas do Alto, as coisas de Deus”
3. “Talvez eu morra hoje, amanhã, daqui a um ano. Isso pouco importa! O que interessa é que, por onde eu passar, eu tenho que deixar um rastro de Deus para que quem vier atrás ache esse caminho. É isso que dá sentido à vida”
4. “É preciso deixar marcas de eterno por onde passamos e com quem convivemos”
5. “Cada vez que o seu coração bate – e ele faz isso 108 mil vezes por dia – é Deus falando para você: ‘Eu te amo! Eu te amo! Eu te amo!...”

Compartilhe:

Caminhar na presença de Deus!

Um capítulo comovente da trajetória de vida do padre Léo  nos mostra a coragem de entregar a própria vida, a Deus e aos irmãos.
Padre Léo Tarcísio Gonçalves Pereira, mais conhecido como padre Léo, iniciou a sua caminhada vocacional apaixonado pelo carisma, a espiritualidade centrada no Coração de Jesus (Congregação dos padres do Sagrado Coração de Jesus).  
Ordenado sacerdote, à partir daí começa uma nova etapa na história do escolhido de Deus.

Ser inteiramente de Deus, trabalhar pelo Reino, significa passar por dificuldades. Diante de tantos problemas que enfrentamos nós crescemos e assumimos a missão que Deus nos confia com mais fervor. Utilizando-se de seu cargo de Diretor do Colégio São Luiz em Brusque/SC, padre Léo cuidava de seus filhos marginalizados.
Comprometido com a vida, iluminado pela Palavra de Deus, idealizou a construção da Capela do Espírito Santo. As missas presididas pelo jovem padre, foram momentos fortes, de muitas conversões de jovens que viviam mergulhados nas drogas. Ali os jovens encontravam Deus de forma viva, redescobrindo o sentido de suas vidas. O contato direto com esses meninos e meninas, provocou em seu coração uma profunda compaixão, pois convivia com as misérias do mundo.

Por uma vida virtuosa neste mundo devemos viver a fé, não uma fé passiva, mas ativa, traduzida em boas obras. Não bastava sonhar, ele tinha que fazer algo concreto. Precisava de um lugar para acolher seus filhos. E abraçou novas tarefas, missão que foi preciso abrir caminhos, remover os obstáculos, com a fundação da Comunidade Bethânia.

Ficou famoso pelo seu dom de pregador. Todos ficavam admirados com o seu conhecimento bíblico, e a beleza de sua pregação. O seu linguajar mineiro, irreverente, suas histórias com muito humor, conseguia atrair milhares de pessoas. Com grande sabedoria, instruía e catequizava.

Padre Léo foi um mestre na arte de provocar, desafiar nossa inteligência, nossa capacidade, para dizer: “Você consegue!”. Em seu livro: “Buscai as coisas do alto” ele escreve: "Quando ficamos presos às pequenas coisas do cotidiano, não progredimos na vida... A vida não é fácil. O ser humano nasceu para superar e superar os obstáculos". Ele sempre soube enfrentar os problemas com fé e maturidade.

Um dia, algo veio revolucionar sua vida. Deus lhe revela um chamado especial, um grande desafio, quando o médico lhe diz: “Você está com câncer”.
Não é boa notícia! Enquanto muitas pessoas se perguntam, quando recebem esse diagnóstico: “O que fiz para Deus me castigar?”, padre Léo dizia: “A doença não vem de Deus. A doença não é vontade de Deus, nem castigo. Deus não quer o sofrimento de ninguém. O câncer é uma desordem, consequência do pecado, também consequência do meu pecado pessoal. É uma desordem que o mundo está vivendo”.

Nosso Deus é um Deus presente, se alegra e se compadece conosco. Mesmo diante das provações, das situações constrangedores, declarava : Se um dia eu fosse escrever 100 páginas sobre o câncer, seriam 100 páginas louvando , bendizendo e glorificando a Deus, pela graça que a gente recebe, quando se tem uma doença feito o câncer”.

Não basta somente amar a Cristo. Significa compartilhar de suas aflições, através de abnegação e sofrimento por amor a Ele. Somente enfrentando tantos problemas poderemos ter forças para viver plenamente. Superando as suas dores, saindo de si mesmo, obedeceu a ordem do Mestre falando ao seu coração:“escreva”. Era preciso evangelizar, levar a sério o irmão, pois dizia que o pior câncer é o da alma: “Existem muitas outras formas de cânceres que atacam áreas mais importantes: é o câncer do desamor, do ódio, do comodismo...”

Nessa vida recebemos a missão de ser testemunhas de Jesus no mundo. O padre cumpriu a sua missão, através de seus ensinamentos, levando a Boa Nova de Jesus, numa incansável atividade de salvar almas para Deus.
Depois de uma vida totalmente gasta por causa do Evangelho, atingiu a felicidade eterna, faleceu em 04 de janeiro de 2007.
Nós continuaremos a dar testemunho do amor de Deus, através do testemunho do padre Léo.
Há 12 anos, temos um intercessor no céu!


Compartilhe:

Ainda resta-nos uma esperança

Hoje, 1º de janeiro, a Igreja celebra a Solenidade Santa Maria Mãe de Deus. Maria, a menina simples foi agraciada por Deus com o privilégio da maternidade Divina. O Filho gerado em seu ventre, o mensageiro da Paz,  nos trouxe a salvação.
Também hoje, no primeiro dia do ano comemoramos o “Dia Mundial da Paz”. A Paz tem endereço certo: Jesus Cristo.

Que pena! Não enxergamos que a Paz não se encontra em uma noitada de farra, regada à bebidas, ou por uma picada de cocaína na veia. Não compreendemos que a Paz de Cristo não vem por uma vida profissional com sucesso, pela riqueza. Todos os prazeres deste mundo não conseguem aplacar a sede que o homem tem de Deus. Jesus é a fonte de onde jorra a água viva que sacia a sede de nossos anseios mais profundos, dizia padre Léo.

Maria participou do mistério da Encarnação de Deus. Um Deus, misericordioso em seu amor se abre para os homens.Um Deus que se doou, um ato de amor gratuito seu. “Eu creio que o amor é a única força capaz de transformar o mundo, pois é a Lei fundamental de Cristo, e por ela Ele concretizou o plano amoroso do Pai. Resta-nos uma esperança” (Padre Léo).

O jovem Léo já cantava a esperança de ver esse mundo melhor: “Num mundo sofrido, perdido, cercado de desamor. Eu digo, sem medo, amigo, tudo poderá ser melhor. Ainda resta a esperança de ver tudo isso mudado. Olhando para uma criança, vejo o amor explicado...”

A nossa luta contra uma doença , a nossa dor, o nosso sofrer, o nosso desânimo nada se compara com a glória eterna do céu, pois foi Cristo quem nos mereceu com a sua morte e ressurreição. O Deus que prometeu enxugar toda a lágrima de nossos olhos, é o mesmo que enviou seu filho para que tivéssemos vida eterna. Por isso, lancemo-nos no mar da esperança, porque conforme São Paulo nos diz: Aquilo que o olho não viu, nem o ouvido escutou, nem jamais passou pela mente humana, o que Deus preparou para aqueles que o amam” (ICor 2,9).

Em seus sermões sobre o amor, padre Léo nos convida a experienciarmos o amor a Deus sobre todas as coisas e o amor ao próximo. E nos ajuda a compreendermos que o amor de Deus entregue ao mundo por meio do Espírito Santo é uma força maior que supera a morte.


Ainda resta-nos uma esperança. Tudo em nossa vida aprendemos gradativamente. Estamos aprendendo e vamos aprender até a hora de nossa morte, mas precisamos acreditar que Deus é amor, é a Paz que almejamos.
Mais do nunca aplica-se a última estrofe dos  versos (Rastros de Deus –pgs 77/78): “Na esperança do sol que nasce pra aquecer nossa terra, o rio chegará ao mar. Então verei face a face, que o meu sonho se encerra! Num Deus que só sabe AMAR...”

Que neste ano de 2019, possamos pedir a Deus, a graça de simplesmente: AMAR!

Um santo e feliz ANO NOVO!
Equipe do blog padre Léo Eterno





Compartilhe:

Nosso futuro pertence a Deus!

“Procure compreender a obra de Deus, porque ninguém endireita o que Ele encurvou. Esteja alegre no dia feliz, e no dia da desgraça procure refletir, porque um e outro foram feitos por Deus, para que o homem nunca possa descobrir nada do seu próprio futuro” (Ecle 7,13-14).

Por maior conhecimento que temos, não conseguimos decifrar o que nos acontecerá no futuro. Mas uma só certeza trazemos ao coração: não atingiremos a verdadeira felicidade, a não ser no seio de Deus.
Nesse contexto Marlon Arraes, autor da Biografia do padre Léo, narra com riqueza de detalhes a trajetória de um homem que descobriu o verdadeiro amor, que completa, que constrói, o amor que impulsiona a uma vida totalmente transformada.
A parte VIII (Diamante burilado), o ápice do livro, segue os passos do homem que sofreu, mas  soube dar sentido a seu próprio sofrimento, na sua fragilidade confiou plenamente em Deus e perseverou na fé até o fim. Deus o provou no fogo para lhe tirar todas as arestas.

Padre Léo foi chamado a testemunhar Cristo Crucificado. Os primeiros sinais indicando que havia alguma coisa mais séria em seu corpo começa no final de 2005.
“Pouco depois do Natal, durante a celebração de uma missa no Recanto, Pe. Léo percebeu que sua boca começou a retorcer, repuxando involuntariamente a musculatura da face. Isso nunca havia acontecido antes... Ele, então, decidiu seguir, após o Acampamento do Ano Novo, para Itajubá, e passar alguns dias com sua mãe para curar dois problemas que o estavam incomodando: sua boca, que agora estava mais inchada do que o normal, e seus pés, que estavam com uma frieira que teimavam em não sarar”.

Aos poucos, padre Léo foi compreendendo o que Deus lhe reservava. A pedra bruta ia sendo   lapidada. É o Senhor  agindo em cada acontecimento, de forma soberana.
Em nossa caminhada cristã cremos que o Senhor está sempre ao nosso lado, dando-nos a sua assistência, o seu amparo. “Mesmo bastante cansado, Pe. Léo marcou presença no Acampamento de Ano Novo na Canção Nova...”
A sua natureza missionária foi mais forte, a sua sede de evangelizar foi extremamente maior do que a dor que sentia. Estava ali pregando para milhares de pessoas, uma entrega a algo maior, algo que transcende. “Toda a dificuldade de sustentar uma pregação com a energia com que o povo estava acostumado já era um reflexo da doença que avançava rápida e silenciosamente”.
Nesse Acampamento de Ano Novo, pregou sobre o Mandamento da Lei de Deus: Não Matarás (30/12/2005), Não pecar contra a castidade (30/12/2005), Não furtar (31/12/2005), e Purificar nossos desejos (31/12/2005).

Após momentos de cura no convívio com sua família em Itajubá, enfrenta os desafios da volta à Canção Nova. “Pe. Léo teve uma enorme dificuldade para descer a serra. Em seu carro ele passou muito mal, tendo dificuldade para enxergar a estrada, seus músculos tremiam. Tudo isso o forçou a parar o carro várias vezes no acostamento... A doença já estava tomando conta de seu corpo e alterando seu estado clínico”.

Não podemos opor-nos aos desígnios de Deus. Padre Léo passará pela “ noite escura”, assim chamava o poeta e místico São João da Cruz, referindo-se a esse encontro com a dor.
Nadando contra a própria correnteza, contra a correnteza do mundo, depois deixando-se vencer, descobre a verdadeira dimensão de sua vida cristã: fazer a vontade do Senhor.

Adquira a Biografia Padre Léo- acesse: www.bethania.com.br



Compartilhe:

Tempo de refrigério!

Em nossa caminhada cristã o Senhor não prometeu de tiraria todo o tipo de sofrimento, mas prometeu que estaria conosco, dando-nos força e coragem em todas as situações, tristes, dolorosas, alegres. Deus sempre proporciona aos seus filhos momentos, onde podemos experimentar o refrigério para acalmar nossos corações, a paz, a alegria, que renovam nosso espírito.


A presença de Padre Léo no Centro de Evangelização Dom João Hipólito de Moraes, em Cachoeira Paulista SP, na sede da Canção Nova, após dez meses, de luta contra o câncer, foi um grande refrigério, para todos nós. Era o dia 09 de dezembro de 2006, às 11:15 da manhã.  O Hosana Brasil 2006 foi um marco, diante do testemunho de um homem que hoje está no coração de Deus.

Testemunho tocante de um homem que viveu esse momento bem pertinho de seu paciente: Dr Roque Marcos Savioli. Trecho do livro: Médico, graças a Deus!, um tributo ao padre Léo.
“Ao chegarmos ao Rincão, totalmente lotado, o povo entrou em delírio... Pe. Léo, debilitado, fraco, emagrecido, tomar o microfone e, com uma voz forte, imperiosa, retumbante, nos brindou com momentos raros de emoção, fé e esperança. Todos os que ali estavam viam de perto a presença do Espírito Santo nele. Era o Senhor falando com sua voz autoritária e forte, por meio daquele corpo fraco e doente”.

Um silêncio reinou naquele lugar para ouvi-lo pregar. “Eu tinha que vir aqui gritar: Hosana, vitória de Deus. Se você quer de fato, ter a vitória de Deus em sua vida, é preciso cantar “Hosana”. 

Cantar a vitória, celebrar a vitória significa crer que a nossa vida, com a luta do dia a dia, com nossos pecados, mas também com os nossos sonhos, projetos, só encontram a força em Jesus. É essa certeza que fez com que padre Léo estivesse ali para aclamar ao Senhor, na presença de milhares de pessoas.  
A palavra “gratidão” tornou-se muito rica na boca do pregador. Uma maneira simples de agradecer à Canção Nova, na figura de Pe. Jonas,do  Eto e da Luzia, por tudo o que fizeram durante o período de sua enfermidade.

A sua pregação teve como referência o seu livro: “Buscai as coisas do alto”. A mensagem daquela memorável pregação é de esperança, mais do que uma multidão de palavras, nos exortou a olharmos para o céu, para as coisas do alto, para alcançarmos a verdadeira felicidade.
Uma maneira forte de expressar o seu agradecimento foi através da música: “Alô,meu Deus”, que representa toda a sua vida. O homem não consegue a felicidade plena a não ser no seio de Deus. Depois de declarar não ter alcançado a perfeição, lutou pela santidade (conversão diária), e alcançou a meta, pois foi conquistado por Jesus. E volta para os braços do Pai. O pássaro volta ao ninho. Esta é a humildade de uma pessoa que caminha buscando as coisas do céu.
Um canto penetrante se fez ouvir no silêncio do Rincão. Pela última vez cantou: “Alô, meu Deus/Fazia tanto tempo/Que eu não mais te procurava/Alô meu Deus/Senti saudades tuas/E acabei voltando aqui..”

O reconhecimento do quanto padre Léo representou e representa para a Igreja.
“Se aquele dia foi importante para milhares de pessoas, para mim foi especial, porque me senti recompensado por todo o sofrimento passado durante quase um ano inteiro.
Sentado ali, no palco do Rincão, agradecia ao Senhor por Ele ter me propiciado acompanhar Pe. Léo, como seu médico, durante seu tratamento e também sentia-me feliz por ter colaborado com tudo aquilo que estava acontecendo...”

Deus sempre nos proporciona momentos de refrigério, para bebermos da fonte que jorra a vida eterna. Devemos, portanto, caminhar pela vida sempre atentos ao Senhor que vem até nós ou vamos até Ele. Nesse tempo do Advento, precisamos estar vigilantes e de coração aberto para acolher a vida e a salvação que Deus nos oferece. 

(Os direitos autorais do livro "Médico, Graças a Deus" foram doados por Dr. Roque Marcos Savioli à Comunidade Bethânia)







Compartilhe:

Arquivo do blog

Postagem em destaque

Canção Nova relembra os 12 anos de falecimento do padre Léo

Neste mês de janeiro, especialmente dia 04, quando foi chamado à vida plena, relembramos   uma pessoa muito querida, e bate em nossos coraçõ...