A marmita - Histórias do Padre Léo


Na pregação O Espírito sopra na comunidade, de 08.06.2003, padre Léo contou a história envolvendo três colegas que não aguentavam mais almoçar todo dia o mesmo cardápio na marmita. 

Padre Léo sempre usava em suas pregações o recurso de contar historinhas, piadas e “causos” engraçados para descontrair, prender nossa atenção e, logo em seguida, falar algo sério e evangelizador.


Quer entender em que contexto ele contou esta historinha? Clique aqui e assista a pregação completa.

Compartilhe:

A festa surpresa de Padre Vicente, bth

Uma vez, na Comunidade Bethânia (Recanto Lorena-SP) chegou uma excursão com um ônibus do Homem-Aranha. Quando a Vânia Karla, consagrada da comunidade, avistou o veículo, gritou para o Padre Vicente: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ 



⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

- Pai, olha o ônibus do Homem- Aranha. Vamos lá tirar uma foto!

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Imediatamente ele foi e fez até pose!



⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Segunda-feira passada, dia 10.06, foi aniversário dele. Então os filhos de Bethânia prepararam uma festinha surpresa para o padre. Adivinhem qual tema escolheram? Isso mesmo: Homem-Aranha! Ele gostou muito, conforme podemos conferir pelas fotos:













⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

*Agradecimento especial para @vaniakarla.bth que partilhou a história e fotos da comemoração conosco. É sempre gratificante conhecer um pouco mais dos bastidores e dia a dia dessa comunidade que tanto amamos.


Compartilhe:

Pavão, símbolo da divindade!


“A primeira vez em que fui em Israel, me chamou muita atenção, no Monte Tabor tinha dois grandes pavões pintados. E depois, em Tabgha, onde a multiplicação dos pães... Nos desenhos do chão eu vi de novo um pavão.




 Então eu perguntei para o nosso guia:

- Por que tanto pavão?

Ele disse:

- O pavão é o símbolo da divindade, da ressurreição, porque é a carne que melhor se conserva depois de morta.




O pavão depois de morto leva muito tempo para estragar a carne dele. Para mostrar que Jesus veio para nos extender aquilo que Ele tinha no seu Espírito e também na nossa carne. Além disso, o pavão se abre inteiro, com aqueles olhos nas penas, para atrair a fêmea... Para abraçá-la. Como Deus também se abre inteirinho e fica fazendo assim para cada um de nós. Nos chamando o tempo todo. Mas nós estamos com os olhos fechados.

Além disso, o pavão gosta de viver no alto. O ninho é sempre lá em cima. Ele é lindo! Ele é maravilhoso! Quer ver um verde-java que eu tenho lá em casa... Mas o pé dele é medonho de feio para mostar que esse Deus grande, lindo e maravilhoso foi capaz de vir aqui ao pé, ao chão, e beijar os nossos pés. Pra dizer “Eu tou submisso”. Lavar os nossos pés! A feiura dos nossos pés! Jesus foi um Deus que entrou, que pisou e andou com o pé humano. Ele que lavou os pés dos apóstolos, agora terá, na véspera da sua Paixão, uma prostituta de leprosos para lavar os seus pés.



Compare João, 12 com João, 13. Aquilo que a pior prostituta da região, Maria de Betânia, fez pra Ele, lavou os pés Dele... Ele, dentro da Eucaristia, na hora da Missa de “João, 13”, Ele vai lavar os pés dos seus discípulos e beijar cada um. E Ele quer fazer isso comigo e com você. Olha o que Deus é capaz! Absurdo dos absurdos! E os cientistas descobriram uma coisa interessant no pavão: o pavão é uma das poucas aves (se não a única) que consegue matar uma cobra venenosa. Ele pula em cima dela, vai batendo aquele pé e vai bicando. Por isso ele é o símbolo dessa divindade que desce... Que se abre inteiro na sua beleza infinita para me chamar e chamar você à nossa feiura... Pra mergulhar essa feiura nossa na beleza Dele. É o único jeito que você tem... Que  eu tenho de mudar de vida. O único jeito do Deus da paz estar conosco. É se nós imitarmos o que São Paulo está nos ensinando hoje. E desde manhã cedo ele está nos ensinando. Desde a oração da manhã. Transforme as suas desgraças em um começo de graça. Em um começo de vida nova. Aquilo que você perdeu não volta.”

Padre Léo

Trecho da pregação: Praticar a cura interior

Confira o vídeo com o trecho da pregação:




Compartilhe:

A experiência da beleza de Deus no Monte Tabor

Monte Tabor: um monte majestoso, vemos a beleza do panorama, o lago de Genesaré, o monte Carmelo e o Mediterrâneo. Ali ocorreu um dos principais acontecimentos da história:  a Transfiguração de Jesus. Graças místicas concedida aos três apóstolos escolhidos, para lhes fortalecer a fé, preparando-os para a sua morte. Uma confirmação de que Jesus era verdadeiramente o Filho de Deus.

Em Outubro de 2005, padre Léo fez a sua última viagem à Terra Santa. Sua peregrinação chega até o Monte Tabor. Entrar na Basílica da Transfiguração é mergulhar no profundo mistério de Deus através de Jesus. Ali, no altar do Senhor, padre Léo celebra a Eucaristia, contempla a infinita grandeza divina, representada pelas imagens. Um lugar de encontro com o Senhor.

Trazemos aqui trechos de sua homilia, quando fez uma breve reflexão sobre a leitura da segunda carta de São Pedro: “Na realidade, não é baseando-nos em hábeis fábulas imaginadas que nós vos temos feito conhecer o poder e a vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas por termos visto a sua majestade com nossos próprios olhos...” (2 Pd 1,16 ss)

Subir ao monte e fazer a experiência de estar com o Senhor, este é o convite.
“Estar agora no coração de cada um, uma alegria profunda, nesta manhã, estamos sendo convidados a estar com o Senhor no Monte Tabor”.

Os três privilegiados amigos de Jesus viram a sua glória e a antecipação da eternidade para depois suportar os maiores sofrimentos.
“Jesus só convida os três: Pedro, Tiago e João, a estar com Ele no Monte da Transfiguração e que são os mesmos a estar com Ele no Monte da Desfiguração, o Getsâmani”.

A recordação de Pedro do Monte Tabor (testemunha ocular) é fonte sólida,  do esplendor e da glória da vida eterna. Cabe a cada cristão a anunciar o Reino de Deus em seu meio.
“ É preciso que este momento se revista de um sentido espiritual profundo.E mais do que isso, segundo o que Pedro nos fala nesse trecho espetacular da sua 2ª carta, que cada um de nós assumamos um grande compromisso. O Tabor precisa gerar compromisso.
É pena que quando as pessoas vem ao Monte Tabor, elas ficam dando risadas, contando histórias, mas não fazem o encontro pessoal com Jesus.
E o que Pedro testemunha não foi coisas extraordinárias do Tabor, foi a experiência do encontro pessoal com Jesus, e esse é o grande segredo que, infelizmente é deixado de lado, por muitas pessoas, o grande segredo do Tabor. Pedro vai fundamentar a experiência do Tabor na força da Palavra”.

Naquele lugar de encontro com Deus, padre Léo pode experimentar a alegria interior, alegria que tem sua fonte no próprio Cristo, pode penetrar um pouco em seu mistério de amor. Alguns meses após, viveu momentos difíceis duros, desafiantes. Viveu seu calvário para depois viver a alegria da perfeita realização.


Compartilhe:

O amor renova a alma!

“Aquele que está sentado no trono disse: “Eis que faço novas todas as coisas”. Depois, ele me disse: ‘Escreve, porque estas palavras são dignas de fé e verdadeiras’” (Ap 21, 5ª).

Este sonho que São João teve de um novo céu e uma nova terra (segunda leitura deste domingo), um mundo transformado e redimido, onde Cristo permanece com seu povo, só é possível realizá-lo através de Jesus.

A partir do encontro pessoal com Jesus, naquela atmosfera entre o céu e a terra, a vida do jovem Léo mudou. Ali o Senhor lhe mostrou que a vida, vale a pena ser vivida, que existe um lugar onde Deus nos proporciona tudo o que jamais penetrou em nossos corações.
No silêncio da noite aquele menino perdido descobriu que o essencial é amar a Deus e aos irmãos. Ele entendeu que o mandamento da caridade para com o próximo, que Jesus deixa aos seus discípulos renova todo cristão (Jo 13,34).

O Senhor começa a preparar o jovem Léo para as batalhas da vida. Cada passo uma descoberta, cada passo um aprendizado, cada passo um renascimento para Deus. Jesus vai renovando a cada dia o seu coração. Na luta pela vida Deus estava lá, quando estava no pecado Deus estava lá, na procura pela felicidade Deus estava lá.
Menino inquieto, vivia uma vida dúbia, sua participação nos grupos de oração, era intensa, mas procurava nas drogas preencher o vazio de viver em uma sociedade consumista. O que importa para Deus é a disponibilidade do coração. Um coração generoso se mede pelo desejo de servir, de ajudar, estar disposto à contribuir para o bem do outro.

A sua juventude marcada por grandes questionamentos, mas só Deus pode perscrutar as profundezas do coração humano. E escolhe este jovem fraco e pecador. Ele tinha uma vocação e tinha que cumprir sua missão.
Nada acontece por nossos méritos, mas pela graça de Deus. Aquele moço cabeludo, com ideias revolucionárias, entra para o seminário aos 21 anos.
Agora sua vida pertence totalmente a Deus, o servo fiel se consagra de corpo e alma, foi ordenado sacerdote em 08 de dezembro de 1990, paróquia Nossa Senhora da Soledade, em Itajubá, Minas Gerais.

Padre Léo viveu o Ministério sacerdotal com muita intensidade,16 anos de fidelidade ao Senhor, bebendo da presença de Jesus na Eucaristia que celebrava todos os dias.
Padre Léo através de suas pregações, dos seus escritos, testemunha o amor de Deus para o mundo. Anunciando o Evangelho vai ao encontro daqueles perdidos nas drogas, na prostituição e dos abandonados pela sociedade.
Na dignidade de presbítero, sacerdote do Coração de Jesus, padre Léo foi instrumento de salvação para muitos. Foi para os braços de Deus em 04 de janeiro de 2007.

Deus, na sua infinita misericórdia. nos criou livres para escolhermos caminhos. Podemos viver tranquilos, sem compromissos, ele permite. Mas sempre chega a hora de nos encontrarmos com Deus, que é Amor. Fazemos uma experiência profunda desse amor e tudo muda.

‘‘Experimentar o amor é a grande aventura para todos os homens, porque no dia em que o homem experimentar de fato o amor em sua vida, ele jamais será o mesmo homem, porque o amor renova a vida, renova a esperança, renova a alegria, renova a fé’’(do livro:Rastros de Deus).


Compartilhe:

O sonho de uma vida!

Crer nas maravilhas que Deus pode fazer em nossas vidas, isso é dar passos na fé. Crer que Jesus é o Senhor de todos, é poder receber Dele todas as graças de que necessitamos.
Amar a Deus e sentir-se amado por Ele foi o que impulsionou e animou a vida do casal Ideraldo e Margarida a fazer opção radical pelos pobres e marginalizados. Praticar a caridade é viver a misericórdia, expressão máxima do verdadeiro amor, anunciado por Jesus Cristo, que se realiza e se completa com esforço, no caminhar lento e penoso.


A história desse casal,  vida simples e desapegada dos bens materiais, o seu testemunho do amor de Deus faz brotar rastros desse amor. Eles, livremente, no silêncio de uma decisão, oferecem suas vidas, num gesto de gratuidade.
A Comunidade Bethânia celebrou neste 1º de maio, 23 anos da Consagração do casal Ideraldo e Margarida, que vivem fielmente a consagração a Deus.

Tudo começou quando padre Léo se formou padre e foi para Brusque, como diretor do Colégio São Luiz. Ali já foi nascendo em seus corações o que era desejo de Deus.
" Ele e a Juscélia tiveram a inspiração de construir a Capela do Espírito Santo, dentro do Colégio São Luiz. Fomos nos aproximando. Ali nasceu a Banda VIDA, tantos irmãos, testemunho do amor e da graça de Deus. Onde o padre estava, lá estávamos bebendo da fonte”. 

Olhar além do que o mundo nos oferece, é vislumbrar um novo horizonte. Mas para alcançar essa liberdade é preciso aceitar o convite de Jesus para amar. Ser livre para amar e servir a Deus. Ser livre para colocar toda a sua vida na vontade do Senhor.
“Um certo dia, na capela, na missa, em 1993, eu e a Margarida sentados no corredor, o Léo falou-nos que queria formar uma comunidade para acolher as pessoas".
A partir daquele momento tudo iria mudar. "Aquilo tocou nosso coração: É pra nós, pensamos! E fomos nos preparando...". 
O ouvir e acreditar naquilo que Deus tem para nós, não são atos de um momento, mas de ação continuada, de uma decisão de fé. É crer que o Senhor tem algo extraordinário a nos oferecer. O Senhor faz por nós mais do que nossa imaginação possa alcançar.

Em 1995, abriu-se uma clareira na colina, e foi celebrada a primeira missa em Ação de Graças, consagrando a Deus o terreno doado. A partir daí começaram os trabalhos.
"Ali era só mato, eucaliptos e o padre vislumbrou o que viria a ser. Ele era um homem muito especial. Estava chegando a nossa hora”. 

Ser inteiramente de Deus, trabalhar pelo Reino, significa passar por provas, dificuldades.
Iniciamos a construção. O Léo me perguntou se eu não poderia acompanhar a construção". 
A vida daquela família mudou completamente. Quando tomaram a decisão de deixar tudo, casa, um emprego seguro, fizeram a opção generosa ao chamado de Deus. E assumiram esse chamado, vivendo da Providência Divina.

A primeira casa ficou pronta: "A casa toda mobiliada, com beliche nos quartos, roupa de cama igual para todos". A casa ganhou “vida” para acolher os filhos, pois precisavam encontrar ali uma casa digna, a casa onde Jesus iria morar.

Por ternura de Deus,  Ideraldo e Margarida foram consagrados e teve início a missão. "Fui agraciado por que sempre tive o desejo de acolher os mais fracos... E acolhemos a primeira filha, a Madalena. E foi crescendo, chegando outros filhos”.


O diácono Ideraldo e Margarida viram a Comunidade Bethânia crescer e também contribuíram para este crescimento. Ali nasceram seus filhos e participam do processo de conversão dos filhos de Bethânia, assim como eles, vivem o Evangelho de Jesus diariamente.
Trabalhar para o Reino de Deus não tem preço, na medida em que se faz por amor.
Que Jesus ressuscitado lhes dê força e coragem  para testemunhar esse amor e continuar a obra que padre Léo começou. No “sim” do dia a dia, Deus lhes dá a vitória, a vitória na vida de cada um que chega, o próprio Cristo.

Ao  Diácono Ideraldo e Margarida, a nossa gratidão!






Compartilhe:

Arquivo do blog

Postagem em destaque

A marmita - Histórias do Padre Léo

Na pregação O Espírito sopra na comunidade , de 08.06.2003, padre Léo contou a história envolvendo três colegas que não aguentavam mais alm...