Pregações do Padre Léo

O Blog disponibiliza pregações do Padre Léo em áudio e vídeo. Clique aqui.

Promoções e sorteios

Há mais de três anos o Blog Padre Léo Eterno busca evangelizar doando prêmios relacionados ao Padre Léo Para um de seus leitores a cada mês. Confira resultados e a promoção mais recente.

Acompanhe o blog nas redes sociais

Sabia que muita coisa que não aparece aqui no blog está nos perfis que mantemos no Facebbok, Instagram e também no Twitter? Siga e curta!.

Textos para reflexão

O blog reserva espaço a reflexão através de trechos de livros e pregações do Padre Léo e do que mais Deus nos inspirar. Boa leitura!.

domingo, 17 de setembro de 2017

Amor nunca morre de morte natural: é sempre assassinado!

"Algumas realidades espirituais cegam o casal. O desleixo. Eu tenho muita tristeza quando vejo falar no mito do amor eterno. Eu queria dizer a vocês: o amor jamais é eterno! O amor nasce, cresce, dá frutos, e se não for cuidado, morre. Amor morre. E é bom lembrar: amor nunca morre de morte natural. Amor morre assassinado. A arma mais tenebrosa que assassina o amor chama-se negligência. Cegueira. Não se cultiva mais o amor. Não alimenta o amor. Não renova o amor. Não purifica o amor. 




O Catecismo deixa bem claro que Jesus veio restaurar, curar, purificar e elevar o amor humano. O Catecismo afirma com todas as letras que o sacramento do matrimônio é o amor humano, próprio de um homem e de uma mulher, revestido com a graça de Deus. Mas é a partir do humano. Deus não contradiz o humano. É um sacramento que se realiza na carne, no espírito, na afetividade. Mata-se o amor pela negligência. A negligência da palavra, que eu falava antes... De não externalizar mais a alegria e gratidão de conviver com essa pessoa que está há tanto tempo em minha vida!"

Padre Léo

Trecho da pregação Saborear o amor 

Para adquirir essa e outras pregações, livros e homilias de padre Léo, além de produtos da Comunidade Bethânia, clique aqui

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Amor supremo pela redenção do mundo!

Neste dia, 14 de setembro, a Igreja celebra a “Exaltação da Santa Cruz”. O amor de Deus alcança o seu mais alto grau, ao sacrificar seu Filho unigênito: Jesus Cristo. Deus quer a salvação de todos e não a condenação, pois suspenso à cruz, por sua morte e ressurreição, mereceu para os homens a vida eterna.


Trazemos aqui alguns trechos da segunda parte do capítulo, cujo título é “Uma grande cruz”, do livro “Rastros de Deus”, onde padre Léo faz uma belíssima reflexão sobre o real significado da cruz de Cristo.

O caminho para o Reino eterno foi marcado pelo sangue de Jesus na cruz.
"Na cruz sua missão se realiza plenamente. Derramando seu precioso sangue, Cristo redime a humanidade e cria um novo e permanente laço entre o céu e a terra, um laço que jamais será quebrado. A cruz torna-se assim, além do símbolo de nossa redenção, a representação gráfica do cristianismo:"

Contemplando a cruz, padre Léo observou: Na haste vertical da cruz estão: DEUS acima e EU abaixo. E na horizontal estão os HOMENS.  
"Observando a colocação e o posicionamento dos três nomes nessa cruz, descobriremos que existe entre EU e DEUS a presença dos HOMENS. Isto quer dizer exatamente que não podemos chegar a Deus se não passarmos pelos homens... Portanto, ninguém poderá saborear Deus se não se abrir para uma profunda e verdadeira experiência de ver os outros homens e como irmãos e viver como irmão deles. Mas não é fácil amar verdadeiramente os outros, porque isso implica, muitas vezes, um esquecimento de si mesmo. É isso que Jesus nos ensina quando diz que devemos renegar a nós mesmos. Porque tudo aquilo que nos afasta dos homens nos afasta também de Deus... No momento em que percebermos nos homens os nossos verdadeiros irmãos já estaremos bem próximos de Deus".

A cruz de Cristo seja exaltada, pois Ele próprio diz: “Quando eu for exaltado, atrairei todos a mim” (cf. Jo12,32). 
"O homem que, pelo pecado, se afasta de Deus, pela Cruz de Cristo é novamente atraído para Deus, porque o amor de Deus, concretizado e personificado em Jesus, foi e é maior do qualquer atitude humana".

Padre Léo cita a primeira carta de São João (4, 8-16). O verdadeiro amor, de caridade desinteressada não pode proceder senão de Deus. 
"Deus é de fato Amor, um amor puro e verdadeiro, um amor que transforma o homem pecador em filho amado... Jesus se oferece como único sacrifício de redenção da humanidade. Submete-se por amor à vontade do Pai... Tudo estava consumado, e o mundo redimido..."

A experiência da cruz em nossa vida vai nos levar a alcançarmos a salvação, naquele dia, diante do Juiz, em que a nossa sorte será decidida por toda a eternidade. 
"Os homens mataram Jesus e nós continuamos crucificando-o com o nosso egoísmo, com nossa ganância... Jesus morreu pelos nossos pecados, mas ainda não compreendemos a dimensão salvífica deste ato, porque ainda não fizemos da nossa vida uma verdadeira experiência de sua cruz...

A cruz de Cristo, o seu sangue derramado sobre nós, é garantia segura de que não seremos condenados mas abençoados e acolhidos no Reino Celestial.
Cristo não permaneceu na Cruz, passou por ela, mas chegou ao Reino eterno dos vivos, ao Lar celeste do Pai... O fim é a ressurreição, a plenitude de Deus em nós, e através de nós".



terça-feira, 12 de setembro de 2017

O mundo nos usa e nos joga fora

"Deus sabe quem eu sou. Sabe quem você é. Mesmo quando a gente não se respeita, Deus nos respeita. Ele que nos fez. Ele sabe a grandeza que é o ser humano. Ele sabe que o ser humano não é uma coisa que bota lá... Mas porque nós estamos acreditando nisso que o mundo está nos ensinando, que o ser humano é uma coisa que você usa e depois joga fora... 




Todo ano aparece nos jornais: "A nova musa da escola de samba vai ser a atriz tal". E a outra? A outra já não serve mais. Quanto tempo dura? Dez anos? Vinte anos? O que o mundo faz comigo e com você? Usa, igual quando você chupa uma laranja, vira depois ela assim, come os bagaços e o que não prestar, joga fora. O mundo faz isso comigo e com você! Nós sabemos disso. Mas nós queremos o aplauso do mundo. Nós queremos o amor do mundo. E não confiamos, não abrimos pra Deus o nosso coração."

Padre Léo

Trecho da pregação Confiar em Deus

Para adquirir essa e outras pregações, livros e homilias de padre Léo, além de produtos da Comunidade Bethânia, clique aqui.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

O discurso dos derrotados

Pare de bisbilhotar a vida dos outros. Por que bisbilhota a vida alheia? Por que a pessoa se alegra quando descobre que fulano caiu, que sicrano errou? Por que o assunto predileto é falar mal da vida dos outros? Porque é o discurso dos derrotados! O discurso dos derrotados é o mesmo em todo lugar: em português, em guarani, em espanhol, em francês, em hebraico, em aramaico, em japonês... Tudo!


É aquele menino que chega em casa e diz:

- Mãe, todos foram mal na prova. Até o meu colega que só tira 10! A mãe dele, inclusive, foi lá... Porque a professora aprontou uma lá: ela fez só pergunta que ninguém sabia!

E tem mãe que acredita! Tem mãe que quando o filho tira 10, ela diz:

- Meu filho é um gênio! 

Quando tira 2:

- A professora foi muito rigorosa! A professora é injusta! 

Não é assim? Vai desanimando! É o discurso dos derrotados. Então eu quero saber das desgraças dos outros...

Padre Léo

Trecho da pregação "Procurai a paz". 

Para adquirir essa e outras pregacões, livros e homilias de padre Léo, além de produtos da Comunidade Bethânia, clique aqui. 

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Deixar o Espírito Santo cuidar os seus medos

Todos nós, em algum momento, passamos pela experiência do medo, aquele medo que nos tira a força e a alegria de viver. A reflexão do padre Léo sobre este tema nos ensina como trabalhar nossos medos e saber enfrentá-los como se deve.Com autoridade nos mostra as causas e as consequências desse mal que tanto aflige o ser humano. Assim como, apresenta-nos a solução.

A origem:  
“Deus que é amor, cria por amor o ser humano e cria-o para o amor. A bíblia para descrever essa experiência da criação, fala do paraíso onde descreve de forma poética a harmonia plena em que vivia o ser humano. Deus e o ser humano passeavam juntos ao cair da tarde no paraíso... O ser humano no paraíso vive essa experiência cósmica  da felicidade, mas nessa história há um momento marcante,  o ser humano diz não ao projeto de Deus, corta o relacionamento com Deus, pela experiência do pecado. E olhando a bíblia, a primeira consequência do pecado é a experiência do medo. Deus procura o ser humano, mas ele foge, se esconde, se fecha em si mesmo, no seu egoísmo. Em decorrência disso, o medo...”

O medo e o egoísmo:  
“Egoísmo é você se colocar no centro. É você achar que tudo existe em função de sua pessoa. Quando pensamos em nossos interesses, manipulamos os outros, todas as nossas atitudes se convergem para o nosso bem estar, aí o egoísmo se instala. Na raiz do medo, o pecado, na raiz do pecado, o egoísmo. Medo e egoísmo levam a frustração do ser humano...”

O medo e a ansiedade:  
“Uma das grandes causas da depressão, doenças físicas é a ansiedade. É medo de algo indefinido. A ansiedade leva à insegurança total...Torna-se uma pessoa fraca, pessimista, negativista, não sabe pra onde ir.”

O medo e a arrogância: 
“A pessoa que vive com medo, se torna arrogante. Querendo defender-se ela tem medo do que o outro pode vir a fazer, tornando-se um ameaça. Por isso a atitude é de auto defesa...Está sempre atenta a se afastar e diminuir o outro...”

O medo e a superstição: 
“Outra consequência do medo é a superstição. Estamos na era da magia, do ocultismo... A pessoa passa a colocar a resposta de sua vida em coisas onde não há respostas. Hoje a busca pelos doendes, bruxas, pirâmides, amuletos, olhar o futuro, a superstição é a religião da ignorância, do fechamento em si mesmo... Tudo isso porque perdeu-se a convivência amorosa com Deus... Nós construimos a nossa história com referências concretas. Nada, nem ninguém que esteja fora de nós vai nos fazer felizes...”

Ao final dessa reflexão, padre Léo  nos dá a chave para livrarmos do medo e de tudo o que provém dele, como consequência do pecado.
“O primeiro passo é encarar o problema, é olhar para si mesmo e reconhecer-se pecador, limitado. Sabendo os seus limites, poderá ultrapassá-los. É 90% da cura porque aí está contido uma linda experiência de Deus. Confiar em Deus, tenho que ter a humildade suficiente para pedir que me cure, me liberte. Confiar na Palavra de Deus que nos diz: ‘Tudo o que pedir ao Pai, em meu nome, Ele nos dará’. Em Gálatas 5,16 nos fala, de forma muito forte para nós: ‘Deixar-se conduzir pelo Espírito Santo’. Permitir que o Espírito Santo conduza todas as nossas experiências íntimas, Ele estará nos conduzindo todo o nosso caminhar”.