Pregações do Padre Léo

O Blog disponibiliza pregações do Padre Léo em áudio e vídeo. Clique aqui.

Promoções e sorteios

Há mais de três anos o Blog Padre Léo Eterno busca evangelizar doando prêmios relacionados ao Padre Léo Para um de seus leitores a cada mês. Confira resultados e a promoção mais recente.

Acompanhe o blog nas redes sociais

Sabia que muita coisa que não aparece aqui no blog está nos perfis que mantemos no Facebbok, Instagram e também no Twitter? Siga e curta!.

Textos para reflexão

O blog reserva espaço a reflexão através de trechos de livros e pregações do Padre Léo e do que mais Deus nos inspirar. Boa leitura!.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Conhecer para melhor amar

"Uma vez, em Recife, eu perguntei:

- Por que Deus fez primeiro o homem pra depois fazer a mulher?

Aí teve uma menina que falou assim pra mim:

- Porque antes de uma obra de arte vem o rascunho!

- Não, não é isso não! Jesus está dizendo que antes de fazer a mulher, o ser humano era absolutamente incompleto. 



Pois é isso que o demônio está fazendo hoje. O machismo tem a assinatura do encardido. Porque o machismo é centrar o ser humano naquilo que ele tem de pior. É usar os dons e os talentos que Deus deu ao homem... Porque, gente, o homem e a mulher são imagem e semelhança de Deus. Se são imagem e semelhança de Deus, Deus colocou pedaço Dele, falando numa linguagem bem simples, tanto no homem como na mulher. 

Se no homem ele colocou detalhes específicos, por exemplo, a força masculina, a resistência masculina... Na mulher, Ele colocou a afetividade, a docilidade. Acontece que a cabeça do ser humano masculino está ainda num processo de evolução com pequeno atraso, segundo meus cálculos, meus estudos, de cinco mil anos. A cabeça do homem não evoluiu nos últimos cinco mil anos! Não que eu estivesse presente esse tempo todo para fazer esse estudo, não é? Mas eu fui estudando. O que o homem age hoje, ele agia há cinco mil anos atrás. E o senhor e a senhora vão entender muito bem o que eu vou falar agora: 



Há cinco mil anos atrás, o homem sabia que tinha que arranjar comida pra pôr em casa. Então ele saia com os seus bichinhos, cachorrinhos, para caçar e tinha uma ideia na cabeça... Por isso o homem não consegue fazer duas coisas ao mesmo tempo. Dificilmente você consegue ver um homem rezar o terço e andar. Ou uma coisa ou outra. Ele confunde. Ele não sabe se deu um passo ou puxou uma conta do terço. Isso aí é um problema sério, né? Essa é diculdade natural que ele tem! 

Então, o homem pensava: 'Eu preciso pôr comida. Eu tenho que caçar um bicho.' Então eu vejo o bicho e direciono a minha mente pra caçar o bicho. E pode ver que é o que ele faz. 

A mulher não... A mulher como tinha que cuidar dos filhos, aprendeu a ir contornando as coisas. Achando caminho. Não é assim? Em casa não é assim? O homem não... Até hoje. Ele senta dentro do carro e vamos, vamos, vamos! Não interessa nem se está na estrada errada. Interessa que já está lá no 130... E tá lá. E ai da mulher se falar! 

Agora, tem mulher também que Deus o livre! Atazana! Porque o marido chegou um dia, ela estava fazendo almoço, ele falou: 

- Escuta, vira a panela mais pra cá. Vira o cabo da panela pro outro lado. Olha, põe mais fogo ali dentro. Tá faltando água no arroz.

- E por que você tá falando isso assim? 

- Isso  é o que você faz comigo quando eu estou dirigindo! Tá vendo como é ruim? 

Então, o homem e a mulher precisam aprender que um tem que sair do mundo do outro! O que Jesus falou aqui é revolucionário demais! Jesus está nos ensinando que o homem vai encontrar sua identidade masculina, não é com outros homens. Porque com outros homens ele só vai aprender técnicas de caçar mais rápido. Técnicas de caçar com eficiência. É com a mulher que ele vai aprender a contornar. Engraçado que a natureza sabe fazer isso! Olha o rio: o rio parece masculino, mas ele é feminino. Por isso ele é acolhedor. Por isso ele está sempre atrás de novidade, andando, se mexendo, se movimentando... Tem uma meta lá longe. Ele vai contornando.

O homem age no ímpeto. Na força...

Padre Léo

Trecho da pregação "Conhecer para melhor amar".

Para adquirir essa pregação, clique aqui

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Nós pertencemos ao Senhor

"Eu preciso descobrir de quem eu sou. Nunca pergunte: 'Quem sou eu?'. Pergunte: 'De quem sou eu? A quem eu pertenço?'. Nós pertencemos ao Senhor quer a gente viva no pecado ou na santidade. Nós pertencemos ao Senhor! Quer a gente esteja na vida ou na morte. Nós pertencemos ao Senhor porque Ele comprou cada um de nós por um preço muito elevado! Olhe para a cruz."



Padre Léo

Trecho da pregação "Libertos por Jesus". 

Para adquir esssa e outras pregacões, livros e homilias de Padre Léo, além de produtos da Comunidade Bethânia, clique aqui. 

domingo, 21 de agosto de 2016

Jesus nunca fez nenhuma pergunta sobre o passado de nenhuma pessoa

"Estamos a 20 minutos do Ano Novo. Para nós, cristãos, não pode ser só uma mudança de calendário. Para eu acolher o Ano Novo, eu preciso entregar para Deus o ano velho. Por isso que hoje, na missa, traga o seu calendário. Nós vamos queimar o calendário no Ato Penitencial. Se você quer fazer a linda experiência de não perturbar o seu coração, entregue o seu passado para Deus. Eu sei que muitos aqui tem experiências difíceis do passado… Sei que muitos aqui sofreram violência, cometeram erros, usaram drogas, se prostituíram, foram injustos, machucaram as pessoas, se machucaram...




Mas meu irmão, você quer deixar o passado continuando a estragar sua vida? A grande ordem de Jesus: 'Não se perturbe o vosso coração', para um dos piores pecadores é 'Não olhe para trás'. Não é por acaso que Jesus, jamais, em nenhuma circunstância fez nenhuma pergunta sobre o passado nenhuma pessoa, por pior que ela foi! Nenhuma. Nunca! Aliás, essa foi a experiência que mais tocou meu coração de jovem e continua tocando o meu coração de padre: a certeza do Evangelho, Jesus nunca fez nenhuma pergunta sobre o passado de nenhuma pessoa. E olha que Ele teve contato com pessoas que cometeram pecados, que se juntar os pecados de todos nós aqui, não dá um deles…"

Padre Léo

Trecho da pregação Não perturbe o vosso coração

Para adquirir essa pregação, clique aqui

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Rezando com Pe. Léo - Oração final da pregação "Libertos por Jesus"

"Meu irmão, minha irmã, hoje você é chamado a ter um encontro pessoal com Jesus Cristo, o único que de fato pode arrancar a sua vida de todas aquelas amarras conscientes ou inconscientes. Amarras do passado. Amarras do presente. Amarras na área física, psíquica, seja ela qual for... Aquelas cordas... Que sejam cabos de aço. Talvez você esteja sentindo que o que está prendendo você seja um grande cabo de aço. Que você está amarrado demais. Que você se sente impotente. 


Eu queria dizer a você, meu irmão, que louvado seja Deus se hoje você conseguir se convencer que é impotente para vencer essa amarra na sua vida. Triste de você se você acha que sozinho consegue vencer.

O primeiro passo para um filho nosso, em Bethânia, de fato se libertar das drogas, do alcoolismo, é conscientizar-se: 'Eu sou dependente químico. Eu sou viciado na droga. Eu sou viciado em sexo. Eu sou viciado em mentira.' Assuma: 'Eu sou!'. Sem nenhuma justificativa. Não adianta: 'Eu sou viciado porque meu pai se fez isso, porque minha mãe…'. Corta tudo isso! Não tem justificativa. Enquanto tem justificativa você não assumiu ainda sua impotência. Assuma sua impotência: 'Eu sou impotente! Eu não consigo! Senhor, eu não consigo me libertar! Eu não consigo. Eu já tentei. Eu já fiz de tudo. Eu já rezei, plantei bananeira no espírito e eu não consigo. Eu sou fraco. Eu sou impotente!'.

E, ao lado disso, um passo fundamental, que eu não sei se é junto ou junto com esse, o primeiro: eu quero me libertar! É uma decisão! Aqui, agora, eu pego a minha liberdade, Senhor! Não interessa se minha liberdade está marcada, ferida, machucada pelo pecado. Não me interessa, Senhor. Eu quero me libertar! E esse passo você pode dar hoje também. 

Assim como a nossa salvação, a nossa redenção aconteceu e foi realizada em plenitude no silêncio da cruz do Senhor... Hoje também você pode, aí na sua casa, aqui nesse Rincão, embaixo dessa árvore, sentado nessa cadeira, sentado em frente ao seu computador... Agora pode ser nesse lugar que você se encontra, O lugar mais sagrado da terra, o santuário de Deus, onde você acolhe Deus, um Deus que chega até você e diz: 'Eu esperei muito, muito, muito, muito esse momento. Eu aguardei muito esse momento. Eu desejei ardentemente esse momento para derramar sobre você o meu amor infinito.' Agora onde você está pode ser o novo Calvário, onde o Cristo diz: 'Olhe para a cruz. Foi por ti!'. E Ele diz seu nome. 'Não foi pela humanidade inteira, não! Eu morri foi por ti!'. Você, tu, cada um de nós, no nosso jeito de  olhar, no nosso jeito de pecar... 

Senhor, eu tenho andado mergulhado no pecado. Eu tenho alimentado os bezerrinhos do pecado, Senhor! E alguns dos meus pecados já se tornaram touros fortes. Mais forte do que eu, Senhor. Que me derrubam, Senhor! Eu tambem tenho levado muita chifrada desse touro, Senhor! Eu tenho chegado em casa ferido, machucado, com coração despedaçado, pisoteado... 

Senhor, alguns dos meus pecados já cresceram demais. Eu sou impotente, Senhor. Nesses anos que eu tenho vivido, Senhor, eu tenho experimentado... Meu pecado tem sido maior. O ódio tem sido maior, a mentira... A pornografia tem sido maior, Senhor! Eu tenho sido amarrado, Senhor, feito um carneiro, feito um bezerro. Um bezerro que vai pro matadouro. É assim que o pecado me leva, Senhor! 

Eu não aguento mais, Jesus! Eu não aguento mais viver essa vida de fechamento em mim mesmo. Do meu coração tem fluido, Senhor, rios de água morta, fedida, poluída, água de enchente... Água cheia de lodo, Senhor. Eu estou parado, Senhor, feito um rio que não caminha. E por isso nessa água parada vai surgindo dengue, vai surgindo pernilongos, mosquitos, cobras... Sujeiras demais, Senhor! Mas hoje eu quero ter esse encontro contigo, Jesus!  Eu quero que seja hoje o primeiro dia de fato do resto de minha vida. O único dia da minha vida, Senhor! Eu quero e eu desejo, Senhor! Eu desejo e, mais do que isso, Senhor, eu preciso. Hoje, Jesus, eu quero me colocar inteiro naquela gota d'água que é jogada no cálice para me perder no seu sangue, Senhor! Senhor, eu necessito da tua misericórdia! Eu quero me encontrar contigo. Eu marco Senhor já, contigo, encontro às três horas... A hora da misericórdia. E até lá eu quero ir preparando meu coração, Senhor, para colher essa libertação que o senhor me oferece hoje. 

Hoje eu quero jogar, Senhor, no Teu coração rasgado a minha dependência química. Esse vício, Senhor! A minha impureza! Todos os meus pecados da área sexual. Todos os meus pecados afetivos, Senhor. Ira, ódio, raiva, briga, aspereza, malícia, maledicência... Quero hoje entregar, Senhor,  no Seu coração todos os meus pecados ligados ao dinheiro. Toda a ganância. Toda a prostituição. Todo espírito de lucro. Todo consumismo, Senhor. Tudo aquilo, Senhor, que me impede de entrar no Seu reino. Eu me entrego, Senhor. 

Mas é preciso que você se  coloque ali embaixo da Cruz, meu irmão, para sentir o Senhor olhando para você. O Senhor realizando agora! Esse é o momento! O texto de São Paulo nos disse duas vezes: 'É agora! É agora!'. Não é para depois. É agora que começa sua nova história. Porque agora Jesus olha para você e, do Seu coração rasgado, Ele faz fluir no seu coração o amor, a cura, a libertação… Acolha! Acolha essa cura. Acolha essa libertação. E para isso só depende da sua vontade de dizer: 'Eu quero, Senhor! Eu desejo, Senhor! Eu preciso, Senhor!'. 

Padre Léo


Oração final da pregação "Libertos por Jesus". 

Para adquir esssa e outras pregacões, livros e homilias de Padre Léo, além de produtos da Comunidade Bethânia, clique aqui. 

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

O caixote das drogas

O encardido sabe que é preciso destruir o jovem. O jovem precisa acreditar que não vale nada! O jovem precisa acreditar que a beleza e a força dele vêm de fora: da roupa, do dinheiro, do carro, da droga. E o jovem vai entrando nesse mundo. Porque ele tem esse desejo desse menino... Ele quer ser feliz! No fundo do nosso coração, diariamente a gente repete: "Eu quero ser feliz!" Consciente ou inconscientemente. Tudo aquilo que a gente faz é: "Eu quero ser feliz!" E o encardido sabendo disso se aproveita muito da sociedade. A sociedade hoje está criando uma raça de jovens fracos, derrotados. Crianças fracas e derrotadas. No Brasil hoje fala-se que tem 16 milhões de dependentes químicos. Desde a maconha até a pior de todas as drogas, a mais terrível, a que mais destrói, que é o álcool. Eu acho que o álcool é hoje a arma número um do encardido. É por aí que ele começa a seduzir o jovem. Porque o álcool pode atingir desde o jovem da classe mais alta com as bebidas mais caras, até o jovem da classe mais baixa com as bebidas mais baratas.



O Brasil tem a bebida destilada mais barata do mundo. Aí o governo devia criar imposto! Devia ser uma fortuna um litro de cachaça. Mas esses grupos que estão a serviço do encardido são os que fazem produzir a cachaça barata. Que destrói, que despersonaliza, que mata famílias inteiras. Começa a matar já a criança quando o pai é alcoolátra. E a criança nunca pode chegar perto do pai e quando chega é aquele bafo medonho. E ele não consegue falar. Como é triste ver um alcoolátra caído! Mas como é que começa isso? Às vezes dentro de casa. Tudo quanto é festinha, e as vezes até festinha de igreja... "Ah! O que é que tem uma cervejinha?" Eu acho que é por isso que Deus não abençoa muitas festas de igreja. Eu acho! Pela incompetência de se fazer uma festa onde a alegria venha única e exclusivamente de Deus. Nós temos salões comunitários que foram construidos a poder de brigas porque vendiam cerveja e cachaça. É por isso que esses salões hoje estão todos cheios de teia de aranha! É preciso que a igreja comece a pensar no problema que é uma doença já desde 1957, se eu não me engano, reconhecido pela Organização Mundial da Saúde como uma doença. Uma doença grave! 

Vocês vejam bem, gente: um pobre não encontra quem lhe dê um pão. Um pobre não encontra quem lhe dê um prato de comida. Mas encontra alguém que lhe pague um gole de cachaça! 

Tudo quanto é festinha de jovens hoje, de adolescentes... Impressionante o número de adolescentes... Hoje há até uma campanha bonita entre os jovens... Na minha época não, na minha época era moda fumar! Hoje há uma campanha entre os jovens, entre as crianças, contra o cigarro. Ótima campanha. Mas o cigarro não é um milésimo da destruição, gente, que um gole de cachaça, um gole de cerveja que entram e grudam no seu organismo e vão lhe despersonalizando e lhe destruindo. Hoje é preciso que os jovens, de modo especial os jovens cristãos, as televisões cristãs, as rádios cristãs comecem a fazer uma campanha contra o álcool. Pra dizer pros donos dos botecos que existe jeito sério e honesto de ganhar dinheiro. E eu digo isso por experiência própria porque eu sempre gostei de beber cerveja. Eu tinha casas de amigos onde eu chegava e eles já tinham ido comprar cerveja porque sabiam que eu gostava. E eu sei que não é fácil dizer não!

Padre Léo

Trecho da pregação: Os caixotes das drogas.

Para adquirir essa pregação, clique aqui