Louvor a Deus pelo seu eterno amor!

“Minha força e meu canto é o Senhor, Ele foi minha salvação.
Gritos e júbilo e de vitória, ressoam nas tendas dos justos.
A mão direita do Senhor fez maravilhas...” (Salmo 117/118)

Este salmo é um convite a louvar a Deus pelas maravilhas que Ele fez ao seu povo. Hoje é um continuado grito “Hosana”. Aconteceu, neste final de semana, sede da Canção Nova, em Cachoeira Paulista, o “Hosana Brasil”. Milhares de fiéis se reuniram, mais uma vez, para louvar, agradecer e bendizer ao Senhor pelas graças recebidas durante o ano que passou.

O missionário da Comunidade Canção Nova: Alexandre de Oliveira, em sua pregação, com o tema: “A perseverança nos conduz à vitória”, nos falou sobre perseverar na fé. “A Palavra de Deus, em Hebreus, capítulo 10, diz que a perseverança é importante para cumprirmos a vontade de Deus e ela nos leva a tomarmos posse daquilo que o Senhor nos prometeu”. 

Diz ainda o missionário:“A nossa perseverança precisa ser alimentada por uma boa memória.
Eu não sei o que você já viveu, mas a sua vida não é feita somente de coisas ruins, dores ou perdas...O povo que tem boa memória é abençoado por Deus. Precisamos nos lembrar das coisas boas que já aconteceram em nossa vida”.


O Centro de Evangelização Dom João Hipólito de Moraes, o “Novo Rincão”(CN), foi o palco de um grande acontecimento, na festa do “Hosana Brasil” em 2006. Está vivo em nossa memória e no coração, aquele dia 09 de dezembro.
Quem confia no Senhor, faz florir na secura do deserto, com a força da esperança e da fé. Padre Léo estava ali, desejou ardentemente estar ali, mesmo fragilizado pela doença, chorou, se emocionou, mas tinha que testemunhar o amor de Deus em sua vida. Após a pregação foi assistido pelo seu médico Dr. Roque Savioli.

Ter fé e crer em Deus importa em aceitar o que Ele nos diz nas Escrituras, crer em suas promessas e agir de acordo com a Palavra. O câncer terrível tirou tudo do padre Léo, menos a sua fé. Com a fé viva, a fé na Palavra de Deus, creu naquilo que era promessa do Senhor.

Alexandre relembra aquela memorável pregação: “Buscai as coisas do alto”.
“Na última pregação do padre Léo eu estava na plateia, chorei com o seu testemunho.
Em um momento ele diz:’ Eu sabia que precisava estar aqui, neste dia, para cantar a vitória de Deus em minha vida. O câncer tira tudo de nós, tira a nossa dignidade. Nós nos tornamos como um ”trapo” em cima da cama […]. Mas permanece a fé. Essa ninguém tira, nem o encardido. Quem tem fé não perdeu nada, pois ela nos projeta quando estamos mais cansados e doloridos’”.

Com emoção falou-nos de sua visita ao Centro Cultural e Memorial padre Léo:
“Fui ao Memorial padre Léo, aqui em Lorena, bem pertinho daqui, logo na entrada. Fiquei emocionado quando vi a camisa do padre Léo, a Bíblia que ele grifava...”

Padre Léo encontrou a sua razão de ser no projeto que Deus tem para todos nós: a eternidade. Por isso Alexandre finaliza sua pregação nos dizendo: “Olhemos para o passado com gratidão e não com tristeza, digamos “Hosana” pelo nosso passado”.
Só assim caminharemos como o povo de Deus no deserto esperando a terra da promessa.

“Existe uma meta para nós, uma terra prometida chamada: Céu”. Rumo à Pátria Celeste, vamos caminhando louvando e glorificando a Deus!



Compartilhe:

Vida Restaurada!

“Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz”

Podemos compor a nossa história. O homem é livre para obedecer ou não ao projeto de Deus.
Essa estrofe da música: Tocando em frente (Almir Sater) é uma grande verdade na vida do jovem Douglas, que vivia mergulhado nas drogas já havia cinco anos. Perdeu grande parte de sua adolescência e juventude, sem metas, sonhos, projetos.



Se quisermos viver coerentemente o Evangelho temos que crer que existe esperança, que a escuridão do mundo é apenas uma sombra que vai passar.
“Encontrei na Comunidade Bethânia, o acolhimento e a ajuda de que eu necessitava. E foi na manhã de 25 de dezembro de 1999, que Jesus, sendo o aniversariante, me presenteou com uma vaga no recanto de Curitiba”.

A confissão é instrumento de cura quando temos a certeza de que o Pai sabe que somos fracos, mas está disposto a nos perdoar e nos ajudar a recomeçar. É o toque do amor de Deus a todos aqueles que se aproximam desse Sacramento obtendo o perdão de todos os seus pecados, pela misericórdia divina.
Um fato marcante na vida de Douglas, o filho recém chegado na comunidade: Padre Léo, atendendo-o  em confissão, ao final, o jovem queria saber sobre a sua penitência. O padre saiu com ele para fora, fez com que ele olhasse à sua volta: os pássaros, animais, plantas, as flores, e disse-lhe: ”Viva!”.
Mais tarde, já consagrado ele nos dá um lindo testemunho: "...a vida que tenho levado em Bethânia ao longo desses anos é bem melhor do que eu esperava e sonhava... sinto com muita intensidade a presença de Deus em minha vida através das pequenas grandes coisas que ele realiza em mim e através de mim na comunidade...”

Todas as experiências negativas pelas quais passou foram desaparecendo, porque pode sentir o toque do amor de Deus, e perceber esse amor, de maneira única. Trabalhando com os animais foi muito importante no seu processo de restauração.
“Padre Léo é uma pessoa super coerente, por isso a sua palavra tinha muito peso.
Ali descobri o quanto ele gostava de ficar com os filhos, trabalhando, roçando pasto com a gente”.

Conversão diária, é renovar a cada instante um compromisso com Jesus. Um privilégio para Douglas foi conhecer a Terra Santa, em 2005, com padre Léo,  como diretor espiritual, onde pode renovar seu batismo no rio Jordão.

A sua fé o impulsionou a seguir em frente, não desistir nunca. Então o Senhor pode operar em sua vida. Só em Jesus vemos o amor desabrochar, a transformação de uma vida digna de filho (a) de Deus. “Morei 11 anos em Bethânia, fui superior de recanto, formador dos aspirantes, cursei teologia, na Faculdade Dehoniana em Taubaté”.
Nesse tempo conheceu Sissa, a sua esposa, e para a alegria da família, um filho de seis anos.

O Senhor entra em nossas vidas para reconstruir as ruínas do templo, os escombros que sobraram da demolição. Faz brotar vida nova, reconstrói tudo, restaurando o seu templo. Jesus veio, entrou em sua vida, rompeu as barreiras das trevas, o resgatou.
Muitas vezes é preciso abrir mão de outros projetos para fazer a vontade de Deus e se entregar inteiramente ao serviço do Senhor.
Hoje, Douglas Waismann trabalha numa indústria de portas, é ministro da Eucaristia.
Fazendo a caminhada para a escola diaconal (diácono permanente) ele assume esse amor de forma concreta, no serviço a Deus e aos irmãos.

A Comunidade Bethânia acolhe num abraço todo aquele que deseja uma vida nova, uma vida restaurada!









Compartilhe:

Programa "Tenda do Senhor" em Aracaju

Em 30 de junho de 2002, o Brasil conquistou pela quinta vez o título mundial (Copa do Mundo de Futebol), depois de derrotar a Alemanha na final (2X0). Na segunda feira, dia 01 de Julho aconteceu o programa “Tenda do Senhor”, animação: Flavinho, através da TV Canção Nova, missão de Aracaju (Sergipe). O comentário da noite: Brasil, Pentacampeão.


Padre Léo nos fala de Luiz Felipe Scolari, treinador, mais conhecido como Felipão, nascido em Passo Fundo, a 09 de Novembro de 1948. E de sua equipe, que sob o seu comando, formou-se uma família, em Jesus.
"Nós temos que ter a alegria de comemorar o Brasil cinco vezes campeão do Mundo. Ninguém acreditava na vitória dessa seleção. Felipão foi, o tempo todo, chamado de burro, eles o mostravam na TV, ridicularizando-o, quando ia à missa. 
Todo mundo dizia que ele estava errado em escalar esse ou aquele jogador. E foi a melhor seleção de todos os tempos”.
E aproveita a oportunidade para nos exortar:“Se vencemos no futebol, há outras copas, se unido a gente vence, no amor, na verdadeira caridade, na justiça desse país".

Uma breve introdução para receber um convidado ilustre:
"A nossa grande alegria, além de pertencermos a uma nação que é Penta, pertencemos a uma nação que nasceu em Pentecostes, a Igreja de Jesus. Estamos unidos com o Papa, mais que um seguidor dos apóstolos, mas um sucessor dos apóstolos.
A Igreja de Aracaju é a Igreja de Jesus Cristo porque tem à sua frente um sucessor dos apóstolos".

Dom José Palmeira Lessa, na ocasião, arcebispo emérito da Arquidiocese de Aracaju.
"Quero  saudar a cada um de vocês..."

Sobre o jogo, disse:
"Fiquei tão feliz! O primeiro tempo ouvi no meu carro, já o segundo estava diante da TV e vibrei com o povo brasileiro. Os alemães, bem organizados em campo, com frieza e técnica, parecia que iriam nos dominar, mas a agilidade, a malandragem, a criatividade e depois o conjunto de toda a equipe,  um futebol tão bonito, superando aquela organização alemã, deu a alegria ao povo brasileiro com este Pentacampeonato".

As pessoas vestidas de verde/amarelo, restaura essa Pátria, expressa padre Léo:"Quando nós perdemos a noção de que pertencemos a essa Pátria, pouco a pouco vamos perdendo a dimensão da Pátria Celeste".


Quando nos unimos a Deus, levamos conosco uma comunidade unida, diz Dom Lessa.
"Felipão é um homem de fé. Observaram os jogadores ao final? Colocaram-se de joelho, ali louvavam e agradeciam a Deus pela vitória, com o coração feliz.
A união do grupo depende da liderança maior, do que vai em seu coração. Unido a Deus, procura unir os outros. A pessoa que ama a Deus consegue transmitir esse amor aos outros. Felipão, homem profissional do futebol age na força da fé".

Mais uma vez, Felipão, 70 anos, este homem que dá testemunho de sua fé, este líder com brilho próprio está em ação. Neste domingo, dia 02/12/2018, o Palmeiras ergue a taça do Campeonato Brasileiro. A sua equipe de jogadores, sob o seu comando,  conquistou antecipadamente o décimo título brasileiro.
Depois  de tudo o que disseram sobre o Felipão concluímos que ele é um exemplo a ser seguido. Precisamos fixar nossos olhos na pessoa de Jesus e naqueles que seguem os seus passos.




Compartilhe:

Pregação: É preciso ser como as crianças

Esta semana um episódio nos chamou a atenção: uma criança autista invadiu a Sala Paulo VI e a sua peraltice arrancou risadas dos presentes, inclusive do Papa Francisco.
Diante da espontaneidade do menino, o Papa Francisco disse, em espanhol:
“Esta criança não consegue falar, é muda. Porém, sabe comunicar, sabe se expressar. E tem uma coisa que me fez pensar: é livre, indisciplinadamente livre. Porém livre. E me leva a pensar: também eu sou livre diante de Deus? Quando Jesus diz que devemos nos comportar como crianças, nos diz que devemos ter a liberdade que tem uma criança diante de seu Pai...”


“Deixai vir a mim estas criancinhas e não as impeçais, porque o Reino dos céus é para aqueles que lhe se assemelham”(Mt 19,14).
Nesse contexto, a pregação do padre Léo: “É preciso ser como as crianças”, do Acampamento de Carnaval, 24/02/2001,Canção Nova, em Cachoeira Paulista, vem de encontro às palavras do Santo Padre. A belíssima reflexão do Evangelho de São Mateus (capítulo 19, versos 13 a 15 ), deixa claro todo o cuidado que devemos ter com as nossas crianças. Acolher uma criança significa receber o Reino de Deus de maneira singela, humilde, confiante. É ser livre diante de Deus. Temos que ter um coração de criança para aceitarmos Jesus Cristo como nosso Salvador e Senhor.“O Evangelho nos fala que precisamos ser como as crianças”.


Padre Léo nos faz a pergunta: “Quais seriam as qualidades da criança que devemos ter?”  
Uma delas é a espontaneidade: “A criança escuta uma música e começa a dançar”.

Mais alguns atributos:
“A criança fala o que pensa, por isso que ela faz a mãe passar vergonha. Será que falamos com Deus aquilo que pensamos e sentimos? Ou a nossa oração é a oração de um Deus longe e distante?

A criança confia. Se o pai pede para pular em seu colo, ela pula, porque ela sabe que ali é o lugar mais seguro. Será que confiamos em Deus como criança?

A criança é capaz de deixar de ir ao banheiro porque ela se entretém com seu brinquedo. Será que somos capazes de nos entreter na oração em Deus? Será que estamos inteiro em Deus quando oramos?

A criança não mente, não tem malícia, não pensa bobagem. Será que não é isso que o Evangelho quer nos dizer, diante de um carnaval prostituído, que vai prostituindo a cabecinha de nossas criança?

A criança aprende aquilo que o adulto ensina. Será que aprendemos aquilo que Deus nos ensina?

A criança chora. A mãe lhe dá um doce, e cessa o choro. E você, para de chorar na hora ou fica fazendo oração de lamúria? Tem gente que fica choramingando a vida inteira”.

Ao final da pregação, padre Léo nos exorta que é preciso aprender com as crianças, senão, não entraremos no Reino de Deus.”Educamos nossas crianças para o preconceito, para a mentira...Tem uma coisa fabulosa na criança que nós perdemos: a capacidade de se maravilhar diante das obras de Deus. É preciso ser como criança para perceber a beleza de Deus em nossa vida!”

Estamos às portas do Advento. É o próprio Cristo que chega, que vem ao nosso encontro através do pequenino. Por isso devemos ter olhos e ouvidos abertos aos seus apelos.


Compartilhe:

O mal das fofocas

Vamos falar de fofoca? Aliás, vamos não falar fofocas? Vamos aprender com os ensinamentos de padre Léo a evitar que esse pecado se instale em nossa vida? E, principalmente, que ao cometermos esse pecado, prejudiquemos a vida do outro? 

Na pregação Jovens restaurados, de 13.11.1999, padre Léo nos conclama a renunciar à mentira:




“Essa é a pedagogia do mal, malígno, do encardido: apresentar a mentira como se fosse a verdade. Renunciai à mentira, às pequenas mentiras! Jovem, quando você começa a entrar no caminho da mentira, você está abrindo uma grande porta pra ação do inimigo.”

Ele é categórico ao nos alertar sobre o mal da fofoca:

“Sabe qual o pecado mais grave que a gente comete? Denegrir a imagem do outro. Se tem um pecado que o encardido adora: falar mal do outro.”

Usando o recurso do bom humor, sempre presente em suas pregações, contou a História do tapete de entrada do Inferno




“Uma vez teve um grande santo chamado padre Léo... E ele teve uma visão do inferno. Eu tive a visão do inferno. A entrada do inferno parecia o avião da Tam. Um tapete vermelho. Um dia no Aeroporto, eu vi aquele avião... 
Um dia no Aeroporto, eu vi aquele avião... Aquilo deve ter ficado na minha cabeça. Aquele tapete bonito que a Tam põe pros passageiros, né? Agora a RioSul tá pondo tapete azul também pra nós. Aí eu fiquei olhando aquilo e imaginando... Eu tive a visão do inferno. Eu não vi lá dentro, graças a Deus! Só vi a entrada dele. A entrada do inferno era um corredor enorme feito de tapete vermelho. E quando eu cheguei perto, eu olhei,  aquele tapete não era feito de uma peça só. Ele era juntado. São várias pessoas costuradas. No que me aproximei, me espantei e descobri: a entrada do inferno é um tapete feito de língua de carismático, linguarudo e fofoqueiro. É cada língua! Será que a sua tava lá? Eu tentei achar a minha fácil lá... A minha é fácil, que é toda partida, fácil de identificar.”

E nos ensina que, ao renunciarmos a falar mal do outro, fechamos a porta para que o encardido entre em nosso coração:

“O inimigo entra em nosso coração quando começamos a falar mal do outro. Você pode ter certeza absoluta, quando você for comentar o defeito de alguém, você nunca está sozinho: é a entrada do encardido.”

Nos conta a  História do teste das três peneiras: a da verdade, a da bondade e a da necessidade. Além de incluir uma quarta: a da misericórdia! Com essas peneiras seguimos a trilha da cura interior para não cairmos na tentação do pecado.




Com sua sabedoria nos mostra, em diversos trechos,  o mal de falar da vida alheia: 

“Fofoca... Meu Deus, como as pessoas gostam de fazer fofoca. Mas não tem nada a ver com a sua vida! Meu Deus, como se destrói a honra, a moral de uma pessoa! Um vai falando... E passa pro outro e não para pra pensar.”

“Cristão tem que ser diferente. Gente, não tem arma que pode destruir mais uma família, um grupo, uma comunidade, do que fofoca! Eu não acredito que alguém que diz que é batizado no Espírito Santo e faz fofoca. Não acredito! Uma pessoa que ora em línguas não pode usar a língua para fazer fofoca.”

“Tem que acabar com fofoca. É isso que destrói. Quem faz fofoca está dando entrada ao encardido. E vocês, jovens, cristãos renovados, têm obrigação de ser diferente!” 

Padre Léo ensina segredo para não fazer fofoca: “Mateus,16 (Não deixem de ler o versículo bíblico e também assistir a pregação para entender o contexto)

Padre Léo conta a história do rapaz que vai se confessar porque fez fofoca e a penitência que recebe do padre. É a famosa História das penas que voam, que nos ensina a consequência do mal irreversível que fazemos ao falar mal do outro:



E nos revela o carimbo para a vida eterna: 

“O nosso selo para a vida eterna é o Espírito Santo. E a gente entristece o Espírito Santo quando palavras pecaminosas saem da nossa boca. Palavra má, fofoca, calúnia, palavrão... Ah, não me conformo!

A pregação Jovens restaurados está  na íntegra disponível no YouTube, no canal Canção Nova Play. 
Compartilhe:

Léo Tarcísio é o seu nome!

Perseverar na oração significa ter a certeza do amor de Deus, mesmo diante da mais terrível situação em que estamos vivendo, e crer que Ele é capaz de nos curar, nos dar muitas alegrias.
Um milagre aconteceu na vida de Louise, da cidade de Pindamonhangaba-SP.
Impedida de engravidar devido a uma enfermidade, começou então, a pedir a intercessão do padre Léo, para alcançar a graça da maternidade.


“Desde 18 anos tenho prolactina alta”.
Prolactina é o hormônio do leite humano. A sua  presença no sangue em alta dosagem, pode trazer sérias consequências à saúde da mulher.
“No decorrer dos anos, ela aumentou e com 28 anos em decorrência de uma depressão ela subiu  ainda mais”.

O tempo passou  e Louise foi diagnosticada com um tumor na hipófise chamado de Adenoma de hipófise, que é um crescimento anormal das células da glândula hipófise, responsável pela produção de diversos hormônios. Seguiu a risca as ordens médicas, comportamento de quem está disposta a sacrificar seus próprios interesses.

“Foi então que, comecei a rezar com muita fé, pedindo a intercessão do padre Léo”.
A oração de intercessão àqueles que participam da comunhão dos santos, nos dá a certeza absoluta de que podemos pedir e receber o seu auxílio, pois, já estão na glória, e que podem interceder junto ao Pai por todos nós.
Deus traçou um itinerário e foi conduzindo-a para o caminho da liberdade e vida.

Em junho desse ano de 2018, descobri a minha gravidez. Fiquei apreensiva, pois, precisava continuar o tratamento”.
Chega um momento em que somos obrigados a acatar tudo o que Deus preparou para a nossa vida. A fé exige humildade.
 “Com medo de que o medicamento forte afetasse o desenvolvimento do bebê, rezei com mais determinação e fé, pedindo a intercessão do padre Léo junto a Deus. E veio ao meu coração a promessa de que, se fosse menino, o seu nome seria Léo Tarcísio”.

A força do Deus da Vida está em Louise, a partir de sua fé vivida, na sua luta em não se mostrar fraca diante daquela enfermidade. Ela sabia que para ser curada tinha que dar esse passo, tinha que crer no Poder do Senhor para a sua vida e alcançar a Graça.
A manifestação de Deus se dá, quando acreditamos na força da oração, na força da intercessão, só então, Ele nos ensina o melhor caminho.
Hoje, ela está com 22 semanas de gestação e em homenagem ao nosso saudoso padre Léo seu filho se chamará Léo Tarcísio.
O Senhor faz a obra completa: a sua prolactina está controlada sem o uso do medicamento.

Essa é a experiência que precisamos fazer. Viver uma fé viva, não ficar de braços cruzados, esperando Deus operar. Orar com fé pelas nossas necessidades, quem pede recebe, quem busca encontra. Assim diz o Senhor.
Deus nos cura, nos liberta para manifestar o seu grande amor por nós. Louise visitou o Centro Cultural e Memorial Padre Léo em Lorena- SP, inaugurado recentemente, onde serão entregues os testemunhos que fazem parte do processo de Beatificação do padre Léo.

Não temos dúvida de que através da intercessão do padre Léo junto a Deus, as pessoas já alcançaram, estão alcançando e alcançarão muitas graças.
Deus seja louvado!  




Compartilhe:

Arquivo do blog

Postagem em destaque

Gratidão: 10 anos do Blog Padre Léo Eterno!

Olá, queridos e amados irmãos em Cristo Jesus.  Começamos novembro celebrando uma década de blog. Há 10 anos, em 16 de novembro d...