quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Padre Léo - Rezando a Vida



01.12.2008
REZANDO A VIDA:
Pela oração permitirmos que realmente o senhorio de Jesus atinja todo o nosso ser...
Categoria: Pe. Léo, SCJ

REZANDO A VIDA:

“Vós vos despistes do homem velho com seus vícios, e vos revestistes do novo, que se vai restaurando constantemente à imagem daquele que o criou, até atingir o perfeito conhecimento”( Cl 4,9-10).

Daí também a insistência bíblica da necessidade de orar em todas as circunstâncias (cf. 1 Ts 5,16; Lc 18,1; Rm 12,12c).

Orar é se colocar inteiramente na presença do Senhor. Só em estar na sua presença já estamos sendo curados, restaurados e libertados. Do mesmo jeito que basta a gente ficar exposto ao sol para ir pouco a pouco sendo bronzeado. Ele, o sol nascente que nos veio visitar (cf. Lc 1,78-79), vai iluminando todas as nossas trevas interiores e nos libertando de toda sombra de morte, além de dirigir nossos passos no caminho da paz (no caminho da cura interior).

A oração de cura interior vai nos libertando, nos sarando e santificando. Ser curado é ser sarado! Ser sarado é ser santo! E Santo é aquele que tem a verdadeira capacidade de amar: dar e receber amor segundo o coração de Deus (cf. Jo 13,34-35).

Pela oração pessoal vamos permitindo que se realize e aconteça o senhorio de Jesus em todas as áreas de nossa vida: tudo aquilo que somos, fizemos, sabemos, lembramos, esquecemos, consciente, subconsciente e inconsciente. Pela oração, o Pai vai “iluminando os olhos do nosso coração, para que compreendamos a que esperança fomos chamados e qual rica e gloriosa é a herança que ele nos reserva, e qual a suprema grandeza de seu poder para conosco que abraçamos a fé”(Ef 1,18-19).

 Pela oração permitirmos que realmente o senhorio de Jesus atinja todo o nosso ser e até mesmo a nossa oração. Há uma profunda relação entre a qualidade de nossa oração e a cura interior. Por qualidade de oração entendo aqui: o tempo, a frequência, a persistência, o conteúdo e a seriedade com que vivemos este compromisso. Neste sentido é correto a gente afirmar que a cura interior depende de nossa disciplina interior e espiritual. Então é fácil concluir que, quanto mais necessito de cura, mais preciso me aproximar de Deus pela oração.
O tempo de oração deve ser levado muito a sério. Não adianta nada começar rezando uma hora por dia e depois ir diminuindo até não rezar nem alguns minutos. É preferível começar com alguns minutos e, pouco a pouco, ir aumentando gradativamente o tempo de oração pessoal.

A oração pessoal precisa ser, no mínimo, diária (frequência). Do mesmo jeito que a gente precisa de banho, alimentação e repouso diários, precisamos da oração. Sem oração a gente vai ficando fraco, fedido, e cansado demais.

Se a oração precisa ser diária, é necessário a persistência. E isto exatamente porque se não nos cobramos, acabamos por relaxar no zelo com as coisas de Deus (cf. Rm 12,11-12). A gente não pode deixar para rezar somente quando está com vontade, ou “inspirado”. A gente tem que rezar por necessidade, já que a oração é a respiração da alma. Como o corpo sem ar morre em poucos segundos, o coração sem oração vai morrendo cada dia um pouquinho.


Fonte: Padre Léo scj
Comunidade Bethânia: www.bethania.com.br

Um comentário:

  1. e confortador poder ler e ouvir as palavras do pe leo . que Deus os abençoe .

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!