sábado, 7 de março de 2009

O que é excomunhão?


Tamanha a repercussão e alarde que obteve o caso da excomunhão de médicos que interromperam a gravidez de uma menina de nove anos que foi violentada por seu padrasto, resolvi pesquisar o que de fato significa a excomunhão.


Nada melhor do que pesquisar no Catecismo da Igreja Católica. Transcrevo o que li, no item 1463:

"Alguns pecados particularmente graves são passíveis de excomunhão, a pena eclesiástica mais severa, que impede a recepção dos sacramentos e o exercício de certos atos eclesiásticos. Neste caso, a absolvição não pode ser dada, segundo o direito da Igreja, a não ser pelo papa, pelo bispo local ou por presbíteros autorizados por eles. Em caso de perigo de morte, qualquer sacerdote, mesmo privado da faculdade de ouvir confissões, pode absolver de qualquer pecado e de qualquer excomunhão."



Conclusões que podemos chegar:
  1. Alguns pecados graves são passíveis de excomunhão.
  2. A excomunhão é a pena eclesiástica mais severa.
  3. A pessoa excomungada fica privada da recepção dos sacramentos e de alguns (e não todos) atos da Igreja.
  4. Apesar da excomunhão a pessoa poderá ser absolvida. 
Saiba mais. Leia sobre o assunto, bem esclarecido pelo Professor Felipe Aquino, em seu blog:

A Imprensa tem divulgado que o Sr. Arcebispo de Olinda e Recife, D. José Cardoso Sobrinho excomungou as pessoas que praticaram o aborto na menina de nove anos de idade estuprada pelo padrasto. Na verdade, o Sr. Arcebispo não aplicou a pena de excomunhão aos que praticaram o aborto, ele apenas avisou que essas pessoas estavam excomungadas pelo “Código de Direito Canônico”, que prevê a excomunhão “latae sententiciae” (cânon 1398), ou seja, automática, para quem pratica o aborto ou colabora com a sua execução. 

Leia o artigo completo, clique aqui



2 comentários:

  1. Se esses gêmeos nascessem e, ainda bebezinhos, fossem assassinados covardemente por um médico, todo mundo daria razão ao bispo por excomungar o médico.
    Ora, o aborto é pior do que assassinato, porque a criança inocente na barriga não tem chance nenhuma de se defender, enquanto um bebê já nascido poderia, por exemplo, chorar e alguém vir socorrê-lo antes de ser assasinado.
    O bispo tem toda razão. É preciso que a igreja tome atitudes como essa para que as pessoas entendam que o aborto é um assassinato. Aliás, é pior que um assassinato.

    ResponderExcluir
  2. Com certeza sempre serei contra o Aborto, pois ninguémtem o direito de tirar a vida de inocentes, só DEUS pode fzer isso!
    Deus abençoe a todos!

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!