O Natal que queremos (Padre Vicente)


Que Natal!
No lugar da simplicidade do presépio, a ostentação das vitrines luxuosas. Ao invés da mística das igrejas, o burburinho dos shoppings lotados. Sai a realidade desconcertante de um Deus que se humaniza numa gruta pobre, entra a fantasia de árvores coloridas carregadas de nossos próprios interesses e projeções. Não mais o menino do presépio, símbolo e advento do novo, mas o velhinho bonachão carnavalesco em cetins vermelhos a realizar os sonhos só de alguns. Não mais a espiritualidade feita de silêncio e contemplação, mas o sensacionalismo gritante de programas de televisão arrancando lágrimas passageiras. Para além de um Deus que se faz presente, presentes sem presença, embrulhos sem significado.

Que Natal queremos? Que Natal?
Quero o natal dos evangelhos que na plasticidade das suas imagens nos cumula de esperança. Quero o Natal do amor feito pessoa que nos impulsiona a amar com as mãos em solidariedade. Quero o Natal talhado na fé capaz de nos fazer ir adiante, mesmo no escuro. Quero o Natal feito de família reunida em torno do presépio montado com a participação de todos. Quero o Natal da reza do terço puxado pelo pai e a mãe em louvação à vida. Quero o natal da missa celebrada com dedicação e participada com devoção antes da ceia. Quero o Natal da ceia, não tanto pelas coisas caras a comer, mas pelo prazer indescritível de sentar junto àqueles que amo. Quero o Natal das presenças presentes, onde o Deus presença seja maior que qualquer presente. Quero o Natal que diviniza, no qual fecho meus olhos e contemplo o paradoxo de um Deus que se faz gente para que eu possa ser mais gente. Pensando bem, quero mesmo o Natal da minha infância, Natal de ternura e felicidade, Natal gestado na ingenuidade de minha meninice. Natal que era Natal. Só Natal! E bastava.

Em nome de toda a Família Bethânia desejo a você um santo Natal e um ano novo repleto de realizações.

Fique na paz de Deus!
Com carinho e benção,

Pe. Vicente, scj
Comunidade Bethânia
Compartilhe:

4 comentários:

  1. Meu Natal foi em família, nem tinha lido ainda o texto do Pe Vicente, mas ao ler, vejo como segui o texto dele sem saber, aproveitei cada minuto ao lado da família, nao me arrumei, fiquei em casa com roupa simples curtindo cada sorriso, cada alegria, agradecendo a Deus por ainda ter minha família completa... Que o Menino Deus seja louvado hoje em sua manjedoura... Abraço a todos!!

    ResponderExcluir
  2. No meu ponto de vista... As palavras do Pe. Vicente são bonitas, são cheias de siguinificados, são interesantes, mas não mudam em nada a vida da gente. Pois parece, que au mesmo tempo, ele esta chingando a gente. Dando a impessão que a gente não faz nada para o natal ficar melhor. Natal de hoje é claro! Que a gente esta ultrapassado, e que só o tempo que era crianca é que vale a pena relembrar. Mas não podemos esquecer que o tempo de crianca, é um tempo de inocencia. E pra nós adultos o tempo modificou, e estamos vivendo o consumismo. O Pe. Léo tinha um jeito diferente pra mexer com a gente... Mesmo chamando a gente de anta, que se envolve com essa comilanca. Esse consumismo dezenfreado. Sem nos ofender ele dava seu recado. Para deixar o Cristo nascer dentro da gente. Ai está o verdadeiro sentido do natal. Sem pensarmos no passado e no futuro. Mas vivermos hoje, como se fosse o ultimo dia de nossas vidas.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Padre Léo por nos ensinar que no natal os nossos corações sejam e vejam as coisas de forma diferente.

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!

Arquivo do blog

Postagem em destaque

Gratidão: 10 anos do Blog Padre Léo Eterno!

Olá, queridos e amados irmãos em Cristo Jesus.  Começamos novembro celebrando uma década de blog. Há 10 anos, em 16 de novembro d...