terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

A paz esteja convosco (Padre Léo, SCJ)



Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas (por medo dos judeus) as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou, e pondo-se no meio deles disse: “A paz esteja convosco”. Depois destas palavras mostrou-lhes as mãos e o lado, então os discípulos se alegraram por ver o Senhor. Novamente Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, eu também vos envio”. E depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo”. “A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados. A quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”.


Tomé, que era um dos doze, não estava com ele quando Jesus veio, outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!”. Mas Tomé disse-lhes: "Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser os dedos nas marcas dos pregos, e não puser a mão no seu lado, não acreditarei".

Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olhe as minhas mãos, estende as tuas mãos e coloca do meu lado, e não sejas incrédulo, mas fiel”. Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!”. Jesus lhe disse: “Acreditaste porque me viste. Bem aventurados os que creram sem ter visto”. Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos e não estão escritos neste livro. Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que crendo tenhais a vida em seu nome. 

O primeiro fruto do batismo no Espírito Santo é a capacidade de viver em comunidade, mas essa também é a condição para que aconteça o batismo no Espírito. Jesus ressuscitado inspira, em primeiro lugar, a comunidade apostólica a estar refeita para depois mandar o batismo no Espírito. O batismo no Espírito só vem quando a comunidade de Pentecostes está refeita. Por isso foi preciso eleger alguém para ficar no lugar de Judas, que foi Matias. O Espírito Santo precisou que primeiro tivesse um grupo coeso, refeito da perda daquele membro, que foi Judas. Quando eles refizeram o grupo, o Espírito Santo foi derramado. Aí esse grupo, batizado no Espírito Santo, começou a formar grupos, comunidades, os cristãos que tinham tudo em comum, que partilhavam seus bens com alegria. Essa é a marca registrada da comunidade que fez a experiência da ressurreição. A marca número um dessa comunidade é a alegria. Alegria que os discípulos tiveram por ver o Senhor. A alegria que Pedro noz diz que ninguém pode tirar é uma herança irrevogável. É essa alegria que o mundo precisa.

 Jovem, você só vai evangelizar a partir do testemunho da alegria. Sabe por quê? A alegria é um dom do Espírito Santo. É nossa! Mas como nós não vivemos essa alegria, o encardido se encarrega de oferecer essa alegria para os jovens. Como é que o encardido seduz o jovem para o pecado? Oferecendo a alegria como recompensa. A alegria da droga, do sexo, da roupa, da festa. Só que essa alegria vira tristeza. Os discípulos se alegraram ao ver Jesus, pois Jesus é o único que pode dar a verdadeira alegria. E essa alegria é fruto de uma comunidade.

Missão número um da Nova Era: destruir a comunidade. Há um projeto da Nova Era para destruir a comunidade familiar, assumido aqui no Brasil, em especial pela Rede Globo de Televisão. Até a missa que vai ao ar pela Rede Globo tem o objetivo de destruir a família e a comunidade. A missa vai ao ar às seis horas da manhã do domingo. Primeiro: ninguém acorda às seis da manhã no domingo para assistir a missa. Segundo: porque faz a família se descomprometer com a comunidade, porque assistindo a missa pela televisão, não precisa participar com a comunidade. 

"É a missa com o padre Marcelo, mais alegre, mais animada. Ele canta umas músicas bonitas."

Pronto! E o resto do dia, a programação é contra a família. Por isso que o Faustão, todo domingo nas "vídeocassetadas" tem que mostrar um casamento para você dar risada. A noiva cai, o noivo cai, o padre desmaia. Isso não é coincidência!

Eu li na Folha de São Paulo uma notícia que invadiu meu coração de profunda tristeza. A final do Big Brother Brasil na terça-feira, pouco antes da meia-noite, atingiu o ápice de audiência da Globo nos últimos anos. Tinha mais gente assistindo a final do Big Brother Brasil do que a final da última Copa do Mundo. 

Todas essas pessoas assistiram a um texto todo inspirado pelo demônio. Tudo que você puder pensar de contrário ao Evangelho é o esquema da casa do Big Brother. Não é acidental, é um projeto! Eles leram o Evangelho e criaram tudo contrário ao Evangelho. E o Evangelho fala que o Espírito Santo cria em nós comunidade. Esse programa é baseado na comodidade. Comodidade é cômodo. Cada um no seu cômodo. Cada um no seu cantinho. Ninguém me incomoda. Porque quem me incomoda, eu elimino. 

A comunidade só vai crescendo. Os batizados no Espírito eram um grupo de doze. Em Pentecostes eram cento e vinte. No primeiro discurso de Pedro eram três mil. E foi aumentando, até chegar a nós. É crescente. Na comodidade diminui. No Novo Testamento tem doze apóstolos. Na Nova Era tem doze personagens. No Big Brother Brasil, BBB, em minúsculo fica 666, o número da besta. Acidente? Por que doze? Porque são os doze apóstolos da Nova Era. Seis homens e seis mulheres. Essa já é uma denúncia que a nossa comunidade é uma mentira. É tudo pornografia. Imagina se vai ter um lugar que tenham seis homens e seis mulheres, que não sejam transando! Para conseguir o prêmio, cada dia tem que eliminar um. Família está dando problema? Elimina. O filho é problema? Elimina. 

Vemos isso em Bethânia. Quantos meninos e meninas são jogados em Bethânia e em um ano não recebem nenhuma visita! Marido é problema? Elimina. Em vez de mudar a pessoa, muda de pessoa. Nós estamos numa luta contra o demônio. A grande luta que estamos travando é contra o encardido. E nós temos armas para isso. As três armas poderosas que o Cristo Ressuscitado vem nos trazer. Jesus que chega no meio dos apóstolos reunidos. A primeira arma: "A paz esteja convosco".

Sabe como os judeus se saúdam? "Shalom!" Sabe como os árabes se saúdam? "Salam", que significa paz. Sabe onde começou essa guerra medonha entre judeus e árabes? Volte na Bíblia, em Gênesis. Sara não podia ter filhos. Mas Deus disse que Abraão seria pai. Sara inventou uma saída humana. Pegou a empregada para se unir a Abraão. E tiveram um filho: Ismael. Mas depois Sara começou a sentir ciúme. Olha o que a falta de cura interior faz! Ao olhar para a criança, Sara começou a se sentir ameaçada. A pessoa que tem o coração ferido qualquer coisa a machuca. E no seu coração, a mágoa por não ser mãe... Era uma mágoa contra Deus e contra si mesma. E aquela mágoa foi se transformando num ódio. É nisso que a mágoa sempre se transforma. E chegou o momento em que ela ficou grávida, que em vez de perceber a graça de Deus agindo em sua vida, ela obrigou Abraão a expulsar a empregada. E ele a expulsou. E foi embora Agar e o filho de Abraão: Ismael. Quem é Ismael? 

Quando você lê sobre a briga dos irmãos de José, e eles venderam José para o Egito, para os ismaelitas. Os ismaelitas são o povo árabe. Ismael é o pai do povo árabe. Por isso que o povo árabe tem Abraão como pai. Sara teve seu filho, segundo filho de Abraão, Isaac, pai do povo de Israel. Árabes e israelitas são filhos do mesmo pai com mães diferentes. A guerra começou no coração de Sara. E foi crescendo, crescendo... Até chegar na queda do World Trade Center. Por que os árabes foram derrubar o prédio? Porque Nova Iorque é o lugar do mundo onde mais tem judeu. Os grandes banqueiros do mundo são judeus e a maioria tinha sede numa das torres.

 Pois, hoje, Jesus ressuscitado diz para mim e para você que devemos ser sementes de paz. Eu posso ser semente de desgraça, como Sara foi, mas também posso ser semente de paz.

Papa João Paulo II convocou os líderes religiosos do mundo inteiro para uma oração da paz. Onde? Em Assis. Por quê? Porque há oitocentos anos um jovem teve a coragem de ser um profeta da paz. Francisco não imaginaria que aquele gesto dele, de se despir diante do mundo, de encher-se de Deus e de se fazer um instrumento da paz lá em Assis, um cafundó do mundo, que aquilo fosse produzir sementes. 

Assis é uma cidade que tem a parte alta e a baixa. Assis era na parte baixa. A parte alta era onde ele ia rezar. Entre a parte alta e a parte baixa era uma pirambeira imensa. Então, quando a justiça italiana condenava alguém a morte, eles jogavam a pessoa ali. Era chamado o Buraco do Inferno. São Francisco nunca aceitou aquilo, mas não adiantava ele ir contra. Quem tem a paz não briga por seus ideais. Torna-se semente de paz. Com quarenta e quatro anos, tomado pela doença, Francisco fez com que os irmãos fizessem um juramento. Assim que ele morresse deveria ser jogado naquele buraco. Porque ele dizia: "Se existe alguém no mundo que merece ser jogado naquele buraco, essa pessoa sou eu". 

Quando ele morreu, cavaram um buraco na pedra, lá embaixo, e colocaram o seu corpo. No dia seguinte, o Papa mandou um emissário do Vaticano à Assis e comprou o terreno em volta. O Buraco do Inferno foi comprado pelo Vaticano. E em cima desse buraco foi construída a primeira basílica, e embaixo a segunda, e depois a terceira, que é onde está o túmulo de Francisco. Com o corpo de Francisco semeado, o Buraco do Inferno virou semente de paz para o mundo inteiro, inclusive oitocentos anos depois.

 Escolha! Faça a escolha: você pode escolher ser Sara, cultivar as mágoas e os ressentimentos no seu coração e transformar em semente de guerra, que vai levar muita gente para o inferno. Você pode escolher ser semente de paz e levar muita gente para o céu. Jesus chega hoje para mim e para você e diz: "A paz esteja convosco". Paz é coração curado. Não briga com os outros quem não briga consigo mesmo. Por que brigamos tanto com as pessoas? 

"Ah, fulano me ofendeu!"

Ninguém tem o poder de me ofender. Sabe por que ficamos tristes com o que falam de nós? Porque é verdade. Se falarem uma mentira não tem problema.

Lá no colégio tinha um menino triste, chorando porque um coleguinha tinha mandado ele ir à merda. Eu perguntei:

- Você foi?

- Não!

- Então não precisa chorar. Se aquilo que a pessoa falou ofende é porque é verdade.

Diante de Jesus podemos tirar todas as máscaras. E Ele nos dá a verdadeira paz. Mas a paz não é fruto de uma convenção social. A paz brota de dentro! Por isso, o segundo presente do Ressuscitado para nós é: "Receba o Espírito Santo". O primeiro presente do Ressuscitado é a paz. Abra o seu coração para acolher o Espírito Santo. Você deve ser cheio do Espírito Santo. Esta é a marca registrada da igreja do Ressuscitado: homens e mulheres cheios do Espírito Santo. Esse foi o segredo de Maria. 

Por que Maria era feliz? Nós rezamos na Ave Maria: "Ave Maria, cheia de graça". Repleta do Espírito Santo. Pedro ficou cheio do Espírito Santo. Paulo também. No dia de Pentecostes a igreja ficou cheia do Espírito Santo. Se você quer ser da paz e pela paz, tem que ser um jovem cheio do Espírito Santo. E para ser cheio do Espírito Santo, tem que ser vazio do pecado, vazio do ódio, vazio das mágoas. 

São Paulo escreve aos Romanos dizendo que o inferno chega quando as pessoas vão se enchendo de malícia, de ódio, de ressentimento, de raiva. Por que você não é feliz? Porque você não é cheio do Espírito Santo. Cada dia eu tenho que pedir ao Espírito Santo. Essa é a diferença da doutrina católica para a doutrina protestante. A doutrina protestante diz que o batismo no Espírito Santo é uma alteração que você recebeu uma vez na vida. A teologia católica diz que o batismo no Espírito Santo é dinâmico: cada dia eu preciso renunciar ao demônio, cada dia eu preciso um novo batismo no Espírito Santo. A cada segundo da minha vida... Orai sem cessar... Nós fazemos o contrário, saímos de um encontro cheios do Espírito Santo, renovados, alegres, mas no mesmo dia ou na mesma semana caímos no pecado. Desanimamos. Pensamos: 

"Mas eu peco! Não posso rezar."

 Isso é coisa do encardido, pois quanto mais pecamos mais precisamos rezar. Quanto mais cairmos, mais temos que rezar. Se você tiver caindo muito, permaneça mais tempo de joelhos. É menos arriscada a queda. Ajoelhados temos mais resistência. Se estivermos ajoelhados e cairmos, o estrago será bem menor. Permaneça ajoelhado. Tenha calos nos joelhos. Se cair no pecado, reze, insista, persista, não desista. Mas é preciso que façamos a experiência de Jesus.

É como um cachorro que viu uma lebre. A lebre correu e o cachorro saiu correndo e latindo atrás da lebre, achando que latindo a lebre iria parar. Cachorro é um bicho meio burro. Outros cachorros ouviram e saíram correndo e latindo atrás. Já eram mais de trinta cachorros correndo. Mas a lebre corre muito e os cachorros foram se cansando e desistindo. Meia hora depois só tinha um cachorro correndo atrás da lebre. Qual? O único que viu a lebre! Isso quer dizer que se você não experimentar o poder do Ressuscitado em sua vida, você vai desistir na hora que cansar. E, para que façamos essa experiência, o Ressuscitado chega ao nosso meio hoje e diz:

 "Recebei o Espírito Santo."

 Mas eu sou fraco, sou cheio de pecado. E assim como Jesus curou três vezes o coração ferido de Pedro, hoje também Ele nos dá um terceiro presente: "O perdão dos pecados". Pelo poder do Espírito Santo, ao se encontrar verdadeiramente com Jesus Ressuscitado, você terá o verdadeiro perdão dos pecados. O perdão dos pecados, a cura interior, a restauração interior é fruto da experiência pessoal com o Ressuscitado, que vem até nós e nos traz a paz, nos batiza no Espírito Santo e nos traz o perdão dos pecados.

Que bom que Tomé não estava lá! Porque, não estando lá, ele pode contar para os Apóstolos a verdade de seu coração: "Eu não creio, eu não vi". Quem não experimentar Jesus não acredita Nele. Jesus aparece e fala para Tomé: "Mete o dedo aqui Tomé". Tomé fez a mais linda oração que nós continuamos rezando em cada missa quando o sacerdote levanta o pão e o vinho transformado no corpo e no sangue de Jesus. 

Fala para Jesus que você não acredita mais no que falaram e que você quer tocar no coração Dele. 

"Eu quero tocar em suas mãos chagadas. Toca-me Senhor! Toca-me, Senhor, com a Eucaristia. Eu quero experienciar a sua Misericórdia Divina. Eu quero e preciso tocá-lo, Senhor! Toca-me, dando-me hoje a graça da paz, o dom do Espírito Santo e o perdão dos pecados. Mas eu peço também, Jesus, para viver a graça da comunidade.

Padre Léo

Fonte: Comunicação Bethânia
Obs: transcrição conforme original de palestra realizada na Comunidade Canção Nova

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!