quarta-feira, 16 de junho de 2010

Robson tu me amas? Márcia Alencar tu me amas? Jonathan Melo tu me amas?

Olá família amada... Que o Espírito do Senhor esteja sobre cada um de nós!

Outro dia estava reunido com amigos especiais e depois fomos a uma adoração ao Santíssimo. E em meio a adoração, minha coordenadora, ministrando a oração  ela trouxe para reflexão a liturgia do dia 21.05.2010 (Cf. João 21, 15-19), e ela repetiu enfaticamente a pergunta que Jesus faz a Pedro três vezes: "Pedro tu me amas? [...]" E no final ele completa: "Apascenta minhas ovelhas".

Essas palavras encontraram um solo tão fecundo no meu coração. Eu gosto muito do número três, pois nos remete a Trindade. E aqui não me cabe fazer uma interpretação dessa passagem bíblica, mas no mesmo momento da oração, ao ouvir ela repetindo três vezes, me fez pensar em outros três, era como se pudesse ouvir Jesus perguntando:

Robson tu me amas? Márcia Alencar tu me amas? Jonathan Melo tu me amas?

E é isso que estou trazendo a reflexão. Nós somos três, três nos leva a Trindade Santa. E fico a me perguntar: Nós amamos o Senhor? Mas não é responder sem pensar, sem meditar.

Eu trago essas três perguntas de Cristo para nossa reflexão e contextualizo para nós três, responsáveis pelo blog, para que possamos avaliar nosso cristianismo, nosso serviço cristão, para que o exemplo comece de nós mesmos.

E devemos ser bem sinceros:

será que de fato amamos Jesus? Será que tomamos posse do sacrifício de Cristo por nós? Será que estamos lendo a Palavra de Deus? Será que podemos [e queremos] beber o mesmo cálice que Cristo bebeu? Como está nosso relacionamento com Ele? Será que estamos buscando as coisas do Alto ou estamos perdendo tempo com os problemas, com ressentimentos, com mágoas, com falta de perdão, carimbando nossa vida com o carimbo da Terra?





Lembro da frase que uma vez a minha coordenadora, a quem chamo carinhosamente de mãe, falou em uma reunião: “Se não estamos amando não podemos nos dizer cristãos.” (Maria do Socorro). E vale salientar que amar não é não se irar, não sentir raiva, pelo contrário, devemos sentir tudo isso porque somos humanos, não tem como não sentirmos essas coisas, mas não podemos permitir que isso se torne uma mágoa, um ressentimento. O apóstolo Paulo nos alerta que irar não é pecado, mas se essa ira se tornar um ressentimento, aí sim estamos pecando. E muitas vezes amar, é chamar para responsabilidade, chamar a atenção, trazer uma verdade dura.


Ser cristão é buscar nossa comunhão com Deus, é buscarmos ter um encontro verdadeiro com Cristo. Um ser humano que tem esse encontro verdadeiro, um encontro em espírito e em verdade com Jesus, jamais permanece do jeito que está, pois quem está em Cristo se torna uma nova criatura.


Temos exemplos belíssimos na Bíblia a começar pelos doze apóstolos que Jesus escolheu. Ele poderia ter escolhido os doutores da lei e tantos outros, mas escolheu os piores, bem como hoje ele escolheu o “Robson, a Márcia Alencar e eu”, para sermos esse canal do amor dele, através deste blog.


Os apóstolos eram pessoas com personalidades muito complicadas de se viver, segundo alguns estudiosos o apóstolo que tinha o temperamento melhor era Judas, e o que ele fez todos nós sabemos.


Mas esses apóstolos se tornaram em canais fecundos do amor de Deus porque souberam se abandonar ao amor de Cristo, se permitiram transformar e a partir daí, transformaram o mundo com o amor que receberam de Cristo, testemunharam o amor e a verdade que é Cristo com suas vidas.


E é aqui justamente onde quero chegar com nossa reflexão: Será que nós três estamos nos entregando verdadeiramente nas mãos de Cristo? Será que estamos de fato desejando sermos pessoas novas? Será que estamos buscando nossa cura interior? Será que estamos buscando nascer da água e do Espírito?


Poderiam ser diversas as perguntas direcionadas a nós três, mas é claro que ao usar nós três eu amplio toda essa reflexão a todos nós que fazemos a Família Padre Léo Eterno. Precisamos refletir isso para que de fato vivamos em plenitude. Jesus é o maior exemplo de que podemos ter uma vida plena aqui já na terra. O apóstolo Paulo mesmo preso, não perdeu tempo lamuriando, reclamando ou questionando a Deus, pelo contrário, usou cada minuto daquela prisão para crescer espiritualmente e louvou a Deus.


Isso é para nos mostrar que independente da situação que estejamos vivendo, o nosso louvor é libertador, e que sempre teremos a escolha por Cristo, pela vitória, pelo caminho mais estreito.



Servir aos irmãos, amar, ser cristão, requer muitas vezes uma parada, um “deserto”, um “subir a montanha”, para enxergamos os horizontes que lá de baixo não conseguimos ver. 


E hoje é imprescindível que nós três façamos essa reflexão, para que cada vez mais nós possamos ser esses canais do amor e da misericórdia de Deus, precisamos diagnosticar em nós aquilo que precisa de um esforço maior, para ser curado, cicatrizado para que possamos ser o espelho de Deus, de modo que os leitores ao olharem para nós, que eles possam enxergar a face misericordiosa de Deus.



“Pai santo, Pai querido e Pai amado”, que hoje o teu Espírito Santo possa iluminar em nossos corações, as áreas que nós não estamos conseguindo enxergar, essas que precisam ser curadas. Que Jesus possa ser esse bom pastor que nos toma em seu colo e abre seu coração repleto de amor para curar o nosso coração ferido e machucado. Que a água que jorrou do seu coração possa lavar, mas lavar com todo teu carinho, com toda tua delicadeza, principalmente aqueles corações que hoje necessitam do teu amor, e mesmo buscando com todo fervor, eles não conseguem te sentir. Então acolhe Senhor, quebra essa casca que está impedindo o teu amor curar.



Que o Senhor nos dê a graça de tomar posse de teu amor, de tua paz, de tua misericórdia, que possamos cada dia mais tomar posse de teu sacrifício por nós, do teu sacrifício de amor, de redenção e passemos a viver como filhos renovados, restaurados, não remendados, mas sim, filhos novos, pois o Senhor não remenda, o Senhor restaura, nos dá novas vestes. Então Senhor coloca o anel nos nossos dedos, renova tua aliança de amor conosco e nos ama com teu amor infinito.



Desde já eu te agradeço e te louvo com todo meu coração, agora com um coração renovado, quero viver Senhor para te louvar, te adorar, mesmo nas tempestades, pois foi para isso que eu nasci. Muito obrigado Pai amado.



Fraternalmente...



Jonathan Melo 10.06.2010

3 comentários:

  1. Jonathan,
    Você foi muito ungido ao nos propor essa reflexão. Como Pedro, eu sou umas das últimas pessoas que a lógica humana escolheria para evangelizar. Mas, não sei explicar como, eu fui me apaixonando pela forma como o padre Léo evangelizava e, quando percebi, estava aqui fazendo parte dessa 'trindade' junto com você e o Robson. Tem dias em que me sinto em uma grande aridez espiritual, mas o pouquinho de força que me resta nesses momentos eu procuro gastar aqui, nas postagens desse blog, porque me vem à lembrança Padre Léo dizendo naquela última pregação que fez: "Ai de mim se não evangelizar". E não é por medo que faço isso. O que essas palavras me despertam é que se estou vivendo essa aridez espiritual é porque sou pequena demais para entender Deus como algo racional. Nesse momento me sinto como Pedro na passagem citada, quando ao ouvir pela terceira vez a pergunta de Jesus, reconheceu sua pequenez diante do Mestre e respondeu: - Senhor, sabes tudo, sabes que gosto de ti". Essa diferença entre o verbo amar da pergunta e o verbo gostar, da resposta de Pedro, é genialmente explicada por Padre Léo na pregação A CURA DO CORAÇÃO DE PEDRO. Jesus, em sua grandeza, se rebaixa para ficar no mesmo nível de Pedro.
    Obrigada, Jonathan, pela reflexão proposta. Nesse mês do Coração de Jesus, preciso olhar muitas vezes para o coração exposto da imagem do SCJ e tentar, também eu, ser um ser humano manso e humilde de coração.
    Um grande abraço com o coração,
    Márcia

    ResponderExcluir
  2. Família querida, é com muita dor no coração que estou ausente desde o dia 02.06, problemas com a empresa da Internet, desde o dia 02, que estamos tentando resolver, mas a irresponsabilidade só aumenta, eu sei que isso é coisa do encardido, pois não se explica tamanha irresponsabilidade, esses dias foram muito fecundos, tive muitas inspirações, espero retornar logo.. :(

    Márcia Alencar, ler isso aqui para mim foi tudo:
    "Um grande abraço com o coração,".Márcia


    Um imenso abraço a todos, saudades muitas...

    ResponderExcluir
  3. Eu amo quando a Márcia Alencar de forma tão simples consegue passar tanta sinceridade, tanta humildade, tanta profundidade... Sempre gosto de reafirmar: Márcia DEUS É IMENSO É VOCÊ!!! Amo muito você!

    Jonathan Melo

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!