segunda-feira, 12 de julho de 2010

Olhar de misericórdia, olhar que salva!



Evangelho (Lucas 10,25-37)
— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 25um mestre da Lei se levantou e, querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: “Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?”
26Jesus lhe disse: “O que está escrito na Lei? Como lês?”
27Ele então respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e ao teu próximo como a ti mesmo!”
28Jesus lhe disse: “Tu respondeste corretamente. Faze isso e viverás”.
29Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?”
30Jesus respondeu: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no, e foram-se embora, deixando-o quase morto.
31Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado.
32O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado.
33Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. 34Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele.
35No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as

ao dono da pensão, recomendando: ‘Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais’”.
E Jesus perguntou:
36“Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?”
37Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”.
Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”.


- Palavra da Salvação!
- Glória a vós Senhor
Fonte: Liturgia Diária www.cancaonova.com
Este foi o Evangelho do dia 11.07.2010. Neste dia fiz uma reunião com meu círculo do EJC e juntos fizemos uma “Leitura orante da Palavra” e foi com este Evangelho. Foi uma experiência fantástica, quem dera se nós cristãos pudéssemos tornar isso um hábito.

E hoje gostaria de partilhar algumas coisas com vocês a respeito dessa passagem maravilhosa. A começar por uma pergunta que nós deveríamos fazer para Deus hoje e refletir sobre ela:

“Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna”?

Maravilhosa a pergunta. Mas ela foi feita por um mestre da lei e com um intuito de colocar Jesus em uma fria. E nós deveremos descobrir o que precisamos fazer hoje para de fato ganharmos a herança da vida eterna. E outro ponto que surgiu de minha reflexão é também perceber “o que nós estamos fazendo que não nos levará a ganhar a herança da vida eterna”?

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e ao teu próximo como a ti mesmo!”

Esse trecho é muito profundo. Parece que algumas palavras gritam em nossos ouvidos: “de todo o teu coração, com toda tua alma, com toda tua força e com toda tua inteligência” e ainda finaliza com um detalhe extremamente importante: “e ao teu próximo como a ti mesmo”.
Será que estamos fazendo isso? Talvez estejamos, mas estamos amando o nosso próximo com o mesmo amor estragado com o qual muitas vezes nos amamos. Tratamos as pessoas de forma errada, porque nós mesmos não nos amamos. E muitas vezes até damos o nosso melhor aos outros e não damos a nós mesmos, precisamos corrigir isso, realinhar nossos pensamentos com os pensamentos e os sentimentos de Cristo.

Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?”

Mais uma vez um exemplo no Evangelho. Ao invés de tirarmos a máscara de nosso coração diante de Jesus e mostrar a Ele aquilo que somos, não o fazemos. Continuamos arrumando “justificativas”. Perdemos a graça dessa forma. Enquanto continuarmos lamuriando, justificando, criando barreiras diante de Jesus, jamais teremos um coração curado, jamais alcançaremos a cura interior.

Jesus respondeu: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no, e foram-se embora, deixando-o quase morto.

Meus irmãos, encontrar alguém ferido, machucado ou quase morto é até mais fácil. Difícil é perceber quais são seus machucados internos, ocultos, feridas ocultas. Pois uma ferida física é visível, é obvia.

Precisamos ter a sensibilidade em perceber quais irmãos estão precisando de ajuda e não sabem como pedir, em tentar ajudar os que estão com o coração sangrando, pedindo socorro e não estamos enxergando. Irmãos que estão se matando a cada dia alimentando sentimentos e pensamentos ruins, alimentando ressentimentos em seus corações.

“Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele.”

Neste trecho o nosso irmão Danilo, um dos membros do círculo, partilhou que tocou muito ele a forma como o Samaritano “trouxe para si as dores daquele homem”. E me fez remeter aquele trecho: “Ele tomou sobre si as nossas enfermidades”. É o que Jesus fez, tomou sobre si nossas chagas, nossos pecados, e como bem frisa minha amiga Py: Não foi essa ou aquela dor, mas sim TODAS! É muito profundo esse trecho, precisamos viver como homens e mulheres de Deus, devemos tomar posse todos os dias dessa graça e vivermos como pessoas redimidas, filhos e filhas amados de Deus.

“Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”.

Precisamos com urgência, urgentíssima, olhar os nossos irmãos com misericórdia. E não são aqueles que nós amamos não, mas sim aqueles que nos são mais difíceis. Aqueles que necessitam de nosso amor, aqueles que Pe Léo uma vez disse que “eram canais de céu para nós”, e nós não conseguimos usar de misericórdia com esses irmãos porque não nos alimentamos da Palavra, do Amor de Deus.

Que a partir de hoje possamos fazer um contrato consigo mesmo, de nos empenharmos em olhar os nossos irmãos com misericórdia, sermos misericordiosos não em pensamentos, não nos nossos corações, mas sim com nossos atos, “com todo os nossos corações e com todas as nossas almas, com todas as nossas forças e com toda as nossas inteligências”.


Fraterno abraço...

Jonathan Melo12.07.2010

5 comentários:

  1. Maravilhoso como sempre!
    Obrigada por vc existir migo querido!
    Sua amizade é um bem precioso e imortal.
    É a minha pérola!

    Um abbraccio di polpo e un bacio per te!

    Py.

    ResponderExcluir
  2. Jonathan,Parabéns pela bela e profunda reflexão,
    sôbre o Evangelho desse domingo!!!
    Que possamos ter sim, atitudes mais misericordiosas, assim como Jesus nos ensinou!!
    Fique com Deus!!
    Stela

    ResponderExcluir
  3. Jonathan, precisamos mesmo responder ao seu questionamento, no início dessa linda reflexão: Será que amamos o nosso próximo como a nós mesmos?
    Para os judeus ''o próximo''eram os parentes, e e não os gentios. Mas para Jesus são todos os homens, até mesmo os inimigos, sem nenhuma distinção.
    Sabemos que entre judeus e samaritanos existia uma rivalidade, por questões religiosas. E Jesus coloca o bom samaritano como modelo, quando socorre com amor o judeu.
    É muito forte o apelo quando você diz que ''precisamos com urgência, urgentíssima olhar nossos irmãos com misericórdia''. Nesse sentido o padre Léo nos diz que precisamos amar a todos aqueles que não merecem o nosso amor.
    Esse samaritano é o próprio Jesus que salvou com sangue a humanidade ferida pelo pecado.

    ResponderExcluir
  4. Jonathan, se você não é casado, tem tudo para ser um grande sacerdote, samaritano é lógico, para nos orientar, como nos orientou nosso querido Padre Léo... Boa sorte pra você, independente do que é sua vida! Que Deus te abencoe, para continuar sempre inspirado nos orientando nesta vida. Obrigado pela reflexão.

    ResponderExcluir
  5. Márcia amei aí o que você escreveu e até nos ajuda a entender melhor essa passagem. Essa "urgência, urgentíssima" era pra ter aspeado, peguei do pe Léo, quando uma vez fiz uma montagem dele, sobre adoração a Eucarístia, vou procurar ela e depois ponho aqui ok... Abraço!

    Pedro Brusco não sou casado, estou solteiro no momento e por isso tenho me dedicado as coisas de Deus. Mas pretendo me casar. Obrigado pelas palavras e pelo carinho!

    Abraços a todos!

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!