A fragilidade humana!

"Assim que terminei minhas consultas fui vê-lo e fiquei bastante preocupado com seu estado emocional. Estávamos a sós e ele me disse chorando:
-Roque, vocês estão me enganando, não tenho cura, vou morrer muito rápido.
-Como padre? Não estamos enganando o senhor. Por que isso?
E soluçando respondeu: -Fui ao hospital hoje e vi de perto o que vai ser de mim. Em uma sala estavam vários pacientes recebendo quimioterapia, e muitos estavam com cara de quem estava morrendo. Você está me tapeando. Meu fim será como o daquele senhor que vi deitado, com uma barriga enorme, mas com as perninhas finas".
(trecho do livro: "Médico Graças a Deus")

Na subida do calvário, padre Léo foi visitado pela dúvida, pelo desânimo, pela incerteza, pelo medo. Nessa hora ele é tentado a pensar que Deus o abandonou. Um momento de desabafo
, um momento de desespero está nesse diálogo com o seu médico. Porém o Cristo Vivo é parte de sua tristeza, de suas lágrimas, de seu sofrimento. É Ele quem conduz essa situação de sofrimento.
Às vezes sentia-se só, incapaz de reagir diante de tanta dor. Não era capaz de rezar, mas sabia que Deus estava sempre com ele, de uma forma diferente, no sofrimento.

Assim como o salmista que diz:"Faze-me conhecer, Senhor, o meu fim, e a medida dos meus dias qual é, para que eu sinta o quanto sou frágil" (Sl 39,5). E Deus lhe mostrou o quanto o ser humano é fraco, quando viu seus irmãos sofrendo com a quimioterapia.
Nossa vida é um "nada" quando colocada diante da eternidade de Deus.
No getsêmani está toda a fragilidade humana. Ali Jesus, em agonia, também teve medo, desespero. O seu suor tornaram-se gotas de sangue, tamanho o stresse emocional. Ali Jesus, com lágrimas de sangue suplica ao Pai que o livre do cálice da morte, embora soubesse que deveria morrer. Mas o Pai silenciou. E Jesus obediente ouviu a “voz do silêncio”.

No silêncio do deserto, abraçou a cruz para ganhar Vida. Deus permite a dor para nos livrar da morte, pois a nossa fé nos garante que depois da cruz vem a ressurreição.

Hoje somos convidados a partilhar nossas aflições, nossos medos com Deus que vem ao nosso encontro para dar sentido às nossas lutas. O Senhor que volta o seu olhar para as nossas limitações, fraquezas e misérias, estende as mãos para nos ajudar na caminhada em direção ao céu.
Compartilhe:

2 comentários:

  1. Meu santinho Pe. Léo já está intercedendo por mim por mais uma graça. eu li o trecho do livro aqui e vejo que quando nos depaqramos com a morte ,até mesmo os santos que lemos suas histórias;santa faustina,santa Terezinha,São Paulo,São Pedro e outros ficam dividosos,ficam abatidos.a morte para nós e uma esperança de voltar a patria celeste,mas tb como somos humanos é completamente normal que tenhamos medo.assim eu peço a deus ,aos santos e anjos e intecessores nossos que me dê uma morte tranq6uila, se for da vontade de Deus,mas senão que Eleme dê forças até a derradeira hora para nunca abandoná-lo diante do desespero e provações e agonias.Que deus Nosso senhor e o nosso santinho Pe.Léo interceda por nós com a Virgem Maria junto de Jesus.amém.

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!

Arquivo do blog

Postagem em destaque

Gratidão: 10 anos do Blog Padre Léo Eterno!

Olá, queridos e amados irmãos em Cristo Jesus.  Começamos novembro celebrando uma década de blog. Há 10 anos, em 16 de novembro d...