sábado, 16 de abril de 2011

Confissão: encontro com Deus!

Padre Léo nos apresenta em seu livro: “Rezando a Vida”, o capítulo: ”Orando nossa infância”, onde ele nos mostra o quanto o Sacramento da Reconciliação vai nos transformando, curando e restaurando ao longo de nossa vida.

"Minha primeira confissão foi muito difícil... Aprendi no catecismo que Deus era muito bravo. Eu imaginava que ele era um homem bem grande, barbudo, gordo e que vivia sentado numa cadeira enorme, com uma vara na mão e um livro na outra. Naquele livro estava anotado todos os meus pecados. E ele estava sempre pronto a me mandar para o fogo do inferno..."

"No dia da primeira confissão, lá estava eu, na fila, esperando que minha hora não chegasse nunca. E se eu me esquecesse de rezar o ato de contrição... E eu lá na fila treinando... chegou a minha vez. O padre bateu com os dedos na gradinha do confessionário. Eu me ajoelhei, pedi a sua bênção, e ele disse forte e seco: ‘Conte seus pecados’... O padre falou um monte de coisas. Não me lembro de nenhuma delas, a não ser que, caso não me emendasse, eu estaria brevemente no inferno... E já foi dizendo: ‘Eu te absolvo dos seus pecados... ’ e mandou rezar um Pai Nosso, três Ave-Marias e uma Salve Rainha... Comecei a rezar a penitência. Mas eu me distraia. Aí começava de novo... Acho que recomecei a penitência umas quinze vezes".
Essa também é nossa história! Quem não se lembra da primeira confissão? Como foi
difícil...! Mas, nos recordamos também, no final, o abraço de Jesus, na figura do sacerdote.

O padre recorda a sua primeira confissão, quando ainda menino, o medo que sentia ao ver a figura do padre, de batina preta, chapéu e um guarda-chuva preto. Um homem enorme, que não podia mentir os pecados para ele, porque ele sabia tudo. E, sobretudo, a idéia deturpada que ele tinha de Deus.

Todas essas experiências negativas pelas quais passou foram desaparecendo ao longo de sua vida, porque pode sentir o toque do amor de Deus, e perceber esse amor, de maneira única.
Podem imaginar o que Deus fez no coração do menino Tarcísio?

Márcia A Bezerra

Um comentário:

  1. Não só podemos imaginar como vimos não é Márcia?
    Abração...

    Jonathan Melo - http://jonathanmelo.com.br/site/ - @jonathanmelowd

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!