sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Plena comunhão com Deus!

“Quando o Léo partiu, era cedo sim, mas nós não sabemos o que tanto ele conversou com Deus. Só ele sabia do Coração de Deus, quais os Seus propósitos, qual a Sua resposta diante da sua provável partida”. (padre André Luna)

Assim como a águia mãe põe os filhotes sobre as asas para evitar sua queda fatal, assim também Deus cuida de nós. “Se grandes são as tribulações múltiplas são as consolações”. Os que são de Deus, o corpo pode ficar dilacerado pela doença, mas de sua alma Deus cuida e esta se renova a cada dia, até a eternidade.

Após ter uma forte crise de tosse, padre Léo foi medicado e encontrava-se tranquilo. O relógio acusava meia noite, iniciava-se o primeiro dia do mês de janeiro de 2007. Com os foguetórios, os rojões cruzando o céu, junto com a beleza dos clarões, confundindo-se com as estrelas, nascia o novo ano, nascia uma nova esperança. Logo o tumulto passou, ficou só o silêncio. No silêncio de sua alma, encontrava-se a presença de Deus. A sua dor, o seu sofrimento só poderia ser preenchido pela presença do Senhor.

A sua alma estava em paz, nenhuma angústia, nenhuma tristeza... Ele sabia que sua vida iria mudar, tinha rumo certo, não estava mais diante de uma encruzilhada, acabaram as incertezas. Sempre que termina algo, o novo acontece. Voltar à condição antiga significava esquecer tudo o Deus lhe ensinara no período de enfermidade. O essencial para ele era estar com Deus, estar em Deus, viver com Ele e para Ele. A sua luta pela vida o fez permanecer em plena comunhão com o Senhor.

A sua vida toma sentido, porque vislumbra no horizonte algumas imagens que vão ficando cada vez mais nítidas. No silêncio, tudo foi preenchido pela graça de Deus.
Refletindo sobre si mesmo, foi compreendendo que nada era comparado ao que Deus tinha reservado para ele. O melhor estava por vir, e sem nenhuma luta para alcançar a vitória. Ali estava iniciando a sua cura definitiva. Deus o chamava a fazer uma extraordinária aventura.
O que conversaram não foi publicado.

Não desejou mais nada, além dessa “paz interior”. O sonho do menino que encontrou o Amado nas profundezas do seu ser.

Um comentário:

  1. pe. joãozinho, foi uma benção a pregação do pe. leo eterno.
    falou muito aos nossos corações, estava só e meu marido, precisa ver antes e depois.
    deus sabe nóssas necessidades.
    deus abençõe.

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!