quinta-feira, 15 de março de 2012

Email ao Padre Léo 13


De: o mais gentil dos Josés
Assunto: links de Céu, ou links de inferno?...
Para: padreleo@ceuhotmail.com


Nesse E-mail de hoje, eu quero apenas lembrar (e o bom da memória é que enquanto a gente lembra vai revivendo cada momento de novo, embora corra-se sempre o risco de esquecer detalhes) da sua grande paixão pela obra de Antoine de Exupéry, e de uma maneira toda especial pelo Pequeno Príncipe.
Dificilmente o senhor pregava um retiro ou dava uma formação que não citasse esse monumento da literatura mundial.
Nesse retiro em questão, o senhor nos falava da importância de sermos “links do Céu” para os outros.
Links?... Perguntava-me de minha cadeira, sem saber até então o que significava tal palavra.
- Links do Céu.
O senhor bradava a plenos pulmões naquela sala de retiro.
- É preciso que todas as pessoas que “nos acessarem” encontrem o Céu em nós. É preciso viver de tal forma, que as pessoas suspirem de saudades quando se lembrarem de nós.
Recordo que, para ilustrar tal pregação e falar de links, o senhor citou de uma maneira majestosa como só o senhor mesmo sabia fazer, aquele lindo diálogo do pequeno príncipe e a raposa no episódio dos trigais.
- Eu não gosto de trigo... Disse a raposa para o pequeno príncipe...
O senhor recitava esse diálogo andando por entre nós na sala de palestra, e o seu magnetismo era tanto, sabe pai?... Que não sentíamos vontade nem de respirar, para não perder nenhum detalhe.
-... Mas a partir de agora, por causa da cor de seus cabelos... Ah!... Amarei o barulho do vento nos trigais.
Nossa!... Esse simples diálogo citado assim, com as alternâncias e inflexões de voz que o senhor construía... E ajudado pelo seu jogo de corpo (sim, porque nas suas pregações o senhor usava cada membro do seu corpo), era de causar inveja ao próprio Exupéry, e por isso era impossível que a sua pregação não ficasse gravada na nossa memória e em nosso coração.
Lembro pai querido, que naquela manhã de retiro, depois de nos deixar de queixo caído com o seu magnífico desempenho, e nos encantar com a leveza poética de Exupéry, o senhor mirou muito bem aqueles seus olhões azuis para cada um de nós, e sem meias palavras perguntou-nos apontando para cada um com o indicador:
- E você?...
Um! Um! Um!... Fez-se um silencio de assombrar naquela sala, e não escutávamos mesmo nem a nossa respiração, que por sinal, estava suspensa.
-... Você tem sido link de que para as pessoas que estão à sua volta?
Pelo canto do olho, pai querido, eu percebi que nesse momento algumas pessoas estavam quase que procurando se esconder embaixo das cadeiras, inclusive eu, mas o senhor voltava a “atacar” sem dó nem piedade.
- Você tem sido link de Céu, ou link de inferno?... Quando você viaja, o que as pessoas sentem ao lembrar-se de você... Ou melhor ainda, quando você morrer?... O que as pessoas do seu convívio irão sentir ao lembrar-se de você? Elas irão sentir saudades, ou alívio?...
Ai! Ai!... E por ai foi, pai querido, depois daquela pregação o senhor nos deixou refletir no deserto, e... Confesso que procurei um dos lugares mais escondidos do recanto (lá para os lados da via sacra), e chorei, sabe pai?... Chorei porque descobri que até ali, por causa de meu orgulho e arrogância, eu tinha sido mais link de inferno de que link de Céu para as pessoas.
Deus lhe pague, pai querido, por essa oportunidade que o senhor me deu de ser uma pessoa melhor.
Te amo demais, viu?...

jpiresbethania@hotmail.com


José Gentil (foto) é consagrado da Comunidade Bethânia e escritor, autor de "O Anjo do Celeiro"


(Texto publicado originalmente hoje no site da Comunidade Bethânia)

5 comentários:

  1. Nossa, lendo esta publicação, consegui visualizar o Pe. Leo, da meneira como Jose descreveu. De um lado pro outro, com gestos e olhares, e voz alta, imponente. Mas como nos tocava. Eu, sempre gostei muito do Pequeno Príncipe, mas hoje tenho um motivo a mais para gostar. Obrigada José por esta publicação. Pode ter certeza que me levou a me analisar e me perguntat "Eu sou link de que?"

    Neusa - Taubaté

    ResponderExcluir
  2. DESCOBRI O PE. LEO NO FINAL DE 2006 ATRAVÉS DAS PALESTRAS EM CD. MEU CUNHADO GANHOU DE PRESENTE DE AMIGO OCULTO E PEDI EMPRESTADO P/ OUVIR. FOI AMOR A PRIMEIRA VISTA OU MELHOR AMOR AOS OUVIDOS,TODOS OS DIAS QDO CHEGO DO SERVIÇO JÁ VOU LIGANDO O CD E FICO FAZENDO AFAZERES DE CASA NA COMPANHIA DO PE LÉO E COMO ELE ME ENSINA E FAZ RIR TAMBÉM... SAUDADES

    ResponderExcluir
  3. É José!o mais gentil dos Josés. O Padre faz essas perguntas a todos nós. E temos que respondê-las.

    Padre Léo se identificou muito com o autor do "Pequeno Príncipe", Exupery, uma vez que lutou por um ideal, no momento em que percebeu que o essencial não é visível aos olhos.

    Obrigada por mais essa lição!

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Eu quero parabenizar a equipe do blog pela linda montagem que tem tudo a ver com o texto. A montagen, assim, como foi feita, nos remete diretamente àqueles "olhões azuis" lá no Céu.
    Beijos eternos...
    José Gentil, bth

    ResponderExcluir
  5. O que ele chamou de link aí... em sua última pregação, ele chamou de carimbo não é? Definitivamente precisamos descobrir se estamos sendo links de céu ou de inferno para nossos irmãos...

    José, saiba que você não é apenas um link, você tem sido um 'site' completo, repleto de links, sobretudo para nós aqui do blog, fazendo essa ponte entre você, Bethania e o pe Léo...

    Muitoooooooo Obrigadoooooooo!!!
    Abraço fraterno...
    Jonathan Melo

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!