quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Confiar plenamente em Deus

Que a graça e o amor do Pai estejam convosco. 
"Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a tribulação que nos sobreveio na Ásia, pois que fomos sobremaneira agravados mais do que podíamos suportar, de modo tal que até da vida desesperamos. Mas já em nós mesmos tínhamos a sentença de morte, para que não confiássemos em nós, mas em Deus, que ressuscita os mortos." 2 Coríntios 1, 8-9.
Porque os filhos de Deus passam por grandes tribulações? Talvez essa seja uma pergunta que todos nós nos fazemos. O apóstolo Paulo passou de perseguidor dos cristãos para um dos maiores evangelizadores. Se tornou um dos pilares de nossa Igreja. Foi um canal fecundo do amor de Deus, doando-se completamente a Ele. 

E olhem o que ele partilha: 'fomos sobremaneira agravados mais do que podíamos suportar, de tal modo que até da vida desesperamos.' Meus irmãos o que ele relata não é algo fora do que vivenciamos hoje. Nossa sociedade está tão desestruturada, a vida está tão conturbada, os valores estão se invertendo, falta moral, falta educação, falta respeito. 

Os problemas de hoje parece que tem o dom de se multiplicarem, pois parecem tão grandes, e quando eles vem trazem outros consigo. Chega um ponto que ficamos igual a Paulo e nos desesperamos. Os problemas chegam com tanta intensidade que achamos que não vamos suportar, vamos sucumbir a eles. 

Em seguida ele continua: '... tínhamos a sentença de morte'. Parece que ele está descrevendo a situação de muitos de nós não é verdade? Nossas vidas tomam um rumo que chega um ponto em que a morte parece ser uma certeza imediata, uma presença constante, de tal modo que nem a tememos mais. 

É nesse momento onde passamos por um turbilhão de questionamentos: Porque comigo Senhor? Porque o Senhor permite tanto sofrimento? Logo eu que estou na tua casa sempre e temo a ti... Porque tu permite o inimigo me humilhar? O que eu fiz para merecer tanta injustiça?

E talvez a pergunta central é essa: O que fazer para transcender o caos da dor, do sofrimento, dos problemas? São Paulo nos responde:  "Mas já em nós mesmos tínhamos a sentença de morte, para que não confiássemos em nós, mas em Deus." Meus queridos irmãos que coisa fantástica. 

O segredo é confiar plenamente em Deus. Nos abandonarmos por completo no amor dele. Ele não chega nas últimas, Ele não socorre na hora mais importante, Ele não chega na hora limite, porque Ele está cuidando de cada um de nós SEMPRE! Nós é quem achamos que Ele só chega naquele momento difícil. 

Essa confiança se inicia com uma decisão do nosso coração. Nós precisamos querer confiar em Deus. Claro que ela traz outras coisas consigo.  Não podemos confiar em Deus se nós não o conhecemos, se não conversamos com Ele, se não criamos uma intimidade com Ele. 

Mas começa por uma decisão. Quando nos decidimos por Deus, ele automaticamente providencia os meios para que construamos uma intimidade com ele. Meus irmãos, a oração é uma coisa tão simples, mas tão simples que Deus em sua infinita misericórdia a criou de tal modo que não precisa nos ensinar a fazer. A nossa forma de pensar já é uma oração. 

Que hoje tomemos essa decisão de nos abandonar no infinito amor de Deus!
Abraço fraterno...
Jonathan Melo


0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!