sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Uma vida vivida em Deus

Naquele tempo, havia também uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Era de idade muito avançada; quando jovem, tinha sido casada e vivera sete anos com o marido. Depois ficara viúva, e agora já estava com oitenta e quatro anos. Não saía do Templo, dia e noite servindo a Deus com jejuns e orações. 


Ana chegou nesse momento e pôs-se a louvar a Deus e a falar do menino a todos os que esperavam a libertação de Jerusalém. Depois de cumprirem tudo, conforme a Lei do Senhor, voltaram à Galileia, para Nazaré, sua cidade. O menino crescia e tornava-se forte, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava com ele” (Lucas 2,36-40).

Que o Espirito Santo nos dê a graça de perseverar em seu amor. Meus irmãos que exemplo que essa viúva nos dá nessa passagem. Ser viúva no tempo de Jesus era uma situação delicada. Nos nossos dias encaramos como uma coisa natural. 


O que fazemos diante de nossas perdas?

Precisamos ser muito sinceros consigo mesmos para responder essa pergunta. Essa viúva soube viver o tempo bom e o tempo ruim em Deus. Soube viver o matrimônio, como também a perda de seu esposo. E o que ela fez? Reclamou, lamuriou? Questionou a Deus, reclamou com Ele? Talvez ela até tenha feito isso.

Mas ela soube viver uma intimidade com Ele. Ela soube entregar para Ele o coração. Nós precisamos aprender com ela a viver nossas alegrias e tristezas por Cristo, com Cristo e em Cristo. Lembro que o Padre Léo sempre nos dizia que o milagre da transubstanciação não acontecia em nossas vidas, porque o que levávamos para o altar não era nosso. 

Precisamos aprender com essa mulher a levar para o altar do Senhor, levar para Deus a nossa vida, o nosso coração, as nossas dores e sofrimentos. Jesus vai aceitar a nossa oferta e vai fazer de cada um de nós, novos filhos, restaurados pelo seu amor na cruz. 

Olha que segredo de cura interior fantástico: "Não saía do Templo, dia e noite servindo a Deus com jejuns e orações." Como  o Padre Léo nos diz: "Hoje nós não conseguimos rezar sequer dois minutos, oh raça de gente fraca. A vida não tem pena de gente fraca."

Precisamos ir a casa do Senhor, nos fortalecer com seu amor, nos alimentar com o Pão que dá a vida, Jesus! Pedir que Ele nos dê a graça de perseverar na vida de oração, na intimidade com Ele, pedir que Ele nos conceda a graça de caminhar em cada minuto de nossas vidas de mãos dadas com Ele. 

O ano já começou. Se não conseguimos ainda sermos radicais para fazer a vontade de Deus, ainda é tempo de recomeçar. Precisamos aprender com os grandes santos de nossa Igreja, bem como essa viúva que teve a coragem de viver uma vida em Deus. Nem mesmo o câncer foi capaz de afastar o Padre Léo - um segundo sequer! - da vida em comunhão em Deus. Lembro que ele celebrava missas até quando estava no hospital, e missas diárias, conforme o carisma Dehoniano.

Não dá mais para viver sem Jesus. Não dá mais para nos enganar. Precisamos como essa mulher de uma vida de oração e jejum, precisamos fazer como ela, louvar a Deus e falar do Menino Deus que habitou no meio de nós.

Não sabe como começar? Não sabe o que fazer? Eu dou um dica:

Que hoje tomemos a decisão de nos MATRICULARMOS NA ESCOLA DO CORAÇÃO DE JESUS! Deixemos que o Mestre nos eduque em seu amor e em sua vontade.

Abraço fraterno.
Jonathan Melo

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!