segunda-feira, 14 de julho de 2014

Escola da vida!

Nascemos, vamos crescendo e aprendendo na “escola da vida”. E nessa escola, vamos reescrevendo a nossa história. Fé e educação caminham juntas. Desde o nascimento até a maturidade vamos percorrer caminhos doces e amargos, exigências da vida.

A origem do menino Tarcísio é de família simples, no coração do Biguá, sul de Minas Gerais. "A ausência de energia elétrica proporcionava uma escuridão muito rica para todos. O lampião a querosene iluminava e convidava à proximidade. A noite fria era um convite para todos se sentarem sob a taipa do fogão, lugar sagrado, onde se partilhava a vida, emoções, fé e esperança". 

O crescimento da fé e do conhecimento segue o ciclo de uma planta: Até os sete anos, a sua primeira escola foi no habitat natural de sua família, onde aprendeu a amar e ser amado, em meio à natureza. Os pais: Quinzinho e Nazaré prepararam o terreno, a semente na terra abriu caminho para uma educação voltada para o cultivo de valores. "Os ensinamentos recebidos de seus pais vieram muito mais da vida que levaram do que de discursos ou palavras". 

O menino começou a frequentar a escola rural aos sete anos. "Teve seu primeiro contato com o mundo do saber. Os cadernos, feitos muitas vezes de papel de pão cumpriam a sua função". 
Agora, um brotinho, que surge da terra começa a despertar. A maior lição que o menino tímido aprendeu foi enfrentar os desafios dos primeiros dias de aula.

O conhecimento é para a inteligência, a fé é para a vida. "Tinha facilidade em aprender. Aprender a ler e a escrever era uma paixão especial na vida daquele menino". Ficava maravilhado! "Ele lia tudo o que via pela frente, e lia sempre em voz alta". Isso provocava nele mudanças, enxergando com clareza ao seu redor. Aprendia com muita rapidez, ficava ansioso para chegar à escola, o caminho parecia-lhe longo demais.
Muitas vezes ficou de castigo por não saber tabuada. A sua professora, por morar longe, deixava a servente da escola a tomar a tabuada, mas ela repetia com a boca, o menino muito esperto e inteligente, olhava para a boca da servente e acertava todas.

Antes uma semente, depois a plantinha surge. Agora com nove anos, a fé atinge a inteligência e o coração. Tempo propício para Tarcísio participar dos sacramentos da Igreja. "Não perdia o terço na Capela de São Benedito. Tornou-se o coroinha do padre Arlindo e no mês de junho coroava o Sagrado Coração de Jesus". E realizou o seu sonho de fazer a primeira comunhão, vestindo seu terninho branco.

Chegou a adolescência! A plantinha cresceu e começa a se desenvolver. "Esse é um tempo de muitas transformações e turbulências". Uma nova etapa na vida de Tarcísio: "Como não poderia continuar os estudos no Biguá, teve que ir para Itajubá, onde continuou estudando". 

 (trechos do livro: Rastros de Deus)

“Seu filho (a) precisa ser uma árvore frondosa, ser benção para os outros, pois a rosa exala seu perfume para todos...” (Padre Léo Tarcísio- pregação: Gaste tempo com seu filho)

2 comentários:

  1. Este planeta ficou pequeno demais para essa pessoa tão bondosa e inteligente acho que Deus precisava dele por isso ele se foi tão cedo. Mas deixou um legado maravilhoso pra todos nós. Obrigado querido Padre Léo!!!

    ResponderExcluir
  2. Padre Léo deixou saudades um sábio e santo homem, transformando famílias até hoje através de suas palestras, são ótimas. O mundo precisa de outros padres LÉO.
    JOANA CHMILOUSKI de Guarapuava PR.






    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!