domingo, 27 de julho de 2014

Limpar as feridas e desinfetá-las!

Tocar as feridas do passado, trazemos à tona experiências positivas ou negativas que vivemos, ao longo de nossas vidas, como um sopro nas cinzas, para que a cura interior aconteça. Mas é preciso tomar a decisão de limpar as feridas e desinfetá-las, senão vai aumentar o problema.

Este é o contexto da pregação: “Desterre seus traumas”, de 27/11/2005, Canção Nova, onde padre Léo nos ensina como buscar a cura dos traumas.

O tempo passa, a memória fica, grande companheira do homem. Padre Léo trouxe para a sua vida adulta, tudo o que aprendeu na casa de seus pais: Quinzinho e Nazaré. E usou esses valores em seu Ministério de Cura Interior.

Na pregação ele relembra os seus tempos de menino, que ficou bem vivo em sua memória. Com 08 anos de idade, já há um ano na escola rural, o entusiasmo em querer aprender mais e mais, valia a pena acordar cedo, coisa que detestava. Depois do dever de casa ajudava o pai na roça. Como evitar o perigo que ronda a toda hora nossos filhos?
"Fui buscar palha de pinheiro e um dos gravetos, um estrepe entrou no meu pé, entre os dedos, uma dor medonha. Tirei e lavei com água. É claro, não contei para a minha mãe. Minha mãe era a maior carrasca. Ela tinha um vidro de Mertiolate, aquilo no machucado ardia muito". 

O menino Tarcísio levantou cedo no dia seguinte, e colocou o seu sapato Verlon. "É um sapato inteirinho de borracha, até a sola, tinha uns furinhos em cima para o pé suspirar. É termostato. E fui para a escola". 

Quando voltou, Dona Nazaré viu o menino pela janela da casa e achou estranha a maneira com que subia a ladeira. Mas logo pensou que estivesse brincando com o seu carrinho de madeira que ganhou do seu pai. "Da porteira até lá em casa subi de quatro. Demorei pra chegar. Fui direto para o quarto e lá tirei o sapato. Meu pé estava preto, tinha infeccionado uma coisa enorme de inchado". 

Foi doloroso o tratamento de Dona Nazaré. "Trauma é aquilo que na hora traumatiza, e por isso é mais fácil esconder e dizer: um dia melhora; quando na verdade além de não sarar complica". 
E o amor da mãe foi curando o pé do menino, por quase um ano. Esse amor que ama gratuitamente, que espera o filho chegar da escola, o amor que cuida.
"Tempos depois, ajudando papai, caiu um pedaço de madeira em cima do pé, onde foi traumatizado, aquilo furou e começou a sair restos do graveto". 

O processo de Cura interior é doloroso e demorado, mas o Senhor cuida de nós, basta mostrarmos nossas feridas e Ele as curará.

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!