quinta-feira, 26 de março de 2015

Contigo é bem melhor

Escolha tipo e tamanho da fonte do texto:



"Que aqueles dentre vós que temem o Senhor ouçam a voz de seu Servo! Que aqueles que caminham no escuro, privados de luz, confiem no nome do Senhor e contem com o seu Deus!" Isaías 50, 10


Olá meus queridos e amados irmãos em Cristo Jesus! Que vocês tenham a coragem de ser obedientes a Deus. Quando a dor bate a porta do nosso coração, nós não sabemos como vivenciar esse momento de dificuldade.  Por vezes, chegamos a perder o chão. Ficamos sem rumo, sem direção. Sem saber o que fazer, como fazer, para onde ir, por onde começar.

A dor e o sofrimento, de modo geral, são muito naturais em nossa vida, fazem parte da vida. Jesus nos disse que na vida teremos aflições, mas que Ele estaria conosco até o fim dos tempos e ainda nos enviou o Seu Espírito Santo.

A dor, em muitas ocasiões, vem como reflexo de escolhas que fazemos ao longo de nossas vidas. No Antigo Testamento a dor, a doença, era tida como consequência do pecado, era vista como castigo de Deus. Só que Deus não nos castiga. É muito cômodo querer jogar a culpa de nossas escolhas em Deus. É até injusto com um Deus que nos ama tanto.

O primeiro passo para poder experienciar corretamente os momentos de dor e de sofrimento é tomar consciência que somos responsáveis pelas escolhas que fazemos. Toda escolha traz em si a sua consequência, seja ela boa ou ruim. O pecado, seja ele qual for, também terá sua consequência, a dele sempre será ruim, pois como a Bíblia nos fala: “O salário do pecado é a morte”.

Essa morte não chega de forma imediata (dependendo do pecado), ela vem até bem lenta, vem como um sofrimento constante e contínuo. Vem testando toda nossa paciência, nossos limites, nossas fragilidades, despertando nossas ansiedades, inquietações, angústias. Vai tentando derrubar nosso equilíbrio, nossa paz, nosso amor e nossa fé.

Às vezes a dor é silenciosa e oculta. Não dá para saber se existe uma dor, uma causa, só sabemos que não estamos bem, que há algo de errado, mas muitas vezes nem sabemos dizer o que é ou às vezes são tantas pequenas coisas que não sabemos nem diagnosticar essa dor ou sofrimento.

Acontece também de achar que os outros não passam por problemas como nós, por acharmos que eles não sofrem. Olhamos para as pessoas e achamos que elas têm uma vida maravilhosa, mas quando a dor vem à tona, chega com tanta intensidade que as derruba, aí percebemos que estamos todos no mesmo barco.

Essa dor que vem como consequência de nossas escolhas ou dos nossos pecados, vem porque nós vivemos as nossas vidas de qualquer jeito, fazemos as nossas escolhas sem saber qual é a vontade de Deus para nossa vida. Vivemos de qualquer jeito e nos iludimos achando que as nossas escolhas e atitudes não terão consequência.

Quando tomamos consciência da nossa responsabilidade diante de Deus, diante da vida, diante da sociedade, diante da Igreja, diante de nossos irmãos, diante do sofrimento a situação começa a ter uma nova forma. 

A cura interior, como nos salienta o Padre Léo, acontece pela forma como nós encaramos as situações. É a nossa forma de enxergar o problema, a situação, a dor, o sofrimento que vai fazer toda diferença.

Em momentos de muita dificuldade e dor, além de não tomarmos consciência, além de não conversarmos com Deus para que Ele nos dê sabedoria para entender e enfrentar esse sofrimento, nós queremos resolver sozinhos, do nosso jeito, e fatalmente fazendo mais besteiras ainda, aumentando ainda mais a dor. Somos filhos de Deus por essência, mas fazemos questão em viver como “Antas”.

Como ter sabedoria e discernimento para viver os momentos
de dor e sofrimento?

A resposta é simples; precisamos viver nossas vidas em Cristo, com Cristo e por Cristo. Deus precisa ser o centro de nossas vidas, de nosso coração, de nossa razão.

Precisamos parar de viver sem Ele, longe Dele, fazendo as coisas sozinhos. Precisamos viver a nossa vida junto com Deus, cada dia, cada atitude, cada escolha, cada passo junto com Deus. 

Precisamos aprender a entrar em sintonia com Deus. Precisamos entrar no tempo Dele, na vontade Dele e, sobretudo, na obediência à vontade Dele. Seremos curados e teremos uma vida plena se formos obedientes à vontade de Deus.

Nos momentos de dor precisamos lembrar que “a melhor maneira de sair dessa situação é da maneira de Deus e no tempo Dele” (Márcio Mendes). Não há outro caminho senão o de Deus. É difícil passar pelo tempo e pela espera Dele, mas se queremos ser felizes precisamos recomeçar junto com Ele, no tempo Dele e na vontade Dele. Precisamos aprender a buscar ser obedientes na vontade do Pai.

Vamos pedir a Deus essa graça de não dar um passo se Ele não estiver junto de nós:



Caminhando em cada passo com Jesus...
Abraço fraterno...
Jonathan Melo

Um comentário:

  1. "...a dor é silenciosa e oculta." A postagem como um todo falou muito ao meu coração, mas principalmente, o parágrafo que contém esse trecho. Quantas vezes não nos sentimos assim? E por que nos permitimos nos sentir dessa forma? A resposta é bem simples e clara. Creio que cada um de nós já traz dentro do coração a resposta para essa pergunta. Como nos é dito no texto acima, isso só acontece porque somos teimosos e insistimos em caminhar sozinhos, quando temos a melhor e mais eficaz companhia: Jesus Cristo, nosso melhor amigo que nunca nos abandona. Algumas vezes, devido às inúmeras dificuldades que vivenciamos, não sentimos a presença Dele, porque o nosso coração está adormecido pela dor, e nossa alma embaçada pelo sofrimento. Mas tenhamos certeza de uma coisa: o amor infinito e incondicional de Deus é capaz de acordar o nosso coração e tornar nossa alma transparente, para que assim, possamos sentir e enxergar a presença de Cristo em nossa vida. No entanto, é importante termos em mente que as dores e os sofrimentos não irão embora. Não foi isso que Deus nos prometeu. O que mudará é nossa forma de encarar cada situação que nos for apresentada. Com Jesus ao nosso lado, somos mais fortes e estaremos preparados para atravessar qualquer tempestade. Não podemos esquecer que o nosso Deus é Aquele que acalma as tempestades, e até os ventos o obedecem. Com Ele ao nosso lado, o que temeremos? Por isso, demos glória para sempre ao nosso amado e perfeito Deus. Amém!

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!