sábado, 21 de novembro de 2015

Lágrimas de Cristo!

Quando desistimos muito facilmente de orar ao Senhor, pedir, perseverar, é porque o nosso problema não é tão grave assim. É o que sempre nos ensinou padre Léo.

Uma extraordinária lição de fé e de amor, está no último capítulo do livro: Roteiros Bíblicos de cura interior, com o título: Lágrimas de Cristo! onde o Padre Léo nos relata a luta de dona Nazaré, para salvar sua filha doente.

Vamos refletir sobre a realidade da oração na vida
de um cristão, sobretudo da oração de intercessão.

A vida difícil ao lado de sua filha enferma, sem dinheiro, sem comida, e não podendo levá-la até a cidade, "dona Nazaré não teve outra saída, senão ir até Itajubá, para ver se conseguia alguma ajuda". Aí começa a sua labuta: foi aos hospitais, Santa Casa, mas não encontrou ninguém que pudesse atender sua filha em casa.
"Quem continua a buscar Jesus mesmo quando tudo parece perdido, se não o encontra, encontra alguém que sabe onde ele está, ou conhece o roteiro que conduz até ele".
Esgotados todos os recursos, "dona Nazaré passou em frente da Igreja Matriz Nossa Senhora da Soledade. Como boa mineira, entrou para rezar um pouco". 

Para muitos a oração significa uma obrigação para conseguir a paz de espírito, para outros uma terapia para livrá-los de um mal. Mas a oração que chega ao céu é a que brota da intimidade com Jesus, quando aproveita a sua companhia para falar de seus medos, de suas angústias e ao mesmo tempo mostra a total confiança Nele. E dona Nazaré começou a orar, com muita devoção e simplicidade:
"- Senhor Jesus, olha, sou eu, a Nazaré. Não sei se o Senhor se lembra. Sou lá do Biguá. Muitas vezes conversei com o Senhor lá na Igreja São Benedito..." E foi contando para Jesus o que vinha passando com a sua filha.

O modo de rezar daquela mulher estranhou a todos os que estavam na Igreja. Com toda a confiança que iria ser atendida, ela pediu que Jesus fosse até a sua casa curar a sua filha. Mais estranho ainda quando lhe deu todo o roteiro para chegar até lá. "A hora que o Senhor chegar lá em casa a porta vai estar trancada. A chave vai estar no vaso de flor. O Senhor pode entrar, cura a minha filha e depois, por favor, tranca de novo a porta..."

A oração de dona Nazaré é o encontro de uma realidade sofrida, que tantas mães vivem hoje, com o amor de um Deus que jamais nos abandona, e que está vivo na nossa história. E se manifesta em nossas vidas por pura bondade e misericórdia.  

A volta à casa foi uma grande surpresa:
"-Minha filha. Você está de pé, que cara mais boa! Como isso aconteceu?" A menina feliz foi lhe contando sobre a visita do homem de branco, que transmitia muita paz. E na despedida lhe disse: "Diga para a sua mãe que eu vou deixar a chave no vaso de flor... É a primeira vez que vejo Lágrimas de Cristo em vaso. Adorei a ideia!"

 
Lágrimas de Cristo: 
É uma planta trepadeira, que em sua essência, nos lembra o sofrimento de Cristo, as lágrimas de sua paixão na cruz.
As suas flores, quando ainda em botão, tem o formato de um cálice branco, simbolizando a paz. E do seu interior saem quatro pétalas vermelhas: o martírio.
Suas folhas verdes como as oliveiras, apresentam nervuras profundas como as chagas de Cristo.

O diácono Nelsinho Correa ganhou de dona Nazaré uma mudinha da planta, que cresceu e floresceu.
Jesus sempre está presente na beleza de uma flor. 


Escolha tipo e tamanho da fonte do texto:

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!