A importância dos Grupos de Oração

Jesus se retirou com os doze. Grupo! A coisa que o encardido mais está trabalhando para destruir na Igreja são os Grupos de Oração. E triste: está conseguindo.

 Quantos Grupos de Oração morreram? Porque tem Grupo de Oração que hoje é uma assembléia não sei do quê... Onde tudo está organizado. A recepção está organizada, as músicas que o ministério de música vai cantar já estão todas elencadas na pasta... Já tem o sujeito que fez a escola 'não sei das quantas' e ganhou diploma. Esse pode ir lá falar, dar um ensino... Leva duas horas dando ensino, 15 horas dando aviso e não reza cinco minutos. 



E o que tem que acontecer em nossos grupos é um pôr a mão no outro e rezar. Interceder pelas pessoas. Enquanto não fizermos isso os grupos vão caindo! E a gente tem que deixar de viver na lorota! Onde estão os grandes Cenáculos que se realizavam? É muito fácil eu colocar a culpa nos outros. 

Eu dizia, aliás, talvez foi por isso que nunca mais me convidaram para pregar no congresso nacional da Renovação... Porque a única vez que me convidaram para pregar na Basílica de Aparecida, eu falei na frente dos senhores bispos, dos senhores padres e não sei quantas mil pessoas que estavam lá, dizendo que a única coisa que pode acabar e estragar a Renovação Carismática Católica somos nós, quando nos deixarmos tomar pelo espírito de liderança e não de servo. Porque a palavra líder não aparece na Bíblia! E é isso que está acontecendo. 

Tem gente que hoje tem tanto cargo e pertence a tanta secretaria que não tem tempo para fazer um oração. Ele precisa organizar as pastas das secretarias dele todas. 

Jesus está nos dando um ensino concreto de cura interior. Retire-se com o grupo. É preciso que eu tenha um grupo. E dentro desse grupo... Ai é uma sabedoria espetacular. Jesus tinha o grupo de doze apóstolos. Ele tinha os 72 discípulos com os quais ele rezava, mas ele tinha o grupo dos doze apóstolos para orações mais íntimas. Foi para eles que Jesus ensinou o Pai Nosso. Foi com eles que Jesus partiu o pão e instituiu a Eucaristia. Foi com eles que Jesus instituiu o sacramento da reconciliação. 

Mas entre aquele grupo, o grupo que Jesus rezava, Jesus tinha o seu grupinho de cura interior.

E esse grupo tem nome: era formado por Pedro, João e Tiago. Sabe o que me impressiona? Os três piores. Em matéria de relacionamento, os únicos três que a Bíblia conta que tinham defeitos de relacionamentos. E, para completar o quadro, a conclusão da oração é Jesus dizendo que está chegando o quarto.
E qual era essa quarta pessoa? Judas. 

Jesus tinha o seu grupo e dentro daquele grupo ele tinha os três que eram os seus verdadeiros amigos.

Padre Léo 

Trecho da pregação "Como bambus no Getsêmani".

Para assistir a essa pregaçãoclique aqui.


Para adquirir essa pregação, clique aqui

Compartilhe:

Um comentário:

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!

Arquivo do blog

Postagem em destaque

A marmita - Histórias do Padre Léo

Na pregação O Espírito sopra na comunidade , de 08.06.2003, padre Léo contou a história envolvendo três colegas que não aguentavam mais alm...