quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Saiba como Padre Léo começou a trabalhar com dependentes químicos


"Oh, como é triste você ver esse exército de jovens que está jogado às margens da vida! Dados do IBGE dizem que no Brasil, por ano, um milhão de meninas tornam-se mães solteiras. Meninas menores de 18 anos de idade. Dados do IBGE. Entre no site do IBGE que você vê... 



Aproximadamente, um milhão de meninas na mesma idade têm filhos. Aproximadamente, um milhão de meninas da mesma idade praticam o aborto. O Brasil é campeão mundial de aborto! Então onde estão os rapazes que se dizem muito homens na hora de transar? Na hora de assumir? Onde fica a família? Onde fica a sociedade? 

Sabem como eu comecei a trabalhar com dependentes, meninas e meninos prostituídos? Graças a uma menina prostituída que me procurou numa terça-feira à tarde, eu trabalhava no colégio, em 1991... Essa menina me procurou desesperada! Ela tinha me escutado no rádio e foi até o colégio. Barrigudinha, quatro pra cinco meses de gravidez... E essa menina não tinha mais pra onde ir. Ninguém a acolhia. Só tinha uma possibilidade: voltar pra zona que a tia dela mantinha entre Brusque e Blumenau. 

A tia fez a proposta pra ela: ela voltava pra zona e, até que o filho nascesse, ela ia trabalhar no bar da zona. E depois que nascesse a criança, já dariam a criança, que já têm uma rede pra traficar criança e vendem por um bom preço. E então ela ia pagar o serviço, a caridade da tia, transando. Inclusive, a tia tinha feito a proposta pra ela: ao fazer a cesariana já ligava as trompas. Aí ela podia fazer o "serviço" à vontade! Não corria mais o perigo de engravidar. E ela nem queria perder a filha nem voltar para a vida de prostituição... Porque a mãe dela já era prostituta, só que em outro lugar. 

E aí? O que eu ia fazer? Eu não tinha nem um ano de padre, morava num Convento, não ficava bem eu levar uma moça daquelas lá pro Convento. Muitos padres, principalmente os mais velhos, iriam olhar: 'Quem é essa freira aí? Tá com problema no estômago? Tá avolumado... Bonitinha essa freira! Ajeitadona, né?' Não podia! Eu ia levar pra onde? Comecei a procurar um lugar para acolhê-la. Liguei prum monte de família que, inclusive, eu considerava mais ou menos... Nenhuma família. Ninguém quis! 'Até queria! Mas meu marido...'. 'Até queria! Mas minha mulher...'. 'Meu filho não aceitou!'. 'Meu marido achou que por nós termos uma menina de doze anos, seria um mau exemplo, porque depois ela pode pensar que também pode fazer que alguém vai acolher... A gente tem medo de ajudar porque pode até favorecer a pessoa que ajuda a fazer.'. E não achei. 


(Flashes do público presente à pregação)

Consegui uma senhora, o nome dela é Ana... A Ana aceitou, embora a casa da
Ana fosse dois cômodos. Mãe da Daniela, uma menininha que frequentava o colégio, tinha uns 14 pra 15 anos... E sabem por que a Ana aceitou? Porque a Ana foi mãe solteira e sabia tudo o que penou na língua, principalmente dos católicos. Porque se há uma coisa que católico é especialista é em falar mal, descer o pau na língua na vida alheia. Nisso católico é especialista! Quer ver se for católico meio carismático, aí ele fala mal dos outros em línguas! Pode fazer autópsia: a maior parte desse povo que morre, é envenenamento: mordeu a língua. 

Essa senhora aceitou. Só que ela disse: 'Eu não consigo manter.'. Eu disse que não tinha importância e comecei no telefone... Pedi ajuda. Eu não ganhava nem um centavo. Aí fui achando umas pessoas que me davam 50 reais, outra prometeu 50 pro outro mês... E assim foi. E depois foi aumentando, que uma conta pra outra... E eles querem sair! Eu não conheço nenhuma pessoa que está na droga, na prostituição, que não queira sair. 

Quantas zonas eu já fui! Inclusive, quando eu ia na zona, eu ia sempre de dia, porque meu carro sempre teve atrás escrito "Jesus Cristo" pra todo mundo saber que era eu quem estava lá. Quantas vezes! 'Tira eu daqui. Leva eu embora!'. Aí eu falo o quê?  'Jesus vai ajudar você, minha irmã! Vou rezar uma Ave-Maria pra você.'. Vai rezar essa Ave-Maria no meio do inferno! Eu preciso de alguém que me tire desse buraco. E aí a hipocrisia da sociedade: 'Ah, eu não vou ajudar coisa nenhuma!'. Nessa hora gente, nessa hora ninguém quer saber de você não... 

É bom que se diga pra vocês, meninas, todo mundo quer "comer vocês", esse é o termo que o mundo ensina. Comer! E quando a gente come uma coisa, o que a gente faz? Se é muito bom, você usa e joga (Jesus que falou isso, não fui eu, Mateus 15) lá no vaso sanitário. E se é ruim você pega o bagaço e joga fora."

Padre Léo

Trecho da pregação "Você nasceu para ser livre".

Para adquirir essa pregação, clique aqui. 

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!