domingo, 7 de agosto de 2016

Vocação sacerdotal: graça de Deus!

Neste primeiro domingo do mês de agosto, somos convidados a rezar pelas vocações religiosas, leigos consagrados, em especial às vocações sacerdotais, tão necessárias à comunidade.


Trilhar o caminho do sacerdócio é preparar a alma para o Reino de Deus. O Senhor preparou Tarcísio, menino simples, nascido na roça, coroinha do padre Arlindo, crescendo e recebendo os valores cristãos, dentro de uma família cristã.
Deus não impõe, simplesmente convida. É dom, é graça, mas exigente. O jovem chamado ao sacerdócio é livre para dar o seu “sim”. E Deus jamais desiste de nossos sonhos, de nossa vocação. O jovem Léo Tarcísio sentiu o chamado de Jesus para uma vida nova, porém, era preciso muito fazer, muito amar, antes de assumir esse compromisso com o Senhor.

Sua missão nasceu de uma experiência íntima e forte com Jesus, foi seduzido e se deixou seduzir. O Espírito Santo manifestou em sua vida, através de uma visão, uma experiência forte. A mais acertada conclusão dessa “visão” foi que a partir daquele dia, em nenhum segundo voltou atrás, na decisão de se entregar inteiramente.

Vida consagrada é percorrer o caminho de santidade. Aquele jovem abriu mão de sua vida, de todos os seus projetos para realizar os planos de Deus. Foi ordenado sacerdote, o mais ousado dos profetas: padre Léo.
Muitas vezes chegava cansado das viagens, tinha que celebrar a Santa Missa, mas a comunhão íntima com o Senhor lhe trazia uma grande paz, todo cansaço desaparecia.
Pregava sobre os deveres cristãos, para com o próximo e para com Deus. Incansavelmente batalhou pela nossa cura interior, repetindo sempre, que a verdadeira cura está em nos rendermos ao Senhor, na certeza de que Ele nos ama, e nos acolhe.

Aos quarenta e cinco anos Deus o chamou a viver mais plenamente a santidade, através da dor e do sofrimento. Como uma caminhada vocacional, um terreno fértil, onde foi plantado novos sonhos, novas esperanças. O seu último sermão nos convocou a buscar as coisas do céu, aqui na terra, pois é lá que está nosso tesouro.
Padre Léo recebeu de Deus a clara revelação da sua santidade, pois a verdadeira santidade se consome na cruz, no sofrimento. "Por que veio essa doença, eu não sei, mas ‘para que’ eu sei. É para fortalecer a minha fé, é para que seja um padre mais santo, que eu não estou sendo, é para que eu possa assumir meu ministério com uma força muito maior..."

Durante os meses de enfermidade, padre Léo viveu a experiência do sofrimento, em união com Cristo. “A missa que mais me marcou, no hospital, algumas vezes, enquanto dormia, sonhava e celebrava a missa. A missa mais presente de Deus que vou ter pela vida toda. Ele levantava a hóstia, fazia todas as orações dormindo.É um testemunho e uma graça que recebi, de estar junto a ele e poder compartilhar essa missa com ele” (testemunho de sua irmã Célia). 

Nos dezesseis anos de caminhada sacerdotal, em sua atividade como missionário de Cristo, pregando o Evangelho, servindo a Igreja e aos irmãos,dizia sempre: "Sou feliz e realizado como padre". 
Deus o chamou, o preparou e o conduziu ao caminho que leva a uma vida plena.

Rezemos, louvando e agradecendo a Deus pelo dom da vida de todos os sacerdotes!  

Escolha tipo e tamanho da fonte do texto:

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!