domingo, 18 de setembro de 2016

Jesus está disfarçado na sua casa

"Vale a pena lembrar aquela historinha... Não é historinha. É real. Daquela família que vivia num inferno. Tudo ia mal naquela casa. Nada dava certo! Até que um dia, o pai da família foi procurar aquele santo homem, monge. Aquele homem tinha o dom das visões, o dom das curas. Muitas pessoas iam até ele! E aquele homem foi também. 



Final da tarde, ele já tinha tomado umas cachaças, mas assim mesmo ele foi... Quando chegou a vez dele, o padre disse:

- Pois não, meu filho! Você tem algum problema?

- É claro que eu tenho problema, uai! Se eu não tivesse problema, não tava aqui... O senhor acha que eu vinha me humilhar a vir aqui se eu não tivesse problema? 

Sim, filho! E qual é o seu problema?

Meu problema é a minha família. Seu padre, a minha família é um inferno! Se o senhor não conhece o inferno, tá convidado a fazer uma visita lá em casa... Lá em casa tudo dá errado! Nós só temos dívidas... É problema em cima de problema. A minha mulher vive doente. Vive tomando remédio. Meu filho mais velho fuma maconha. Ele tem um cabelo aqui assim...  Uma estátua desenhada no braço, dentro tem uma caveira. A minha filha já teve uns cinco namorados. O meu menino mais novo foi expulso de três colégios. E agora tá fazendo hoje seis meses, nove dias e três horas que a minha sogra tá morando lá em casa. E eu não aguento! Então eu acabo tomando umas cachaças... Eu vim aqui porque me falaram que o senhor tem uma mão milagrosa. O senhor fazer uma reza em mim! 

Aí o padre pôs a mão na cabeça dele e começou a rezar. Falou:

Filho, tou tendo uma visão! 

E o que o senhor tá vendo? 

Filho, tou enxergando que na sua casa tudo vai mal.

Isso aí eu falei pro senhor. Isso aí é verdade! Eu mesmo falei. 

Filho, o problema é muito sério! Nossa! É tão sério que eu não sei se tenho a coragem de falar. 

Oh, seu padre! Pelo amor de Deus... Pode falar que eu tou preparado. Não! Se for o que eu tou pensando, o senhor fala que eu mato ela e ele! Eu mato sim! Por isso que ela não quer eu... 

Não! Não é nada disso! Filho, dentro da sua casa vocês estão cometendo o maior pecado da face da Terra. 

Mas que pecado é esse?

Filho, eu não sei se posso falar...

Mas pelo amor de Deus! O senhor vai me deixar mais nervoso?

Filho, o pecado que vocês estão cometendo dentro da casa de vocês, eu não sei nem se tem saída... É o maior de todos os pecados! 

Então pelo amor de Deus! O senhor fala logo e nós 'resolve'...

Eu não sei se eu deveria, mas eu vou falar: dentro da casa de vocês, o maior pecado que vocês cometem é não reconhecer Jesus Cristo que vive lá... 

Jesus Cristo vive lá em casa? 

Vive. Filho, Deus é amor! Deus mandou Jesus Cristo para salvar  a humanidade. A humanidade matou Jesus. 

Isso aí eu vi mesmo no filme da televisão. Mataram ele lá! 

Mas Deus mandou Jesus Cristo de volta à Terra. 

E é? Não tou sabendo não... 

Só que Jesus Cristo não podia voltar com aquela cara que Ele veio antes senão matavam Ele num Big Brother Especial. E estão matando mesmo, porque lá eles eliminam tudo... Pra não ser eliminado, Ele veio disfarçado.

Ah! Então, se veio disfarçado, como é que eu ia saber?

De fato, filho. E disfarçado em um dos membros da sua família. 

O senhor tá falando que lá em casa? Ah! O senhor pode olhar na Bíblia o endereço. Não é lá em casa... 

Filho, um de vocês é o próprio Jesus Cristo disfarçado. 

Mas, então, quem é? 

Aí que está... Vocês têm que descobrir. Como vocês não descobriram ainda, vocês estão tratando mal um ao outro, logo estão tratando mal Jesus Cristo.Quem trata mal Jesus Cristo, tudo vai mal! 

É isso então?

É, filho!

Eu vou resolver esse problema!



Foi pra casa e reuniu a família:

Gente, nós temos um problema muito sério para resolver. Eu tive essa tarde numas santas conferências com os santos monges das santas mãos e ele falou que um aqui é o próprio do nosso Senhor Jesus Cristo que está disfarçado aqui em casa. Quem é? Que se apresente agorinha, agora! Nem mais um minuto! Quem é? Pode falar... Eu tou preparado pro pior. Pode falar. Quem é?

Ih... O pai bebeu!

Não. Eu tomei um golinho, sim, mas eu estou consciente do que eu estou falando. Quem é? Pode desembuchar logo! 

Ninguém se apresentou. Ele telefonou:

Seu monge, é eu! Olha, eu fiz uma pesquisa aqui em casa. Não é aqui, não... Ouve um engano. Ah... É? Sei. Aqui... Sei. Então tá certo! Ele falou que é aqui mesmo. Esse homem nunca enganou... 

O menino mais novo dele chegou assim e falou:

Pai, e se for a vó, pai? 

Minha Nossa Senhora! Eu tive pensando nisso. Tomara que não seja! Eu tenho tanta raiva dessa velha! Onde se viu falar isso, menino? Meu filho, isso é uma blasfêmia! Você sabe por que Pedro negou o Senhor três vezes? Mágoa dele ter curado a sogra dele. Agora você fica falando... Como é que um tribufu desses pode ser Jesus, rapaz? Meu filho, eu quero que você aprenda desde pequeno: a gente deve gostar de sogra do jeito que eu gosto de cerveja... Geladinha, em cima da mesa! 

Então, vai ver, é o pai! 

Aí foi a vez da sogra falar:

Deve ser... Eu fico imaginando a cara dum bugiu desses. Jesus Cristo! Qual é o capítulo da Bíblia será que fala que Jesus Cristo era um sem vergonha, pinguço, homem que não vale nada? Eu nunca fui com a sua cara, seu medonho! Desde que eu te vi a primeira vez, eu tentei impedir que a minha filha casasse com você! 

Repete o que a senhora falou! 

Eu tentei impedir que a minha filha casasse...

Muito obrigado, minha sogra. Eu não sabia que a senhora tinha esse valor! A senhora tentou me impedir de entrar numa desgraça dessa... 

Então, talvez, seja a mamãe!

Deve... Deve ser! Inclusive, acha o capítulo da Bíblia que fala aí do guindaste? Onde tinha guindaste pra levantar a cruz? Porque uma cruz, para aguentar a sua mãe com esses trezentos quilos, só se fosse uma cruz de ferro ou de cimento armado! Jesus Cristo curava todas as doenças. A sua mãe... Ela tem tudo quanto é doença! 

Então vai ver que é o mais velho...

Deve ser... Imagina Jesus Cristo na cruz com a caveira desenhada no braço? Gente, vocês estão ofendendo Nosso Senhor! Jesus fumava maconha?

Então é a menina...

Deve ser... A  roupa que ela usa é até parecida mesmo com a roupa que o Cristo tava na cruz.

Então é o Juninho!

É possível! É possível porque Jesus Cristo com 12 anos tava lá no Templo discutindo com os doutores... Essa pequena anta aqui já foi expulsa de três colégios! Deve ser Jesus Cristo mesmo... Eu vou sair! Eu vou espairecer minha cabeça! 

Aí foi pro boteco:

Olha, me bota aí um copo cheinho. 

Tapou o nariz... 

Aí o cara falou:

Por que ele, sempre quando toma cachaça, tapa o nariz? 

É porque ele gosta da pinga pura. E se ele sentir o cheiro, já dá água na boca. Ele não quer misturar com nada, nada, nada... 

No outro dia, ele foi trabalhar, pensativo. Chegou a noite em casa na família, pensativo. O menino veio... Criança, né? A mãe que mandou.

Oh, pai! O senhor pensou no que o homem falou?

Pensei, filho. Pensei o dia inteiro. 

Pai... E se for a vó, pai? 

Oh, meu filho! A gente pede a Deus que não seja, mas possível é. Ela vai na igreja... Depois, Jesus Cristo viveu faz dois mil anos, quer dizer, ela é a mais próxima dele. Eu vou tratar melhor essa véia! Ah, vou! Eu vou fazer um esforço, mas vou! 

No dia seguinte, ele acordou cedo e fez café. Pegou a bandeja, chícara de café com leite, bateu na porta do quarto:

Quem é? 

Aquela voz, assim, de manhã... 

E é eu, minha sogra... 

Entra!

Bom dia! Eu vim trazer um gole de café com leite pra senhora.

Pra mim? Bebe um gole primeiro! 

Aí bebeu... Aquela senhora começou a melhorar. Sendo bem tratada, trata bem! Foi melhorando. Mas podia ser o pai... 

É mesmo, né? Nós precisamos tratar melhor o pai. Coitado do pai. O pai não é ruim. 

É verdade, né? O pai sempre foi tão bom. De uns tempos para cá o pai começou a beber. Por que será? Vai ver que é culpa nossa também.

É mesmo! Eu não sei nem quanto tempo faz que eu não dou um beijo no pai. Eu acho que nunca beijei ele. Nossa! Eu acho que eu nunca falei pro papai: 'Papai, eu te amo'. Eu nunca agradeci o papai: 'Papai, obrigado por tudo o que o senhor faz por nós'. Meu Deus! Como a gente está sendo ingrato. 

A mulher falou:

É verdade. Eu também. A gente vai ficando preocupado com as coisas... Essas doenças. Eu preciso tratar melhor ele. Ele gosta tanto do franguinho assado. Faz tanto tempo que eu não faço. Coitado! Vai ver que é por isso que ele fica pelos botecos, porque quando chega em casa aqui ninguém trata bem dele.

Começaram a tratar melhor o pai. E a pessoa sendo bem tratada, trata bem! Mas podia ser a mãe…

É verdade! Coitada da mamãe. Mamãe trabalho feito uma condenada. A gente só reclama da mãe. Eu acho que eu não agradeci a minha mãe: 'Obrigada, mãe, pela comida. Obrigada, mãe, pela minha roupa. Tudo arrumadinho. Chega sábado, a gente sai, a mãe fica sozinha! Quantas vezes eu cheguei e a mãe estava com os olhos cheios de lágrimas. Oh, mãe! Quanto tempo eu não falo assim: "Oh, mãe! Eu te amo! Obrigado, mãe! Obrigado'.

É verdade! Eu estou tratando sua mãe também... Vai ver que é por isso que ela precisa desse tanto de remédio. 

Oh, pai! Quanto tempo faz que o senhor não dá um abraço apertado na mãe? 

É verdade, viu? É. Mas se ela for Jesus...

Começaram a tratar melhor a mãe. E o menino? Por que será que ele se droga? Marido e mulher conversando, a mulher falou:

Sabe que eu escutei uma palestra do professor Felipe Aquino? E ele falou na televisão: 'Os defeitos dos filhos são filhos dos defeitos dos pais'. Então o problema do rapazinho aí...

Meu? Não! Eu nunca dei maconha para ele fumar. 

É. Mas quantas vezes você saiu com ele? Você, como pai, pôs a mão no ombro dele e perguntou pra ele se estava tudo bem? 

Não, Mas, também, você quer tudo de mim!

Tudo não! Eu estou perguntando uma coisinha só...

É. Então tem que tratar melhor o menino.

É verdade! Só fica implicando com cabelo dele. Compra um shampoo pra ele lavar o cabelo. 

Eu comprar um shampoo pra lavar um cabelo daquele? Coisa mais feia homem de cabelo comprido... 

Jesus Cristo usava cabelo comprido.

Mas não era meu filho. Se fosse, cortava! 

É... Mas já está melhor ele. E a menina?

Nem me fala! Essa não tem possibilidade!

Onde já se viu você falar um negócio desse da sua filha?

Ah, é? Eu ja vi! Um dia, eu tava no boteco... Eu tava meio bêbado, mas eu vi ela sentada no colo de um rapazinho. 

É! E sabe por que ela estava sentada no colo do rapazinho? Por que você, como pai, a quanto tempo não pega ela no colo? Pai que não pega a filha no colo, vai pegar a filha no colo dos outros! Custa você dizer pra ela que ela está bonita?

Mas ela não está bonita com aquele cabelo dela... Por que ela foi pintar aquele cabelo de laranja? 

Mas fala. Mente! Essa mentira é boa. É santa! Fala que tá bonitinha. Não precisa falar que tá bonita. Fala que tá bonitinha! Precisamos tratar melhor a menina.

É verdade? 

E o pequenininho? 

Isso aí é um caso perdido…

Que é isso! Que caso perdido o que? Só tem doze anos. Em Cristo nós vamos conseguir! E se ele for o Cristo disfarçado? Se ele for o Cristo disfarçado é mais fácil ainda. Aí que consegue!

Ah! Isso é verdade!

Então vamos fazer a nossa parte.



Cada um naquela casa começou a tratar o outro com respeito. 'Bom dia! Obrigado! Valeu! Que bom que você veio'. Gente, começou a mudar tudo naquela casa. A mulher já não precisava daquele tanto de remédio. O marido nem passava mais no boteco pra beber. Ele saia do serviço, ele queria ir embora porque sabia que na casa dele tinha uma família que tava esperando. A menina começou a usar umas roupas mais decentes. Sabe qual é a maior alegria dela? Morder a orelha do pai! Sentava no colo do pai, ficava mordendo a orelha do pai... O pai brincava e aquela menina de dezoito anos parecia que tinha oito! 

O pai voltou a jogar bola com o rapazinho. A sogra começou a ajudar na despesa da casa com sua aposentadoria. Agora se sentia útil. Não era mais um traste inútil. A vida foi mudando! Junto, como não gastavam mais com bebida, com remédio, com droga, com aquele tanto de apetrecho, foram economizando, foram pagando as dívidas, foram selecionando o que precisava ser pago. 

Que emoção para aquele monge, quando no domingo, às 10 horas da manhã, na terceira fila do lado esquerdo da capela do seu Convento ele vê pai, mãe, avó, rapaz, a moça e o menino participando da Missa. Aquela Missa foi especial praquele monge. Quando terminou a Missa, ele chamou a família na sacristia e disse:

Eu tou muito feliz! Eu queria muito agradecer, muito, muito, muito, muito, muito... Porque vocês descobriram o segredo. O maior segredo! Porque quando vocês tentaram descobrir quem era o Cristo, vocês chegaram a maior graça que um ser humano pode chegar. Ao tentar descobrir quem era o Cristo, vocês passaram a ver cada um com os olhos do próprio Cristo. E é esse o segredo! Não tem outro!"

Padre Léo

Trecho da pregação "A salvação de nossas famílias".

Para adquirir pregações e livros de Padre Léo, além de produtos da Comunidade Bethânia, clique aqui.

Confira o vídeo do trecho transcrito:


Um comentário:

  1. Muito sábio este padre. Poucos anos de sacerdócio que converteu muitas almas.

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!