domingo, 20 de novembro de 2016

O mundo está carente de amor!

Hoje, 20 de novembro é comemorado no Brasil, o Dia da Consciência Negra, (instituída no ano de 1995), em homenagem aos 300 anos da morte de Zumbi dos Palmares, um escravo que liderou o Quilombo dos Palmares, na luta contra a escravidão. Zumbi morreu em 20 de novembro de 1695, enquanto defendia a sua comunidade pelos direitos de seu povo.

Neste mundo em que vivemos, impregnado pelo racismo, nada mais urgente é ter esse dia, para refletirmos sobre a importância do negro em nossa história. A luta continua, apesar do número significativo de habitantes, o negro quer ter o direito de ocupar o espaço que lhe é devido, sem renegar sua negritude e se integrar plenamente à sociedade. É fundamental que não fiquemos só na “reflexão”, é preciso ações concretas para levar o homem ao encontro do irmão, a descobrir os valores da fraternidade.

Dentro desse contexto, padre Léo, que lutou muito contra qualquer preconceito, sobretudo o de raça, nos diz em seu livro: Rastros de Deus: "Os homens resolveram agir como racionais e por isso mesmo é preciso sempre pensar em coisas concretas, é preciso trabalhar com unhas e dentes para que o mundo possa ser grande".


"O verdadeiro Brasil é o país do negro. Sua padroeira é negra, sua comida típica também é negra. Lembrou-se com saudade dos seus tempos de adolescente, quando passava grande parte de seu tempo, na casa de sua amiga e mãe negra. Que saudade estava sentindo da Dna Ditinha, a quem carinhosamente chamava de Madrinha. Que negra maravilhosa, que lhe havia ensinado tantas coisas, inclusive a amar melhor os brancos. 
Leão lembrou-se do Padre João Batista, daquele riso maravilhoso que mandava embora tantas tristezas. João era de fato um irmão muito querido. Com ele, Leão aprendeu a ser fiel ao Senhor... e que a grande pregação deve ser o nosso testemunho. Com ele, Leão aprendeu principalmente a saber sorrir, mesmo que esse sorriso fosse molhado por uma gota de lágrima". 

O negro não é aceito pelos parâmetros da normalidade, com defeitos e virtudes inerentes a todo ser humano. Seja ele intelectual, operário, exige-se dele muito mais do que se exige de outra pessoa.
"Infelizmente o negro é menosprezado, diminuído. E ele estava profundamente convencido de que enquanto o mundo separar os homens pela cor da pele estará incapacitado para amar, para enxergar além das aparências... é possível transformar o mundo no dia em que os homens descobrirem sua capacidade de amar". 

Hoje, a Igreja comemora a grande Solenidade de Jesus Cristo, o Rei do Universo. Para entendermos o sentido desta festa, precisamos tirar de nossas mentes a figura do rei, associada a palácios, tronos e riquezas. Cristo nasceu pobre, viveu entre os pobres, morreu pobre no trono da cruz. Precisamos vencer as barreiras provocadas pelo preconceito, orgulho, ganância, maldade, indiferença, para que o Espírito Santo possa fecundar em nós o amor, para que o seu reinado possa atingir nosso coração e nos transformar.
O que Jesus quer, o que mais deseja, é que vivamos na justiça, na fraternidade e na paz. Os homens esqueceram que todos somos filhos de Deus, somos todos irmãos. O Reino de Deus está entre nós quando amamos o irmão.
Este reinado de Jesus deve começar aqui, nas relações sociais e culminar na pátria Celeste.

Escolha tipo e tamanho da fonte do texto:

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!