domingo, 13 de novembro de 2016

Oração final da pregação "Nem tudo me convém" - Rezando com Padre Léo

"Responde pra Deus: 'Eu quero, Senhor! Eu estou nesse acampamento pra isso. O Senhor sabe que lá no fundo, no mais íntimo, no mais profundo do meu ser, do mais profundo do meu íntimo, eu tenho esse grande desejo... Esse desejo de ser verdadeiramente livre! Mas acontece que me ensinaram, Senhor, que a liberdade é eu fazer o que eu bem quiser, do jeito que eu quiser, na hora que eu quiser. Eu acreditei nessa falsa ideia de liberdade e acabei entrando nesse caminho. E essa liberdade que eu fui, Senhor, acabou me transformando numa coisa, num objeto. E hoje eu estou pagando o preço, Senhor!



 Essa doença que eu tenho, esse vício que eu tenho, essa angústia que eu tenho, essa tristeza que eu tenho são consequências do uso errado dessa liberdade, Senhor! Essa minha impaciência, Senhor! Essa angústia profunda do meu coração. Essa insatisfação, Senhor! Essa dúvida. Essa dívida. Essa mágoa, Senhor! Essa mágoa profunda que está me comendo por dentro, Senhor! Esse ódio que está me destruindo, Senhor! Eu sei que tudo isso são consequências dessa liberdade falsa. E eu não quero mais viver assim, Senhor! Eu não aguento mais viver, Senhor, nesse pecado. Eu não aguento mais viver, Senhor, dia e noite preso. É uma prisão tão terrível, Senhor. É uma cadeia tão terrível que ela não prende os meus braços, pelo contrário, ela solta meus braços. Ela não prende minhas pernas. Ela solta as minhas pernas, Senhor. Não é uma corda que me prende. É um corredor que me conduz, Senhor! E cada vez que eu estou livre, eu só consigo caminhar numa única direção, Senhor! 

Eu estou igual a um animal treinado, Senhor, que só anda na mesma trilha. Livre, eu não tenho nada me amarrando por fora. Não tem nenhuma corda, Senhor, porque o mais terrível é que meu coração está amarrado. E quando eu estou livre, Senhor... Quando eu acho que estou livre, que não tem ninguém me vendo... Quando eu estou longe, Senhor, aí eu faço absurdos! Eu vou pra lugares terríveis, Senhor! Eu faço coisas, Senhor, que depois eu mesmo tenho nojo. Eu tenho vergonha. Meu maior medo, Senhor, é que as pessoas descubram como eu estou amarrado pelo demônio. Como eu estou preso, Senhor! Apesar de eu me dizer livre, Senhor. Não tem nenhuma corda aqui fora me prendendo, Senhor. 

 Senhor, eu tenho vergonha, eu tenho nojo dos pensamentos que conduzem a minha cabeça. Das ideias que vêm a minha memória, a minha vontade... Os sentimentos que afloram o meu coração, Senhor! E das atitudes que eu sou capaz de ter. Dos atos pecaminosos que eu sou capaz de fazer, Senhor, quando me deixo levar pelo pecado. 

Senhor, é por isso que estou aqui nesse acampamento. Porque eu não aguento mais. Eu não aguento mais ser escravo da droga, da bebida. Eu não aguento mais ser escravo da televisão. Eu não aguento mais ser escravo do sexo. Eu não aguento mais ser escravo da prostituição. Eu não aguento mais ser escravo da mentira. Eu não aguento mais ser escravo do ódio. Eu não aguento mais ser escravo do egoismo, da mágoa... Eu não aguento mais ser escravo da tristeza. Eu não aguento mais ser escravo da irritação. Liberta-me, Senhor! Eu sei que somente se o Senhor me libertar eu serei verdadeiramente livre, Senhor. Liberta-me, Senhor! Eu quero segui-lo, Senhor! Eu quero ouvir esse seu convite hoje, Senhor. E ter a coragem de dizer: 'Sim, Senhor, eu quero segui-lo! Eu estou aqui, Senhor!' 




Eu estou aqui nesse acampamento... Eu estou aqui na minha casa, Senhor, sintonizado nesse canal de televisão . Eu estou agora diante do meu computador. Eu estou agora ouvindo esse rádio, Senhor, e eu quero dizer que quero segui-lo, Senhor! Eu não quero mais viver, Senhor, nessa libertinagem, nessa liberdade falsa que o pecado está me convidando. Eu não quero, Senhor, mais a liberdade de andar sem roupa, mas também de andar despido de toda dignidade. Eu não quero, Senhor! O meu desejo, Senhor, é carnal. Mas a minha vontade é espiritual. E eu quero viver  essa minha vontade. Por isso, eu te peço: chama-me de novo, Senhor! 

Tu que me convidaste hoje, no início dessa manhã, a voltar a meu primeiro amor, por favor, Senhor, chama-me de novo! Põe de novo aquele entusiamo no meu coração. Põe de novo aquela alegria no meu coração. Põe a alegria de pertencer única e exclusivamente a Ti, meu Senhor! Põe de novo no meu coração, Senhor, o desejo de ser santo. Põe de novo no meu coração, Senhor, o desejo de ser um jovem puro, um casal santo. Um consagrado, um padre, uma freira cheios do Espírito Santo. Volta-me ao meu primeiro amor, Senhor.

 Senhor, Tu que morreste por mim, chama-me hoje de novo. Eu quero ouvir Tua voz me chamando hoje, Senhor. E eu quero segui-lo. Ajuda-me, Senhor, a dizer sim! Põe Teu Espírito Santo em mim, Senhor. É o Teu Espírito que me faz verdadeiramente livre. Põe Teu Espírito Santo no meu coração. Modela meu coração, Senhor! O mesmo Espírito que modelou o coração de Maria para que ela pudesse dizer sim. O mesmo Espírito que levou Pedro, Tiago, André, Mateus, João a dizer sim

O mesmo Espírito que levou Águida a ser capaz de deixar-se decepar para dizer sim. Dá-me esse mesmo Espírito, Senhor. Hoje eu te peço, Senhor, como Eliseu, uma porção dobrada do espírito de Elias. Aquele espírito que me leva, Senhor, a ser canal de vida. O mesmo espírito que conduziu Moisés, Senhor, a levar o povo na grande busca de libertação. Eu preciso desse Espírito, Senhor! Põe esse Espírito em mim, Senhor! Esse Espírito de liberdade que vence o espírito de libertinagem. Põe esse Espírito em mim, Senhor! Eu quero voltar ao primeiro amor. Eu desejo ouvir o Teu convite. Eu desejo ouvir o Teu apelo novamente, Senhor. Eu quero, Senhor! Eu quero segui-lo, Senhor.

 Diz pra Deus do seu jeito: 'Eu quero, Senhor!' Tu sabes o que me amarra. Eu quero, Senhor. Eu quero pra valer. Hoje é pra valer. Eu quero que hoje seja o primeiro dia do resto da minha vida, Senhor. Eu quero segui-lo. Leva-me nos Teus carinhos e nos Teus braços. Eu quero, Senhor." 

Padre Léo

Trecho da pregação: "Nem tudo me convém".

Para adquirir essa pregação, clique aqui.

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!