sábado, 24 de dezembro de 2016

A formação da Sagrada Família de Nazaré

Qual é a profissão de José? Carpinteiro. Vocês imaginam quando José ficou sabendo que ele ia ser o pai do filho de Deus! Mais ainda: o anjo disse a ele que seria responsabilidade sua registrar o menino. 



"Você vai dar nome ao filho de Deus!" 

Qual é a primeira coisa que você acha que se você fosse José você iria fazer? O berço. Carpinteiro! Eu imagino que José foi imediatamente preparar a melhor madeira que ele tinha. E ele desenhou o berço! Ele deve ter riscado umas 30 vezes aquele berço. E começou a fazer aquele berço. Como Maria foi visitar Isabel (e ficou três meses), ele teve tempo suficiente. Toda noite, terminava o serviço dele, ele ia pra casa, ficava lixando o berço... E caprichando, fazendo umas bolinhas. E pôs um negócio de balanço embaixo pra amarrar uma cordinha, pra puxar o rapazinho quando ele tivesse chorando né? Ele era carpinteiro! A surpresa dele foi que quando Maria voltasse ele queria lhe mostrar o berço. 



E Maria? O que ela ficou fazendo na casa de Isabel? Crochê e tricô. Sim, senhora! Pois um servicinho à toa, cuidar de uma senhora e uma criança, numa casa pobre daquela, que tinha três pratos, duas panelinhas lá, umas coisinhas à toa... Não tinha televisão pra assistir. E outra coisa, uma economia danada: porque como o anjo já deu o ultrassom completo: "É menino!", ela só precisava fazer azulzinho. Não precisava fazer cor de rosa. Já economizou. Maria fez um enxovalzinho que era um espetáculo! Passou aqueles bicos azuladinhos e desenhados... Ela já sabia o nome dele, já pintava as iniciais. Não? Vocês acham que não, gente? As senhoras mais antigas aí... Não faziam o enxovalzinho? Que coisa bonita! Cortavam aquele saco de estopa, de açucar... Passavam os bicos, tudo caprichado! Faziam o cueiro. Hoje não!  Hoje compram aqueles quilos de fralda! Já vem aquelas luvas de plástico... Por isso que a criança desde pequenininha já não tem o cheiro da mãe.

Maria caprichou! Maria fez um senhor enxoval! Além disso, o enxoval de Jesus teve um acréscimo a mais: criança cresce muito rápido… Como João Batista nasceu, em três meses o rapazinho já estava fortinho, já não servia mais sapatinho, bonezinho, o cueirinho... Quando saiu da casa de Isabel... Santa Isabel já tinha demais! Quantos anos a coitada da "véa" estava esperando pra ter um rapazinho? O que Santa Isabel tinha de enxoval é um absurdo! Ela deu mais da metade! Maria veio com dois sacos enormes! Encheu o berço!



Qual foi a primeira coisa que Deus aprontou com os dois? Quando Jesus nasceu, Ele, que tinha o mais belo enxoval do mundo, foi enrolado em trapo! Ele, que o pai tinha feito o berço mais lindo da Galileia, teve que dormir num cocho!

Olha o fracasso! Imagina se Maria e José fossem ficar preocupados com o que iam falar deles? Aliás, já começa na própria aceitação de José. Ele ia aceitar uma esposa grávida? Ele sabia que era por obra de Deus, mas se ele ficasse... Graças a Deus que José não tinha essa droga, ele não tinha essa dependência de precisar da aprovação das pessoas, porque senão ele não teria aceito. A própria família de José ia falar o quê? Pensa! Tenta imaginar a situação. A Sagrada Família é um fracasso humano. E, no entanto, por que são felizes? Felizes são os que obedecem ao Senhor e andam em seus preceitos. Mesmo quando esse caminho parece um absurdo! José e Maria sabiam que estava próxima a data do nascimento de Jesus? Só se fossem irresponsáveis, e isso eles não eram! Porque como eram responsáveis, se soubessem que ia nascer em uma semana, eles iriam fazer uma viagem daquelas, atravessar deserto e tudo, para chegar lá na época do nascimento? Eles não sabiam. E não sabiam exatamente porque não tinha tido a participação humana. Veio de surpresa! Olha o fracasso de um pai e de uma mãe...



Você, pai e mãe, que vivem dizendo: "Eu quero dar o melhor para o meu filho!" Maria e José, chamados a ser os pais de Jesus Cristo, o único Filho de Deus feito gente, foram irresponsáveis segundo o mundo. E outra coisa: nunca mais eles viram! Aquele berço não se sabe quem usou… Talvez tenha sido um dos Santos Inocentes, não se sabe. O enxoval de Jesus não se sabe que fim levou! Alguém deve ter pego, porque eles abandonaram, eles foram embora. José foi embora às pressas! Estava lá em Belém, do outro lado do país, e de lá ele teve que ir às pressas, e foi pro Egito.

Mas o que faz essa família ser a Sagrada Família de Nazaré? A qualidade número um dessa família: porque é completamente obediente a Deus, a Sagrada Família é o modelo de alguém e de uma família completamente livre! Então, a primeira grande liberdade de Maria e de José: liberdade em relação aos outros. Não se preocupavam com o que as pessoas diziam ou com o que as pessoas deixaram de dizer. Porque eles tinham uma fidelidade a Deus. Eles queriam viver um projeto de Deus. Queriam e de fato viveram! E quando se quer viver um projeto de Deus… Preste atenção, essa é a primeira grande característica da Sagrada Família: José, Maria e Jesus são três completamente, cegamente obedientes a Deus! E, portanto, segunda característica: são completamente livres. Terceira característica: porque romperam com os preconceitos e conceitos daquela sociedade, eles puderam ser guiados pelos anjos de Deus. Que coisa espetacular! Quando José teve problema, ele não respondeu seu problema. Ele foi conversar com Deus em oração. E ele falou pra Deus que ele estava em dúvida. Ele disse pra Deus que estava numa situação difícil, mas como ele era um homem justo, ele pensou em abandonar Maria. Ora, mas que justiça é essa que abandona? Exatamente por isso, se José tivesse abandonado Maria, a culpa recairia sobre ele e não ela. Ela seria preservada. E José nunca duvidou de Maria, se ele tivesse duvidado de Maria, ele não pensaria em abandoná-la em silêncio. Ele não pensaria em abandoná-la em segredo. Se José tivesse duvidado de Maria, ele teria que cumprir a lei, porque ele era um homem justo. Justo significa aquele que vive de acordo com a palavra. José, pra viver de acordo com a palavra, se duvidasse de Maria, tinha que levar Maria para Joaquim e Ana e os seus pais serem os primeiros a apedrejá-la. Ele não duvidou de Maria. Ele sabia que estava não diante de um problema, ele sabia que estava diante de um mistério! E diante de um mistério você se cala e abre o seu coração em Deus. E foi o que José fez! E porque o seu discernimento foi em Deus, ele pôde ter assistência dos anjos de Deus. A Sagrada Escritura é marcada pela presença dos anjos de Deus! São os anjos de Deus que iluminam o povo de Deus para que ele esteja firme no caminho. De dia, iluminando, guia... De noite, uma luz que guiava, que iluminava."

Padre Léo 


Para adquirir esssa e outras pregacões, livros e homilias de Padre Léo, além de produtos da Comunidade Bethânia, clique aqui. 

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!