quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Ou santos ou nada!

“A exemplo da santidade daquele que vos chamou, sede também vós santos em todas as vossas ações, pois está escrito: ‘Sede santos, porque eu sou santo’” (I Pe 1,15-16).

A nossa primeira vocação é sermos santos, porque Deus é santo e devemos assumir as qualidades de Deus. Ser santo é fazer a vontade do Senhor em nossas  vidas. É o Espírito Santo que realiza em nós a santificação. Diante das circunstâncias da vida, seremos santos ou não, depende de nos abrirmos à ação do Espírito Santo. Ao decidirmos fazer a vontade do Senhor, Ele nos dará a graça, a capacidade, as ferramentas para realizarmos a sua obra.
A vocação no sentido de missão se realiza sempre em construir algo, de acordo com a vontade de Deus. Assim aconteceu com padre Léo que inspirado pelo Espírito Santo foi chamado a ressuscitar muitos Lázaros, através da Comunidade Bethânia.   
Monsenhor Jonas Abib (blog CN), nos fala de Padre Léo, o padre do Coração de Jesus. Seu testemunho nos emociona e nos faz acreditar que seja qual for nossa vocação, Deus quer que vivamos em santidade.


Ele viu tantos “Cains” matando seus irmãos por meio da droga, da bebida, de uma vida prostituída. Quantos vivendo como mortos-vivos! Foi justamente dedicando-se a esses jovens, adultos e até mesmo famílias, que ele realizou uma verdadeira Bethânia. Não apenas de nome, mas onde havia sempre um “Lázaro” que precisava ser ressuscitado.

Ele não gostava, de maneira nenhuma, que se dissesse que era casa de recuperação. Era uma família, a família Bethânia, onde todos naturalmente foram chamando padre Léo de pai, e o tratavam como tal. Quis assim dedicar-se totalmente àqueles que estavam sendo mortos, tornando seu amor concreto, e não apenas teoria.

Ao mesmo tempo, ele tinha um ardor apostólico evangelizador fora do comum. Ele se sentia impelido a andar pelo Brasil pregando, evangelizando. Sua vocação “redespertou-se” quando conheceu a Renovação Carismática e a Canção Nova. Rapidamente, aproximou-se da Comunidade e nós dele. 

Padre Léo era incansável. Todos os que eram próximos a ele, a família dele, nós também, dizíamos: ‘Você precisa se poupar, ir mais devagar’, mas ele, com aquele sorriso meio gozador, dizia: ‘Eu não fui feito para isso. A minha missão não é essa. Eu preciso viver Bethânia. Eu preciso trabalhar na ressurreição de muitos Lázaros’.

Digo para Bethânia e para a Canção Nova, diante da vida dele, do estilo de vida que viveu, nós não temos o direito de viver de outra maneira a não ser ‘ou santos ou nada!’”

Enfrentamos desafios constantes, mas a vida está aí para aprendermos a ‘ser santos’. O dom da santidade é oferecido a cada batizado. Portanto, não há outro caminho: ou assumimos a santidade ou seremos nada. Deus espera nossa decisão.





0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!