domingo, 17 de setembro de 2017

Amor nunca morre de morte natural: é sempre assassinado!

"Algumas realidades espirituais cegam o casal. O desleixo. Eu tenho muita tristeza quando vejo falar no mito do amor eterno. Eu queria dizer a vocês: o amor jamais é eterno! O amor nasce, cresce, dá frutos, e se não for cuidado, morre. Amor morre. E é bom lembrar: amor nunca morre de morte natural. Amor morre assassinado. A arma mais tenebrosa que assassina o amor chama-se negligência. Cegueira. Não se cultiva mais o amor. Não alimenta o amor. Não renova o amor. Não purifica o amor. 




O Catecismo deixa bem claro que Jesus veio restaurar, curar, purificar e elevar o amor humano. O Catecismo afirma com todas as letras que o sacramento do matrimônio é o amor humano, próprio de um homem e de uma mulher, revestido com a graça de Deus. Mas é a partir do humano. Deus não contradiz o humano. É um sacramento que se realiza na carne, no espírito, na afetividade. Mata-se o amor pela negligência. A negligência da palavra, que eu falava antes... De não externalizar mais a alegria e gratidão de conviver com essa pessoa que está há tanto tempo em minha vida!"

Padre Léo

Trecho da pregação Saborear o amor 

Para adquirir essa e outras pregações, livros e homilias de padre Léo, além de produtos da Comunidade Bethânia, clique aqui

Um comentário:

  1. PADRE LÉO, TE AMO MUUUUUUITO. NÃO VOU QUEIXAR-ME POR TERES IDO EMBORA TÃO CEDO. !!!!!! AINDA HOJE SONHO QUE ESTÁS COMIGO DENTRO DO MEU CORAÇÃO!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!