sábado, 5 de maio de 2018

Não matarás


“Ouvistes o que foi dito aos antigos: Não matarás, mas quem matar será castigado pelo juízo do tribunal. Mas eu vos digo: todo aquele que se irar contra seu irmão será castigado pelos juízes. Aquele que disser a seu irmão: Raca, será castigado pelo Grande Conselho. Aquele que lhe disser: Louco, será condenado ao fogo da g
eena.” (Mt 5,21-22)




Jesus, quando chega ao grande sermão da felicidade, retoma e resume todos os mandamentos da lei em dois mandamentos: "Amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo como a si mesmo".
Por que nós estamos retomando? E Deus me inspirou isso fortemente quando fui ler as leituras desse final de ano. Veio-me muito forte que a Igreja precisa voltar a falar o que é o básico da nossa fé, porque o mundo em que vivemos hoje relativiza-se tudo. 

O que é relativizar? É deixar as coisas de lado. Relativo é algo que tem valor de relação. Só tem valor se relacionado a algo. É assim que estamos fazendo com Deus. A Nova Era é a mãe do relativismo religioso. Quando se relativiza Deus, deixando-o de lado, deixa-se os três primeiros mandamentos e muito rápido faz-se o mesmo com os outros sete. 

O mundo moderno está deixando Deus de lado, e em consequência disso está deixando as pessoas de lado. É um absurdo saber que os poderes políticos têm a coragem de defender a morte, inclusive daqueles que estão dentro da barriga.

O quinto mandamento "Não matarás" é uma ordem. Mas não é uma ordem destinada apenas a não dar um tiro ou uma facada em uma pessoa. "Não matar" vai desde não tirar a vida de alguém até também não gerar a morte no coração da pessoa.


E quantas vezes deixamos rastros de morte onde passamos! Uma palavra, um gesto, o nosso jeito de falar, de vestir... É muito fácil saber por onde o homem passou, pelos rastros que deixamos. Hoje a natureza trabalha contra o ser humano. Deus criou a natureza e o ser humano, mas hoje o ser humano vem matando a natureza que o seu Deus criou, matando a natureza, os rios, por onde passam. Deixa um pedacinho de papel aqui, uma sujeirinha ali. É pecado grave quando um ser humano passar na rua e arranca o galho de uma árvore. Os pais precisam educar os seus filhos a crescerem respeitando a natureza.

A pessoa que acha que sua vida lhe pertence está enganada. O Catecismo afirma que somos administradores da vida, mas não somos dono da vida. O ser humano que vem deixando rastro de morte na natureza, no meio ambiente, está também deixando rastro de morte em si e nos outros. Essa é a inversão que o encardido fez no homem.

O que os meios de comunicação têm feito é estragar a dignidade da pessoa. Quando a televisão mostra um bandido, pensa porque que Deus quer dar vida a essa pessoa.
Eu estou vivo, estou respirando, Deus está me criando e recriando. 

Nós precisamos a cada dia lutar pelo dom da vida. Não podemos defender nenhuma doutrina que fale da morte. A Igreja nos ensina baseada na Sagrada Escritura que a vida é uma coisa séria. E nesse acampamento nós deveríamos fazer um grande clamor pela vida. 

Nós acreditamos no Jesus que disse: "Eu vim para que tenhamos vida e que tenham vida em abundância".

A natureza clama pela vida. Quando um animal tem seu filhote, ele faz qualquer coisa por ele, não deixa ninguém chegar perto. Desde os mais delicados, como um passarinho, até os mais selvagens. E o ser humano, imagem e semelhança de Deus, mata. E o pior, mata o seu filho dentro da barriga.

A mulher, na Bíblia,  é o ser por exelência. Última obra feita por Deus. Quando tudo já estava preparado, Ele faz o ser mais importante, a mulher, que traz dentro de si o dom da vida. Deus não precisou do material genético masculino, mas precisou do material genético femenino para nascer. Jesus tem os traços genéticos exclusivos de Maria. José é o grande defensor da vida, que atravessou o deserto para salvar a vida de Jesus. Cada homem precisa se assumir José para ser um defensor da vida.

Quando a mulher faz um aborto em clínicas especializadas, a criança é retirada da barriga da mãe de forma absurda. Por um aparelho de ultrassom passa-se uma sonda e dentro do útero injetasse um veneno no feto. Quando o feto é grande, na ponta da sonda, coloca-se uma lâmina que despedaça todo o feto. E em seguida todos esses pedaços são levados para fazerem produtos de cosméticos. Por isso querem legalizar o aborto: para darem lucro para as empresas de cosméticos.
Olha a que ponto chega o ser humano!

A vida precisa ser cuidada. A Igreja sempre vai defender a vida humana, pois Deus colocou a sua imagem em cada ser humano. Jesus coloca no sermão da montanha um convite para o ser humano ser um defensor, um promotor da vida. 

Padre Léo

0 Comentários:

Postar um comentário

Os comentários são moderados antes da publicação no blog. Comentários anônimos não serão publicados.
Deixe seu nome ao final do comentário.

Comente este Artigo.
Quer entrar em contato conosco? Clique Aqui

O Blog Padre Léo Eterno agradece sua participação.
Deus lhe abençoe!